Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120180002&lang=pt vol. 36 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Avaliação do bem-estar subjetivo em adolescentes</b>: <b>Relações com sexo e faixa etária</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O estudo do bem-estar subjetivo com adolescentes justifica-se pela importância da identificação e promoção de aspectos positivos nesse período do desenvolvimento. O sexo e a faixa etária têm sido associados à variação da satisfação de vida e afetos positivos e negativos. Assim, este trabalho teve por objetivo avaliar o nível de BES de adolescentes, a partir de um índice que engloba a avaliação de afetos positivos e negativos e a satisfação dos adolescentes com relação aos domínios específicos de suas vidas, observando a associação com sexo e faixa etária. Foram aplicadas a Escala Multidimensional de Satisfação de Vida e a Escala de Afetos Positivos e Negativos para Adolescentes em 426 estudantes (média de idade 14.91 anos; DP=1.65) de escolas públicas de Porto Alegre. Foram observadas médias mais altas entre os meninos nas dimensões satisfação com a família, autoeficácia e bem-estar. As meninas apresentaram maior satisfação com as amizades, maiores níveis de afetos negativos e menor satisfação com a vida. Tais dados indicam a necessidade de intervenções que promovam aspectos positivos entre as adolescentes.<hr/>Adolescents wellbeing study is justified by the importance of promotion of positive aspects in this period of development. Gender and age are associated to variation in life satisfaction and positive and negative affects. This work has the objective to evaluate the level of adolescents’ wellbeing, from a index which agrupate positive and negative affects and life satisfaction, observing gender and age group. A Multidimensional Scale of Life Satisfaction and a Positive and Negative Affect Scale were applied collectively in 426 adolescents (M=14.91 years old; SD=1.65) from public schools of Porto Alegre. Results pointed highest average between boys in family satisfaction, self-efficacy and well-being. Girls presented more friendship satisfaction, more negative affect and less life satisfaction. These data indicate the need of interventions that promote positive aspects between girls. <![CDATA[<b>Autoestima, narcisismo e dimensões de delinquência juvenil</b>: <b>Que relação?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente estudo teve como objetivo analisar a capacidade preditiva dos constructos de autoestima e de narcisismo em duas dimensões da delinquência juvenil: a gravidade de crimes cometidos e a idade de início na atividade criminal. Para tal, recorreu-se a uma amostra de 261 jovens recolhidos em centros tutelares educativos e elaborou-se um modelo de regressão ordinal para a gravidade de crimes e um modelo de regressão linear para a idade de início na atividade criminal. Os resultados evidenciaram que o narcisismo prediz a gravidade dos crimes e, de forma marginalmente significativa, o início da atividade criminal, o que revela a sua preponderância enquanto fator de risco para as duas dimensões de delinquência e sustenta a sua inclusão em programas de intervenção na delinquência. Por outro lado, demonstraram que a autoestima não prediz nem a gravidade dos crimes nem o início da atividade criminal. Estudos futuros devem continuar a explorar o papel da autoestima na predição da delinquência, no sentido de melhor clarificar esta relação.<hr/>The present study aimed to analyze the predictive capacity of self-esteem and narcissism of two dimensions of juvenile delinquency: crime seriousness and age of criminal onset. With a total sample of 261 youths from the juvenile justice system, an ordinal regression model was estimated with crime seriousness as the dependent variable, and a linear regression model was estimated with age of crime onset as the dependent variable. The results showed that narcissism predicts crimes seriousness and has a marginally significant effect on age of crime onset, revealing its importance as a risk factor for both dimensions of delinquency and supporting its inclusion in intervention programs for delinquency. On the other hand, the results revealed that self-esteem did not predict neither crime seriousness nor age of criminal onset. Future studies should continue to explore the role of self-esteem in predicting delinquency in order to better clarify this relationship. <![CDATA[<b>Será a idade um moderador da relação entre depressão e funcionamento saudável em pacientes com cancro da mama e ginecológico?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This cross-sectional study aims to explore age as a moderator of the association between emotional distress and functional scales of health-related quality of life. The sample includes 106 outpatients with active breast and gynecologic cancers recruited at the Gynecology Department of the Instituto Português de Oncologia de Coimbra Francisco Gentil. Cancer patients were divided into two groups: younger women <50 years and older women ≥50 years. Participants completed a socio-demographic questionnaire and self-report measures, namely Hospital Anxiety Depression Scale (HADS) and the six functional scales of the European Organization for Research and Treatment of Cancer Quality of Life Questionnaire Core-30 (EORTC QLQ-C30). Our results show that the older group reported higher depressive symptoms than younger patients. Depressive symptoms influenced healthy functioning, defined by indicators such as physical, emotional and cognitive functioning, similarly in younger and older age groups.<hr/>Este estudo transversal objetivou explorar o efeito moderador da idade na relação entre o distress emocional e domínios da qualidade de vida relacionada com a saúde. A amostra incluiu 106 mulheres, com diagnóstico de cancro da mama ou ginecológico em fase ativa, recrutadas no Serviço de Ginecologia do Instituto Português de Oncologia de Coimbra Francisco Gentil. Foram incluídos dois grupos: mulheres com menos de 50 anos de idade e mulheres com 50 anos ou mais. As participantes completaram um questionário sociodemográfico e medidas de auto-relato, nomeadamente a Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar (EADH) e as seis escalas funcionais do European Organization for Research and Treatment of Cancer Quality of Life Questionnaire Core-30 (EORTC QLQ-C30). Os nossos resultados mostraram que o grupo de mulheres com idade igual ou superior a 50 anos reportou mais sintomas depressivos do que o grupo de pacientes mais jovem. Os sintomas depressivos reportados influenciaram o funcionamento saudável, definido por indicadores como o funcionamento físico, emocional e cognitivo, similarmente dentro dos dois grupos. <![CDATA[<b>Segurança e vitimação entre estudantes universitários na cidade do Porto</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Apresenta-se um estudo exploratório com 307 estudantes de instituições de ensino superior do Porto. Os participantes de ambos os sexos, com idades entre os 18 e os 48 anos (M=23; DP=5.6) responderam a um questionário de diagnóstico local de segurança, a fim de captar as perceções sobre o crime e a vitimação na área, os sentimentos de segurança e as conceções sobre a atuação policial. Os resultados apontam para uma perceção geral de segurança, apesar dos roubos ou dos peditórios reportados. A experiência de vitimação (15%), nem sempre reportada às autoridades, traduziu-se numa perceção fragilizada quanto à atuação policial. O estudo permite concluir pela importância da formulação estratégica de planos de segurança baseada numa participação da comunidade.<hr/>An exploratory study with 307 students from higher education institutions in Oporto is presented. Participants of both sexes, aged 18-48 (M=23; SD=5.6), responded to a local security diagnostic questionnaire in order to capture perceptions of crime and victimization in the area, the feelings of security and the conceptions about the police action. The results point to a general perception of security, despite reported robbery or panhandle. The experience of victimization (15%), not always reported to the authorities, translated into a weakened perception as to the police action. The study concludes by the importance of the strategic formulation of security plans based on community participation. <![CDATA[<b>Competência social em adolescentes adotados</b>: <b>Estudo comparativo com adolescentes não adotados e em acolhimento residencial</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os adolescentes que foram adotados são frequentemente identificados como um grupo em risco em termos de competência social. Neste estudo pretendeu-se analisar a competência social de um grupo de adolescentes adotados, através da comparação com um grupo de adolescentes em acolhimento residencial (AR) e de um grupo de adolescentes que viviam com a família de nascimento e explorar a sua relação com variáveis relativas à adoção. Participaram neste estudo 135 adolescentes, com idades compreendidas entre os 12 e os 17 anos, dos quais 45 foram adotados, 45 estavam em AR e 45 viviam com a família de nascimento. A competência social foi avaliada junto dos próprios adolescentes através do SSIS-RS. Os resultados demonstraram diferenças estatisticamente significativas entre os três grupos de adolescentes, apresentando os adolescentes adotados mais habilidades sociais e menos problemas de comportamento que os adolescentes em AR, mas menos habilidades sociais e mais problemas de comportamento que os adolescentes que viviam com a família de nascimento. Verificou-se ainda quanto mais tarde os adolescentes que vêm a ser adotados entraram em acolhimento, menor o seu reportório de habilidades sociais. Estes resultados apontam a premência de práticas de intervenção em proteção infantil que propiciem o desenvolvimento da competência social.<hr/>Adopted adolescents are frequently identified as being at risk in terms of social competence. This study aimed at analysing the social competence of a group of adopted adolescents, by comparing them with a group of adolescents in residential care and another one with no referral to Child Protection Services. One-hundred-thirty-five adolescents aged from 12 to 17 participated in this study, 45 of whom were adopted, 45 were in residential care and 45 were living with their birth families. Adolescents assessed their social competence through the Social Skills Improvement System-Rating Scales. Results showed statistically significant differences among the groups. Adopted adolescents displayed more social skills and less behaviour problems than adolescents in residential care and less social skills but more behaviour problems than those living with their birth families. Furthermore, the later the adoptees had been placed in out of home care, the less social skills they presented. These findings highlight the pressing need of child protection policies and practices to ensure adoptees’ healthy social competence. <![CDATA[<b>Ajustamento psicossocial ao cancro da mama em função do tipo de cirurgia</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este estudo compara o ajustamento psicossocial à doença em mulheres com cancro da mama submetidas a cirurgia de conservação e mastectomia, prevendo diferenças entre os dois grupos. Procura ainda avaliar se há diferenças no ajustamento ao longo de quatro momentos de avaliação. A amostra foi constituída por 74 mulheres no estádio I-III da doença submetidas a cirurgia. Todas as mulheres responderam a questionários de baseline, antes da cirurgia, e foram seguidas longitudinalmente até ao final dos tratamentos. As dimensões do ajustamento psicossocial avaliadas foram o estado emocional, as representações da doença e a funcionalidade, não se tendo verificado diferenças no ajustamento, para a grande maioria das variáveis psicossociais estudadas, em função do tipo de cirurgia. Contudo, encontramos diferenças significativas para as representações de doença (compreensão da doença) e para a funcionalidade (categoria lazer, sono e dimensão psicossocial), tendo os resultados sido mais favoráveis para as mulheres que realizaram uma mastectomia. Estes resultados são inesperados uma vez que a cirurgia de conservação pretende proporcionar um resultado cosmético mais satisfatório e com taxas de sobrevivência equivalentes às da mastectomia, fazendo supor que se conseguiria obter um melhor ajustamento psicossocial. Os dados encontrados sugerem que o tipo de cirurgia não parece predizer o ajustamento psicossocial. No entanto, considera-se que implicar as doentes na escolha do tipo de cirurgia, sempre que isso seja possível, pode beneficiar uma compreensão mais ajustada acerca da doença e do tratamento, com repercussões mais favoráveis ao nível emocional e da funcionalidade.<hr/>The aim of this study was to examine psychosocial adjustment differences between breast cancer women who underwent a lumpectomy or mastectomy, predicting differences between the two groups. The participants were 74 Portuguese recently diagnosed breast cancer patients, recruited in the main Oncology Hospital of the North of Portugal. The study design is longitudinal with four-time points: before surgery (baseline); two weeks after surgery, during adjuvant treatments; and at the end of adjuvant treatment. The evaluated dimensions were emotional state, illness perception and illness functional limitations. We didn’t find differences for most of the variables, between the two groups. However, we find significant differences for comprehension (illness perception) and for leisure, sleep and psychosocial dimension (perceived functioning), with better adjustment for women who underwent mastectomy. These results are unexpected since conservation surgery aims to provide a more satisfying cosmetic outcome and survival rates equivalent to those of mastectomy, assuming a better psychosocial adjustment. The data suggest that the type of surgery doesn’t seem to predict the psychosocial adjustment. However, involving patients in choosing surgery type, whenever it is possible, can benefits a better understanding about the disease and the treatment, with more favourable repercussions on the emotional level and functionality. <![CDATA[<b>Qualidade da amizade na adolescência e ajustamento social no grupo de pares</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As amizades na adolescência são fundamentais para o desenvolvimento social, emocional e cognitivo. Porém, diferenças na qualidade da relação com um melhor amigo podem também estar associadas ao ajustamento psicossocial dos adolescentes. Este estudo procurou identificar diferentes perfis de qualidade de amizade, contrastando-os relativamente a dimensões positivas e negativas dessa relação, bem como ao ajustamento social dos adolescentes no grupo de pares. 821 participantes do 7º ano de escolaridade (M=13 anos), reportaram a sua percepção da qualidade da melhor amizade e nomeações sociométricas permitiram aceder às dimensões do ajustamento social no grupo de pares. Uma análise hierárquica de clusters baseados nas dimensões positivas da qualidade de amizade permitiu identificar três tipos de perfis, nomeadamente de qualidade alta, média e baixa (QA, QM, QB), que se distinguiram significativamente na qualidade global e em todas as dimensões positivas da amizade: as amizades QA caracterizaram-se por mais companheirismo, validação, ajuda, suporte, intimidade e estratégias de resolução de conflitos, enquanto as amizades QB foram marcadas por valores inferiores nestas dimensões. Diferenças de sexo demonstraram que as raparigas experienciaram mais partilha de intimidade e validação e cuidado nas suas díades de amizade. Também nos aspectos negativos (conflitos e traições), as amizades QA se distinguiram por apresentarem níveis menos frequentes. Quanto ao ajustamento social, os adolescentes com amizades de alta qualidade foram considerados pelos pares como os menos socialmente retirados, excluídos e vitimizados, mas os mais pró-sociais e populares/sociáveis. Adolescentes com amizades de baixa qualidade foram caracterizados com valores opostos. Estes resultados mostram a importância da amizade neste período do desenvolvimento e permitem compreender, em particular, a influência da qualidade dessa relação no contexto social dos jovens.<hr/>Friendships in adolescence are fundamental for social, emotional and cognitive development. However, differences in the quality of the relationship with a best friend may also be associated with adolescents’ psychosocial adjustment. The goal of this study was to identify different profiles of friendship quality, contrasting them regarding positive and negative features of this relationship, as well as youth’s social adjustment in the peer group. 821 participants from 7th grade (M=13 years old) reported on their perception of best friendship quality and sociometric nominations assessed social adjustment in the peer group. Three profiles emerged from hierarchical clusters analysis based on positive features of friendship quality, namely high-, medium- and low-quality friendships. Such profiles were significantly different in global quality and in all positive qualitative features of friendship: High-quality friendships were significantly higher in companionship, validation, help, support, intimacy, and conflict resolution strategies, whilst low-quality friendships had significantly lower values in all such dimensions. Sex differences revealed that girls experienced more intimate disclosure and validation and caring within their friendship dyads. Regarding negative features, adolescents in high-quality friendships reported less frequent conflict. As for social adjustment, youth in high quality friendships were considered by peers as the least anxious-withdrawn, excluded and victimized, but the most prosocial and popular/sociable. Participants in low-quality friendships were characterized by opposite scores. Findings highlight the significance of friendship in this developmental period, particularly, regarding friendship quality in young adolescents’ social milieu. <![CDATA[<b>Como é vivida a adoção na adolescência? Construção de um Questionário de Sentimentos relacionados com a adoção</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As experiências relacionadas com a adoção são processadas emocionalmente e assumem um significado individual que influencia a forma como cada adotado vive a sua história de adoção. Mesmo quando a experiência da adoção é positiva e o adotado manifesta bom ajustamento psicológico, a história de adoção desencadeia um misto de sentimentos sendo as emoções negativas mais dificilmente identificadas e assumidas. O presente estudo teve como objetivo desenvolver um instrumento original de avaliação da valência (positiva ou negativa) de sentimentos associados ao estatuto adotivo. Participaram neste estudo 80 adolescentes adotados com idades compreendidas entre os 12 e 22 anos. A análise fatorial exploratória apontou para a existência de uma estrutura unifatorial com 10 itens, interpretável de acordo com a literatura na área da adoção. O presente estudo foca-se apenas no desenvolvimento do instrumento, pelo que se considera que o atual instrumento terá que ser ainda alvo de estudo posterior. No entanto, salienta-se que este instrumento poderá constituir-se como uma importante mais-valia tanto na investigação em adoção e na intervenção psicológica com adolescentes adotados.<hr/>Adoption experiences are emotionally embedded and take on an individual meaning which influences the unique emotionality of the adoptee’s adoption history. Even when the adoption experiences are positive and adoptees show a good psychological adjustment, the adoption history triggers a mixture of feelings and negative emotions are less acknowledged and assumed. The present study aimed at developing a new questionnaire to evaluate the feelings related to the adoption status. Eighty adopted adolescents aged 12 to 22. The exploratory factorial analysis pointed to the existence of a 10 item unifactorial structure, in accordance with adoption literature. The present study only focuses on the development of the instrument, and it is therefore considered that the present instrument must be further studied. However, the Questionnaire on Adoption Related Feelings can be an important added value both in adoption research and in psychological intervention with adolescent adoptees. <![CDATA[<b>Adaptação da Escala de Crenças Disfuncionais face à Maternidade para a população portuguesa</b>: <b>Estudos psicométricos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312018000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As crenças disfuncionais face à maternidade têm sido apontadas como um fator de risco para a depressão pós-parto. O objetivo deste estudo foi adaptar a Escala de Crenças Disfuncionais Face à Maternidade (ECM), que avalia as crenças disfuncionais face à maternidade, para a população portuguesa, e avaliar as suas qualidades psicométricas. Para tal, utilizou-se uma amostra de 387 mulheres no período pós-parto. As participantes responderam, num estudo transversal, à ECM e a outros questionários de autorresposta. A análise fatorial confirmatória revelou como mais adequado um modelo tridimensional, semelhante à estrutura original do instrumento: Crenças Relacionadas com o Julgamento dos Outros, Crenças Relacionadas com a Responsabilidade Materna e Crenças Relacionadas com a Idealização do Papel Materno. Além disso, a ECM associou-se de forma significativa à sintomatologia depressiva e aos pensamentos automáticos negativos gerais e no pós-parto, mostrando a sua validade convergente. Ademais, apresentou boa consistência interna para a pontuação total e para as suas dimensões, à exceção da dimensão Crenças Relacionadas com a Responsabilidade Materna. De forma geral, a versão portuguesa da ECM apresentou bons níveis de fidelidade e validade, pelo que constitui um instrumento útil na avaliação das crenças disfuncionais face à maternidade.<hr/>Dysfunctional beliefs toward motherhood have been identified as a risk factor for postpartum depression. The aim of this study was to adapt the Attitudes Toward Motherhood Scale (AToM), that evaluates dysfunctional beliefs toward motherhood, for the Portuguese population and to evaluate its psychometric qualities. The sample included 387 women in the postpartum period. The participants cross-sectionally answered to the AToM and to other self-report questionnaires. Confirmatory factor analysis revealed as more suitable a three-dimensional model, similar to the original structure of the instrument: Beliefs about Other’s Judgments, Beliefs about Maternal Responsibility and Beliefs about Maternal Role Idealization. In addition, the AToM was significantly associated with depressive symptoms and with general and postpartum negative automatic thoughts, showing its convergent validity. Furthermore, it has shown good internal consistency for the total score and for its dimensions, with the exception of the dimension Beliefs about Maternal Responsibility. In general, the Portuguese version of AToM showed good levels of reliability and validity, so it is a useful tool to assess the dysfunctional beliefs toward motherhood.