Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120130004&lang=en vol. 31 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Comportamento Organizacional Positivo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Na última década tem vindo a ganhar proeminência o movimento dos estudos organizacionais positivos. È uma corrente de investigação orientada para melhorar as organizações usando as respetivas forças - em vez de colmatar as suas falhas. Através desta lente positiva, seguimos, neste artigo, quatro níveis de análise: (1) consideramos o capital psicológico como atributo de indivíduos positivos; (2) discutimos as características das interações positivas; (3) exploramos o papel da segurança psicológica na criação de equipas positivas; (4) traçamos o perfil das organizações positivas. Discutimos, também, que (a) a positividade e a negatividade são parte de uma mesma dualidade, (b) a positividade pode gerar ou facilitar a negatividade e (c) a negatividade pode gerar ou facilitar a positividade.<hr/>In the last decade, we have witnessed an increased prominence of the positive organizational studies (POS) movement. POS is a research stream focusing on the betterment of organizations via the use of its strengths - instead of accentuating the removal of flaws. Through this positive lens, we follow four levels of analysis: (1) considering psychological capital as an attribute of positive individuals; (2) looking into the characteristics of positive interactions; (3) exploring the role of psychological safety in building positive teams; (4) defining the profile of positive organizations. Finally, we discuss that (1) positivity and negativity are part of the same duality, (2) positivity may facilitate negativity and (3) negativity may facilitate positivity. <![CDATA[<b>Felicidade Hedónica e Eudaimónica</b>: <b>Um estudo com adolescentes portugueses</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo pretendeu explorar as conceções de felicidade de adolescentes portugueses, os aspetos mais significativos das suas vidas e os fatores que os justificam; perceber os níveis de significado em vários domínios de vida e o impacto destes na felicidade e significado em geral. Foi utilizado o Eudaimonic and Hedonic Happiness Investigation (EHHI; Delle Fave, Brdar, Freire, Vella-Brodrick, & Wissing, 2011) que permite aceder, qualitativa e quantitativamente, aos componentes hedónicos e eudaimónicos da Felicidade. Participaram no estudo 216 adolescentes, com média de idade de 16.6 anos (DP=1.2), sendo 68,5% do sexo feminino e 31,5% do sexo masculino. Os resultados qualitativos mostraram que as definições de felicidade, de significado, bem como os motivos subjacentes à atribuição de significado englobam quer dimensões psicológicas quer aspetos relacionados com domínios de vida, integrando componentes hedónicos e eudaimónicos. Já os resultados quantitativos permitiram perceber que a felicidade e o significado contribuem de forma diferenciada mas complementar para o bem-estar. Estes resultados são discutidos à luz das perspetivas hedónica e eudaimónica, vigentes no estudo do bem-estar, contribuindo para uma compreensão holística dos vários componentes que contribuem e que estão envolvidos na Felicidade de adolescentes.<hr/>The present study intended to explore the conceptualizations of happiness of Portuguese adolescents, the most significant aspects of their lives, which factors can give meaning to their lives; and to understand the levels of Happiness and Meaning in several life domains and its impact on happiness and meaning in life in general. We used the Eudaimonic and Hedonic Happiness Instrument (EHHI: Delle Fave, Brdar, Freire, Vella-Brodrick, & Wissing, 2011), which tries to access, qualitatively and quantitatively, the hedonic and eudaimonic components of Happiness. The sample comprised 216 adolescents, with mean age of 16.6 (DP=1.2), being 68,5% female and 31,5% male. The qualitative results showed that the definition of happiness amongst adolescents, the meaning as well as the underlying motifs to the attribution of meaning, includes both psychological dimensions and aspects related with life domains, integrating hedonic and eudaimonic components. The quantitative results allowed understanding that happiness and meaning contribute in a different but complementary way to well-being. These results are discussed using current hedonic and eudaimonic perspectives on the study of wellbeing, contributing for a holistic understanding of the various components that contribute and are involved in the Happiness of adolescents. <![CDATA[<b>“Os meus pais só me criticam” - Relações entre práticas educativas parentais (perfecionismo e crítica) e a autoestima, o autoconceito académico, a motivação e a utilização de estratégias de <i>self-handicapping</i></b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os trabalhos sobre práticas educativas parentais têm evidenciado a existência de uma relação com o ajustamento académico e social de crianças e adolescentes. Neste estudo pretendemos analisar a relação entre as práticas educativas parentais crítica e perfecionismo, percecionadas pelos estudantes, e a autoestima, o autoconceito, as orientações motivacionais e o uso de estratégias de self-handicapping. Participaram 170 adolescentes do 7º, 8º e 9º ano de um colégio particular da zona da grande Lisboa, que responderam ao Critical Parenting Inventory (Randolph & Dyckman, 1998, adaptada por Miguel, 2010), a uma escala multidimensional de perfecionismo (Soares, Gomes, Macedo, & Azevedo, 2003, adaptada por Miguel, 2010), a uma escala de autoconceito e autoestima (Peixoto & Almeida, 1999) a uma escala de orientações motivacionais (Skaalvik, 1997, adaptada por Peixoto, Mata, & Monteiro, 2008) e a uma escala de self-handicapping académico (Martin, 1998, adaptada por Borralho, 2005). Os resultados das diversas análises efetuadas permitem mostrar que os alunos que percecionam os seus pais como sendo perfecionistas e críticos relativamente ao seu desempenho académico apresentam autoestima mais baixa, autoconceito mais baixo, motivação mais orientada para a autodefesa, para o evitamento e menos orientada para a tarefa, bem como uma maior tendência a usar estratégias de self- handicapping, do que os seus colegas que não percecionam os seus pais desta forma.<hr/>Research on parenting practices have shown the existence of a relationship with the academic and social adjustment of children and adolescents. In this study we aim to analyze the relationship between parenting practices of criticism and perfectionism perceived by students and their self-esteem, self- concept, motivational orientations and the use of self-handicapping strategies. Participants were 170 adolescents from the 7th, 8th and 9th grade of a private school in the greater Lisbon area, who answered to the Critical Parenting Inventory (Randolph & Dyckman, 1998, adapted by Miguel, 2010), a multidimensional scale of perfectionism (Soares, Gomes Macedo, & Azevedo, 2003, adapted by Miguel, 2010), a scale of self-concept and self-esteem (Peixoto & Almeida, 1999), a scale of motivational orientations (Skaalvik 1997, adapted by Peixoto, Mata, & Monteiro, 2008) and a scale of academic self-handicapping (Martin, 1998, adapted by Borralho, 2005). Results showed that students that perceived their parents as perfectionists and critics regarding their academic performance presented lower self-esteem, lower self-concept, motivational orientations more directed towards self-defeating ego orientation and towards avoidance and less task oriented as well as a greater tendency to use self- handicapping strategies, than their peers who do not perceived their parents in this way. <![CDATA[<b>A psicologia cognitiva e o estudo do raciocínio dedutivo no último meio século</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Para assinalar os 50 anos de ensino da Psicologia em Portugal, ou seja, o nascimento do ISPA, iremos reflectir sobre este meio século de estudos e trabalhos no âmbito da psicologia cognitiva, nomeadamente no domínio do raciocínio dedutivo, revendo as principais tarefas utilizadas para o estudar, bem como as principais teorias psicológicas que o explicam. Na parte final, apresentaremos o nosso contributo mais recente neste domínio.<hr/>To celebrate the 50 years of teaching Psychology in Portugal, and at ISPA, we present a reflexion about a half a century of studies carried out in the field of cognitive psychology, namely, in the domain of deductive reasoning. We will discuss the main methods and theoretical frameworks of this domain. We also present our recent contributions to the study of reasoning. <![CDATA[<b>Teoria da mente ao longo do desenvolvimento normativo</b>: <b>Da idade escolar até à idade adulta</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en A teoria da mente, enquanto marco do desenvolvimento sócio-cognitivo normativo emergente em idade pré-escolar, define-se como a capacidade para compreender e atribuir estados mentais - desejos, cognições, crenças e emoções - a si e aos outros, o que, por seu turno, permite a previsão e interpretação do comportamento dos outros (Astington & Barriault, 2001). Mas como se carateriza a teoria da mente no âmbito do desenvolvimento normativo ao longo do ciclo vital? E como se avalia? O presente artigo pretende responder a ambas as questões através de uma revisão teórica deste constructo no âmbito do desenvolvimento normativo em idade escolar, adolescência e idade adulta e uma síntese das principais metodologias desenvolvidas para a sua avaliação.<hr/>Theory of mind, as a sociocognitive developmental milestone emerging in the preschool years, is defined as the ability to understand and attribute mental states - desires, cognitions, beliefs and emotions - to oneself and to others, which allows for the prediction and interpretation of others’ behavior (Astington & Barriault, 2001). But how is theory of mind characterized, in normative development, across the lifespan? And how is it assessed? The present paper aims to answer both of these questions through a theoretical revision of this construct in the context of the normative development during school age, adolescence and adulthood, and a synthesis of the main methodologies developed for its assessment. <![CDATA[<b>Estilos parentais e relações de vinculação</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A qualidade dos cuidados parentais, no contexto das relações precoces, tem sido apontada como fundamental para o desenvolvimento das crianças. No presente artigo abordamos a tipologia dos estilos educativos parentais proposta por Baumrind, e o impacto dos estilos parentais no desenvolvimento infantil. Seguidamente, são explicitados conceitos como o de relação de vinculação, base-segura e sensibilidade parental, com referência também à investigação que se debruça sobre o impacto das relações de vinculação no desenvolvimento. Finalmente, destacam-se os pontos em comum entre estes dois domínios da parentalidade, os estudos encontrados e uma reflexão sobre o futuro da investigação neste campo.<hr/>The quality of parental care in the context of early relationships has been identified as critical to children’s development. In the present article we present the typology of parenting styles proposed by Baumrind and the impact of parenting styles on child development. In the second part of the paper we explore the concepts of attachment relationship, secure-base and parental sensitivity, as well as the research focusing on the impact of attachment on social development. Finally, we highlight the common points between these two domains of parenting, the studies about attachment and parenting styles and we raise some questions about future research. <![CDATA[<b>Aprendizagem social e emocional</b>: <b>Reflexões sobre a teoria e a prática na escola portuguesa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312013000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Conseguirá a Escola atual potenciar a aprendizagem social e emocional dos alunos? No quadro de um estudo exploratório qualitativo, partiu-se da análise do discurso de 12 docentes, na maioria do sexo feminino (75%), com idades compreendidas entre 32 e 57 anos (M=44,3; DP=8,95), dos quais 50% leciona ou já lecionou disciplinas de desenvolvimento social e emocional, com o objetivo de contribuir para a compreensão do papel da Escola na promoção de competências sociais e emocionais dos alunos no ensino secundário. Construído de raiz para este estudo, administrou-se um questionário com questões abertas que explorava as perceções dos docentes sobre a importância destas áreas, as estratégias adotadas na sua promoção e a perspetiva sobre as atuais alterações curriculares no contexto português. Os resultados foram analisados com o programa NVivo 8. Globalmente, apesar do reconhecimento implícito da importância destas áreas, evidenciado pelos participantes, e do investimento em estratégias curriculares e extracurriculares na sua promoção, a aprendizagem social e emocional carece ainda de redefinição e de valorização enquanto objetivo particular da função da Escola, de forma a tornar-se uma realidade para todos os alunos e, assim, contribuir para promover e ancorar o desenvolvimento cognitivo no quadro de um desenvolvimento global mais harmonioso.<hr/>Does the school of nowadays enhances the social and emotional learning of the students? Within a qualitative exploratory study, twelve teachers’ discourses were analysed, mainly females (75%), with ages between 32 and 57 years-old (M=44.3; SD=8.95), of which 50% teaches or have taught social and emotional learning courses, aiming to contribute to the understanding of school’s role on the promotion of social and emotional skills in the secondary education. Using an open-ended questionnaire, designed specifically to this study, teachers’ perceptions about the importance of these areas, the strategies used on their promotion and their perspective about the current curriculum modifications in the Portuguese context were explored. The data analysis was conducted using the NVivo 8.0. In general, although all the participants revealed an implicit recognition of the importance of this area and the investment in curricular and co-curricular strategies to approach it of the students, the social and emotional learning still requires redefinition and valorisation as a particular objective of the school’s role in order to become a reality to all students. In that way, social and emotional learning can contribute to promote and anchor the student’s cognitive development within a more harmonious global development framework.