Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120120002&lang=p vol. 30 num. 3 lang. p <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200001&lng=p&nrm=iso&tlng=p De acordo com o modelo normativo da escolha intertemporal, o Modelo de Utilidade Descontada (Samuelson, 1937), a utilidade de uma consequência futura é descontada exponencialmente consoante o diferimento. Há âmpla evidência de que as pessoas não cumprem este pressuposto. Neste estudo, 280 sujeitos realizaram uma tarefa de emparelhamento (ou matching) de forma a verificar a presença de uma nova anomalia ao desconto exponencial, bem como quatro anomalias mais conhecidas na literatura: O efeito de diferimento, o efeito de magnitude, o efeito de sinal e a assimetria adiamento-adiantamento. A nova anomalia é uma interacção entre o enquadramento, o sinal, e o diferimento das consequências: Em ganhos, o efeito de diferimento é mais pronunciado num enquadramento de adiamento do que num enquadramento de adiantamento; em perdas, o inverso acontece. Todas as anomalias foram verificadas. Avançamos uma explicação do efeito interactivo em termos de sensibilidade decrescente a diferimentos.<hr/>According to the normative model of intertemporal choice, the Discounted Utility Model (Samuelson, 1937), the utility of a future outcome is discounted exponentially as a function of its delay. There is ample evidence that people do not comply with this proposition. In this study, 280 subjects performed a matching task in order to verify a new anomaly to exponential discounting, as well as four well known anomalies in the literature: The delay effect, the magnitude effect, the sign effect, and the delay-speedup asymmetry. The new anomaly is an interaction between the framing, sign, and delay to the outcomes: In gains, the delay effect is more pronounced in the delay frame than in the speedup frame; in losses, the reverse occurs. All anomalies were verified. We advance an explanation of the interaction effect in terms of diminishing sensitivity to delays. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200002&lng=p&nrm=iso&tlng=p A escolha intertemporal tem estreita ligação com fenómenos que estão na ordem do dia, tais como comportamentos de poupança, consumo e investimento. Este estudo constituir-se-á como um avanço na compreensão da escolha intertemporal, na medida em que contempla contextos de escolha triádica (três opções) e não apenas de escolha diádica (duas opções), à qual se limitam a maior parte de estudos empíricos. Pela primeira vez, este estudo vem tentar compreender como a preferência entre opções é influenciada por outras opções no contexto de escolha. Os actuais modelos de escolha intertemporal, chamados modelos de desconto, não contemplam tais influências, uma vez que cada opção é avaliada independentemente das outras. Focamo-nos em efeitos de polarização, induzidos pela introdução de uma terceira opção ao leque de escolha e o enquadramento da terceira opção como a opção default. Os resultados confirmaram estes efeitos. Discutimos ainda como os modelos de desconto devem ser substituídos por outros modelos, em que as pessoas fazem comparações directas entre as opções. Os resultados também confirmaram fenómenos que até hoje têm sido acomodados pelos modelos de desconto: Os efeitos de diferimento, de magnitude e de sinal.<hr/>Intertemporal choice has a direct relation with phenomena that pertain to every-day life, such as saving, consumption, and investment behavior. This study advances our understanding of intertemporal choice, in that it considers triadic choice contexts (three options) and not only dyadic ones (two options), to which most empirical studies are limited. For the first time, this study tries to understand how the preference between options is influenced by other options in the choice context. Current models of intertemporal choice, the so-called discounting models, do not consider such influences, because each option is evaluated independently from the others. We focus on polarization effects, induced by the introduction of a third option to the choice set and the framing of the third option as the default option. The results confirmed these effects. We discuss how discounting models must be replaced by other models, in which people make direct comparisons between the options. The results also confirmed phenomena that until today have been accommodated by discounting models: The delay, magnitude, and sign effects. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200003&lng=p&nrm=iso&tlng=p Este estudo procura contribuir para a definição do conceito de trabalhador mais velho, através da identificação das idades que definem esta fase da vida. Explora ainda a possibilidade de este conceito ser definido com recurso a uma linha imaginária que recuará no tempo de modo a proteger a auto-estima e auto-imagem positiva. Participaram neste estudo 177 pessoas, com idades compreendidas entre os 17 e os 76 anos. A idade do trabalhador mais velho foi concebida como um intervalo, em que o limite inferior e superior foi aferido através de um questionário desenvolvido para o efeito. Os resultados apontam para que o trabalhador mais velho seja uma pessoa entre os 53 e os 65 anos de idade, sendo que essa categoria é atribuída a pessoas que se encontram numa fase transitória, perto do final da sua vida activa e da entrada na reforma. Os resultados mostram, por um lado uma correlação positiva baixa entre a idade dos participantes e o limite inferior da idade do “trabalhador mais velho”, e por outro, uma correlação negativa baixa entre a idade dos participantes e a amplitude do intervalo. Estes resultados sugerem que idade de entrada na categoria de trabalhador mais velho é definida por uma linha imaginária que vai recuando mediante o avanço da idade de quem a atribui.<hr/>The present study aims to contribute in the definition of older worker concept, through the identification of the ages that define this life’s stage. It also explores the possibility of defining this concept using an imaginary line that draws back through time, in order to protect self-esteem and a positive self-image. A sample of 177 persons participated in the present study, with ages between 17 and 76 years old. The older worker’s age was defined as an interval, whose limits were found using a questionnaire specially developed. The findings suggest that the “older worker” has between 53 and 65 years of age, and it is pointed to people that are in a transitory phase: close to end their active life and entering retirement. The results show, in one hand, a small positive correlation between participant’s age and the lower limit of “older worker”, and, on the other hand, a small negative correlation between participant’s age and the interval’s range. The results are consistent with the idea of an imaginary line that draws back through time, as the person gets older. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200004&lng=p&nrm=iso&tlng=p A diminuição da regulação normativa das trajectórias de transição para a vida adulta, nas sociedades da modernidade tardia, favoreceu o prolongamento da condição juvenil até ao final da terceira década de vida e a progressiva privatização e flexibilização dos percursos biográficos. As novas características das sociedades pós-industriais levaram à definição de novos conceitos e perspectivas no âmbito da Psicologia do Desenvolvimento, das quais se destaca a teoria da adultez emergente. Neste artigo discute-se a pertinência e a utilidade do conceito de idade adulta emergente enquanto período de desenvolvimento, interpretando-o à luz das dinâmicas de interacção entre agência individual e as condições que configuram a estrutura de oportunidades, para uma melhor compreensão do estatuto dos jovens na sociedade contemporânea. Procura-se, ainda, analisar a aplicabilidade das novas perspectivas de transição para a vida adulta ao contexto português, considerando que este período de exploração e experimentação é vivido pela maioria dos jovens no seio da família de origem, principal fonte de apoio num clima de crescente precariedade. Finalmente, estabelece-se uma comparação com a realidade brasileira, explorando semelhanças e diferenças entre os dois países.<hr/>In late modern societies, the normative regulation of life courses in the transition to adulthood has become more lenient, delaying the fulfillment of adult roles up to the end of the third decade of life, and thus creating the conditions for more flexible and private life trajectories. The transformations occurred in post-industrial societies lead to the emergence of new concepts and theories in the realm of Developmental Psychology, from which we selected the theory of emerging adulthood for further exploration and discussion. In this article, the importance and utility of emerging adulthood as a new developmental period is discussed, considering the dynamic interactions between personal agency and the macro-structures that allow a better understanding of young people’s status in post-modern societies. The characteristics of this theory are also explored in the light of Portuguese society, since emerging adulthood is mainly experienced inside the parental home, as family is the main source of support in an increasingly precarious environment. Finally, a comparison between the Portuguese and Brazilian reality is established, discussing the similarities and differences between both countries. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200005&lng=p&nrm=iso&tlng=p O presente estudo tem como objectivo identificar a prevalência da Síndrome de Burnout e a sua associação com os factores de risco psicossociais em 63 professores de escolas especiais da região central do Estado do Rio Grande do Sul/Brasil. Como instrumentos de pesquisa foram utilizados o Cuestionario para la Evaluación del Síndrome de Quemarse por el Trabajo - CESQT-PE, versão para professores, a Bateria de avaliação de riscos psicossociais e um questionário para as restantes variáveis. Os resultados obtidos evidenciam uma prevalência de 30,6% de professores que apresentam o Perfil 1 de Burnout, considerado como um nível moderado da síndrome e 14,3 % do Perfil 2, definido como uma forma mais severa de Burnout. O Perfil 1 associou-se ao aumento do conflito de papel e iniquidade e o Perfil 2 ao conflito de papel, sobrecarga de trabalho, iniquidade, insatisfação laboral e aos problemas de saúde.<hr/>The present study has the goal to identify the prevalence of Burnout Syndrome and its association to psychosocial factors in 63 teachers from special schools in the central region of Rio Grande do Sul, Brazil. The instruments used were the Cuestionario para la Evaluación del Síndrome de Quemarse por el Trabajo - CESQT-PE, an adapted version for teachers, the Battery for evaluating psychosocial risks, and a questionnaire for the other variables. Results show a prevalence of 30,6% of teachers who present Profile 1 in Burnout, considered a moderate level of the syndrome, and 14,3% present Profile 2, defined as the most severe form of Burnout. Profile 1 is associated to the increase of role conflict and inequity, while Profile 2 is associated to role conflict, work overload, inequity, work dissatisfaction, and health problems. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200006&lng=p&nrm=iso&tlng=p A presente investigação teve como objectivos analisar a importância relativa dos constructos de autoestima e de narcisismo e analisar a associação desses constructos com os comportamentos delinquentes auto-relatados pelos jovens. Recorrendo a 760 adolescentes de ambos os sexos divididos em grupo forense (n=250) e grupo escolar (n=510) foram feitas comparações relativamente aos dois constructos e foi elaborado um modelo de regressão múltipla tendo como variável dependente a delinquência auto-relatada. Os resultados indicam que o grupo forense se caracteriza por ter auto-estima baixa e narcisismo alto quando comparado com o grupo escolar, que a correlação entre os dois constructos é quase nula e que a variável narcisismo é a que mais contribui no modelo de regressão múltipla para a previsão da delinquência auto-relatada.<hr/>The purpose of the present study was to analyze the relative importance of the self-esteem and narcissism constructs and to assess the association between these constructs and self-reported criminal behavior. With a total of 760 youths of both sexes divided in a forensic sample (n=250) and a community sample (n=510), comparisons were made with respect to the two constructs and a multiple regression model was estimated having the self-reported delinquency as the dependent variable. The results indicate that the forensic sample is characterized as having low self-esteem and high narcissism when compared to the community sample, that the correlation between the two constructs is almost non-existing, and that narcissism is the variable that contributes the most to the prediction of self-reported delinquency. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312012000200007&lng=p&nrm=iso&tlng=p O presente artigo tem como objectivo apresentar algumas perspectivas etológicas acerca das primeiras relações entre pares. De inicio são discutidos os trabalhos da década de 70 sobre a hierarquia de dominância em crianças de idade pré escolar. De seguida é discutido o conceito de afiliação e em particular os estudos sobre a identificação das estruturas afiliativas em grupos de crianças no pré-escolar. Face às dificuldades encontradas com a interpretação dos sociogramas comportamentais é apresentado uma alternativa de identificar subgrupos de crianças com perfis de afiliação e a evolução deste tipo de metodologia. Finalmente, discutem-se possíveis pontes entre os conceitos de afiliação e dominância.<hr/>This article aims to present some ethological perspectives on early peer relationships. Firstly we discuss the research work of the 1970s about the dominance hierarchies in preschool-age children. Then we discussed the concept of affiliation and in particular the studies on how to identify affiliative structures in groups of children in preschool. Given the difficulties presented by the interpretation of behavioral sociograms an alternative method is presented to identify subgroups of children with affiliation profiles: the evolution of this methodology is described. Finally, we discuss the possible links between the concepts of dominance and affiliation.