Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120100001&lang=pt vol. 28 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Nota de Abertura</b>: <b>Psicologia e justiça</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Psicologia Social da Justiça</b>: <b>Fundamentos e desenvolvimentos teóricos e empíricos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretende-se com este artigo oferecer ao leitor uma revisão de literatura do que consideramos serem os principais desenvolvimentos teóricos e empíricos da Psicologia Social da Justiça. Para esta sistematização partimos das correntes teóricas na investigação da justiça identificadas por Tyler, Boeckman, Smith, e Huo (1997): a privação relativa, a justiça distributiva, a justiça procedimental, a justiça retributiva, tendo nós acrescentado a justiça reparadora (Braithwaite, 1999).<hr/>This paper intends to provide the reader with a literature review of what we consider to be the main theoretical and empirical developments of Social Psychology of Justice. In order to accomplish this systematisation we departed from the theoretical eras in justice research identified by Tyler, Boeckman, Smith and Huo (1997): relative deprivation, distributive justice, procedural justice, retributive justice, to which we added restorative justice (Braithwaite, 1999). <![CDATA[<b>Desigualdades na divisão do trabalho familiar, sentimento de justiça e processos de comparação social</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os estudos sobre a organização familiar mostram que, apesar do ingresso em massa das mulheres no mercado de trabalho, poucas mudanças ocorreram na divisão do trabalho familiar entre os cônjuges. Assim, as práticas familiares desiguais mantêm-se em sociedades baseadas numa ética igualitarista sem que, paradoxalmente, esse facto suscite um sentimento de injustiça. Esta constatação originou diversas tentativas de explicação, sendo uma delas que as comparações, selectivas, efectuadas pelas mulheres as levam a considerar a divisão desigual do trabalho familiar apropriada. O presente trabalho procura questionar esta explicação e mostrar que a maior parte das comparações entre homens e mulheres levam a avaliar comportamentos semelhantes de forma diferente, na medida em que esses comportamentos são ajustados aos papéis de género tradicionais e, logo, as suas avaliações assentam numa duplicidade de critérios. É proposto que a utilização de critérios idênticos para os julgamentos relativos às competências e aos papéis dos homens e das mulheres é uma condição indispensável para a justiça social.<hr/>The studies conducted on family organization have shown that, in spite of the mass entry of women into the labour market, there have been only few changes in the way spouses divide the family work. As a result, unequal family practices are maintained in societies based on an egalitarian ethics without, paradoxically, producing a feeling of injustice. This observation has been at the origin of several attempts of explanation, one of those being that the comparisons made by women are selective and lead them to view the unequal division of family work as appropriate. The present paper questions this explanation and attempts to show that most comparisons between men and women lead to evaluate similar behaviours in a different way, because they are adjusted to the traditional gender roles and thus rest on double standards. It defends that using identical criteria for the judgments of men and women’s competences and roles is an indispensable condition to achieve more justice in our society. <![CDATA[<b>A (in)justiça relativa da acção positiva- A influência do género na controvérsia sobre as quotas baseadas no sexo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Perante a sub-representação dos membros de alguns grupos minoritários e das mulheres, a nível mundial, em diversos órgãos de decisão, como é o caso da política, têm sido criadas medidas de acção positiva, com o objectivo de se promover a igualdade. Contudo, estas têm suscitado enorme controvérsia, dividindo opiniões. O presente artigo teórico pretende identificar, na literatura, as principais razões desta controvérsia, dando particular destaque à percepção de justiça. Propõe, como contributo para este debate, a articulação dos estudos de género com os da percepção da justiça (recorrendo às teorias da justiça distributiva, procedimental e da privação relativa), de modo a procurar elucidar alguns dos argumentos regularmente usados pelos detractores das medidas de acção positiva, como é o caso do argumento do mérito. Esta articulação revelou-se importante para uma melhor compreensão da controvérsia sobre as quotas baseadas no sexo e destinadas a promover a igualdade entre mulheres e homens.<hr/>Positive action measures have been created in order to promote equality in various decision-making contexts where some minority groups and women are typically under-represented worldwide. However, these measures have met great controversy between their opponents and proponents. Focusing on perceptions of justice, in this theoretical article we aim at reviewing the main reasons that the literature has found to explain this controversy. As a contribution to this ongoing debate, in our article we propose an articulation between gender studies and those on perception of justice (drawing on theories of distributive justice, procedural justice and relative deprivation), in order to clarify some of the arguments (e.g., the merit issue) regularly used by opponents to positive action measures. This articulation was crucial to a better understanding on the controversy over quotas based on sex that intend to promote equality between women and men. <![CDATA[<b>Reacções à injustiça no trabalho</b>: <b>Impacto da crença no mundo justo, dajustiça procedimental e da justiça distributiva</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As pesquisas anteriores apontam a crença pessoal no mundo justo (CMJ) como um recurso que ajuda as pessoas a assimilarem as injustiças da sua vida e portanto, a reagirem menos negativamente face a estas. O presente estudo examinou o impacto da crença pessoal no mundo justo na relação entre a (in) justiça procedimental e distributiva e as reacções a acontecimentos problemáticos no contexto de trabalho. Concretamente, pretendeu-se avaliar se a CMJ moderava essa relação. Foi aplicado um questionário a 84 professores de vários níveis de ensino, com idades entre os 24 e os 56 anos em que se lhes pedia que se imaginassem numa situação de (in)justiça procedimental e distributiva. No geral, os resultados mostraram que perante a injustiça procedimental os participantes que têm alta CMJ reagem mais positivamente (com mais paciência) comparativamente com os que têm baixa CMJ. Contudo, os participantes com CMJ alta reagiram à injustiça procedimental mais negativamente (negligência e voz agressiva) comparativamente com aqueles que tinham baixa CMJ. As implicações teóricas e práticas desta pesquisa são discutidas.<hr/>Previous research indicates the belief in a just world (BJW) is a resource which helps people assimilate injustice and therefore to react less negatively when they face it. The present study examined the impact of personal BJW on the relation between procedural and distributive (in) justice and the reactions to problematic events in the work context. Specifically, we tested whether BJW moderates this relation. Eighty-four teachers of various levels of education, aged between 24 and 56 years, answered to a questionnaire which asked them to imagine themselves in a situation of procedural and distributive (in)justice. Overall, the results showed that when facing procedural injustice, the participants with high BJW reacted more positively (with more patience) comparatively with those with low BJW. However, the participants with high BJW reacted to procedural injustice more negatively (neglect and aggressive voice) when compared with low BJW participants. Theoretical and practical implications of these findings are discussed. <![CDATA[<b>Julgamentos de justiça em contexto escolar e comportamentos desviantes na adolescência</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pesquisas no âmbito da justiça, nomeadamente no âmbito do modelo relacional da autoridade (Tyler & Lind, 1992) têm demonstrado que as pessoas quanto mais percepcionam as autoridades como justas mais as legitimam e mais adoptam comportamentos pró-activos face ao grupo. Nesta investigação partimos da hipótese de que os julgamentos de injustiça relativamente à autoridade escolar por parte dos adolescentes estão relacionados com os comportamentos desviantes na adolescência. Além disso, analisamos também a mediação da avaliação das autoridades institucionais na relação entre os julgamentos de justiça e os comportamentos desviantes. Os participantes foram 331 adolescentes, com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos. Os resultados mostraram que quanto mais positivos são os julgamentos de justiça acerca dos professores, no que respeita aos procedimentos utilizados e à qualidade da relação, menor é o envolvimento dos adolescentes em actos de desvio. Esta relação foi mediada pela avaliação da autoridade institucional e mostrou-se significativa mesmo controlando o efeito da idade e do género. Estes resultados evidenciam que a percepção que os adolescentes têm acerca da relação estabelecida com a autoridade escolar é um factor central na compreensão do desvio e que os julgamentos de justiça procedimental/relacional desempenham um papel relevante no desenvolvimento dessas relações.<hr/>Research in the justice field, namely in the field of the Relational Model of Authority (Tyler & Lind, 1992) have showed that the more people perceive authorities as fair, the more they legitimate those authorities and adopt pro-active behaviours towards the group. In this research our hypothesis is that adolescents’ perceptions of injustice about school authority are related with deviant behaviors in adolescence. We also analyze the mediation of the evaluation of institutional authorities in the relationship between justice perceptions and deviant behavior. Participants were 331 adolescents, aged between 12 and 18 years old. Results showed that as the adolescents’ justice judgments about teachers increase (in what regards the procedures used and the relationship’s quality), their involvement in deviant acts decreases. This relationship was mediated by the evaluation of institutional authority and it was significant even after controlling the effect of age and gender. These results indicate that adolescents’ perception of their relationship with school authorities is a key factor for understanding deviance, and that judgments about procedural and relational justice have an important role in the development of that relationship. <![CDATA[<b>A dinâmica da consistência moral</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O estudo inscreve-se na problemática da moralidade, centrando-se no problema da acção moral consistente. A mobilização de variáveis cognitivas e afectivas para a compreensão desta questão, e a operacionalização empírica da consistência no quadro das contribuições da abordagem desenvolvimental e estrutural da moralidade constituem traços centrais da pesquisa. Para a recolha da informação foi construído um questionário, o qual foi administrado a 156 participantes, dos 8º e 11º anos de escolaridade, rapazes e raparigas. Relativamente aos resultados confirmaram-se algumas das hipóteses colocadas, embora a sua interpretação não se apresente linear. Assim, a relação entre a cognição e a consistência apresentou-se positiva, mas fraca; já a relação entre a variável afectiva e a consistência apresentou-se igualmente positiva, mas mais confiável. Também o género parece contribuir para a variabilidade da consistência. Inteiramente não confirmadas foram as hipóteses sobre a contribuição da escolaridade na consistência, bem como o efeito mediador da satisfação perspectivada na relação entre a cognição e a consistência. Finalmente, a análise integrada da contribuição das variáveis preditoras na consistência mostrou que todas elas, com excepção da escolaridade, contribuem para explicar a variabilidade da consistência, aliás, mais do que qualquer uma delas isoladamente considerada.<hr/>The present study is based on a moral problem, and focus on the issue of consistent moral action. The mobilization of cognitive and affective variables for the understanding of this issue, and the empirical operationalization of consistency, within the frame of the contributions of a developmental and structural approach to morality, constitute central features of this research. In order to gather information a questionnaire was structured and applied to 156 8th and 11th grade boys and girls. The results have confirmed some of the formulated hypotheses, although their interpretation is not straightforward. The relationship between cognition and consistency presented a positive, however weak, result regarding the relationship between the affective variable and consistency, the latter being more reliable. Gender also seems to play a role in the consistency variability. The assumptions on the contribution of schooling to consistency, as well as the mediating effect of satisfaction, understood in the relationship between cognition and consistency, have not been confirmed. Finally, the integrated analysis of the contribution of predictor variables for consistency showed that all of them, with the exception of schooling, help to explain the variability of consistency, in fact, more than each one of them considered per se. <![CDATA[<b>Psicologia Forense em Portugal</b>: <b>Uma história de responsabilidades e desafios</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo traça os contornos gerais do desenvolvimento da psicologia forense em Portugal, primeiro enquanto ramo de um campo de saber mais vasto - o da Psicologia da Justiça ou Jurídica - e mais recentemente como disciplina autónoma que tem vindo a receber cada vez mais solicitações da parte das entidades judiciais. Neste sentido são apresentados dados da prática pericial forense da Unidade de Consulta de Psicologia da Justiça da Universidade do Minho, bem como resultados de investigações recentes que atestam a aceitação da prática da avaliação forense junto de magistrados judiciais. Face aos novos desafios e ao aumento de solicitações e reforçando a necessidade de uma postura ética que salvaguarde o desempenho profissional, o autor procede a algumas recomendações que devem nortear o trabalho do perito de psicologia forense.<hr/>This paper outlines the general features of forensic psychology in Portugal, firstly in a historical perspective and under the broader scope of Legal and Juridical Psychology, and more recently as an autonomous discipline which has been receiving more and more demands from the judicial field. Accordingly, data from the forensic practice held at the University of Minho’s Unit of Psychology of Justice are presented, along with results from recent research that states the acceptance and the importance of forensic evaluation for judicial magistrates. Concerning the new challenges posed by recent legal changes in Portugal and the continuous demands from the courts, the author emphasizes the ethic issues that should guide the work of the expert on forensic psychology, in order to safeguard his professional practice and social image. <![CDATA[<b>Risco psicossocial e psicopatologia em adolescentes com percurso delinquente</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Muitos dos estudos realizados no âmbito da delinquência juvenil tendem a dar suporte a uma conceptualização socio-ecológica da delinquência juvenil, a qual sugere que esta é multideterminada pela inter-relação recíproca e dinâmica das características do indivíduo e dos sistemas sociais chave (Agnew, 2003). Neste artigo, apresentamos os resultados de um estudo conduzido com o objectivo de identificar retrospectivamente, num grupo de adolescentes delinquentes, um conjunto de factores de risco psicossocial, tipologia do comportamento delinquente e história de risco ou adversidade psicossocial na infância. A investigação centrou-se ainda na compreensão da relação entre estes factores e indicadores de sintomatologia psicopatológica. O estudo integrou um total de 63 adolescentes abrangidos pela Lei Tutelar Educativa e os dados foram recolhidos na região sul do país. Como instrumentos de recolha de dados, foram utilizados o Índice Geral de Sintomas (IGS) do Brief Symptom Inventory e um questionário de caracterização construído com base na revisão da literatura sobre os indicadores de risco psicossocial para comportamento anti-social na adolescência, destacando-se a tipologia de risco psicossocial estabelecida por Born, Chevalier e Humblet (1997) e a taxonomia desenvolvimental do comportamento anti-social de Moffit (1993). Os resultados obtidos sugerem que os adolescentes cujos pais apresentam uma relação conflituosa tendem a apresentar um índice de sintomas psicopatológicos significativamente superior ao dos adolescentes cujos pais não revelam conflitos aparentes. No entanto, o relato de psicopatologia não parece ser significativamente superior nos jovens com indicadores de acontecimentos negativos na infância (separações de pais, ausência de figura paterna, institucionalizações, maus-tratos na infância, conflitos entre os pais). No presente artigo são discutidos os resultados obtidos, consideradas algumas limitações do estudo e efectuadas propostas de investigações futuras.<hr/>Several investigations on juvenile delinquency sustain a socio-ecological conceptualization of juvenile delinquency, which suggests that this trend is determined by a reciprocal and dynamic inter-relation of the individuals’ characteristics and their key social systems (Agnew, 2003). In this paper, we present the results of a study aimed at identifying retrospectively, in a group of juvenile delinquents, a set of psychosocial risk factors, patterns of anti-social behavior and previous events of risk or psychosocial adversity during infancy. The research has also focused on understanding the relationship between these factors and self-reported psychopathological symptoms. The study comprised a sample of 63 adolescents in the Portuguese Justice System for minors in judicial custody, and data were collected in the south of the country. To collect the required information we used the General Symptom Index (GSI) of the Brief Symptom Inventory, as well as a questionnaire designed for this study, based on literature review on psychosocial risk factors for antisocial behavior in adolescence, particularly, the typology of psychosocial risk established by Born, Chevalier, and Humblet (1997) and Moffit’s developmental taxonomy on adolescents’ anti-social behaviour (1993). The results suggest that adolescents whose parents have a clearly conflictual relationship tend to have an index of psychopathological symptoms significantly higher than those whose parents did not present apparent conflicts. However, the report of psychopathology is not significantly higher in people with indicators of negative events in childhood (separation from a parent, absence of a father figure, institutionalization, child abuse, conflict between parents). <![CDATA[<b>Perturbação mental e ideação suicida entre reclusos preventivos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A presente investigação tem dois objectivos: (1) Analisar a incidência de ideação suicida e de perturbação emocional numa amostra de 66 presos preventivos de um estabelecimento prisional central em dois momentos, durante a primeira semana de reclusão e após seis meses de cumprimento da pena, e nesse mesmo período de tempo; (2) explorar o grau de perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica em dois grupos de reclusos, reclusos com ideação suicida (Grupo CIS) e reclusos sem ideação suicida (Grupo SIS). A ideação suicida foi avaliada através do Questionário de Ideação Suicida enquanto o Inventário de Sintomas Psicopatológicos permitiu avaliar a perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica associada. Os resultados deste estudo permitem verificar que a incidência de ideação suicida se mantém estável ao longo dos primeiros seis meses de reclusão, enquanto a incidência de perturbação emocional diminui significativamente nesse mesmo período de tempo. A divisão da amostra em dois grupos, permitiu verificar que o Grupo CIS apresenta níveis de perturbação emocional significativamente superiores ao observado no Grupo SIS, particularmente sintomatologia psicopatológica depressiva, ansiosa, psicótica e hostil e, enquanto o Grupo CIS praticamente mantêm os mesmos níveis de perturbação emocional ao longo dos primeiros seis meses de reclusão, o Grupo SIS demonstra uma enorme diminuição nos níveis de perturbação emocional. Concluindo, a ideação suicida encontra-se fortemente associada à perturbação mental, nomeadamente à sintomatologia depressiva, ansiosa, psicótica e hostil. Nos reclusos com ideação suicida a perturbação mental apresenta um carácter disposicional, mantendo-se praticamente constante ao longo da execução da pena, enquanto nos reclusos sem ideação suicida apresenta carácter reactivo, diminuindo após seis meses de reclusão.<hr/>This study has two mainly purposes: (1) Analyze the incidence of suicide ideation and psychological distress in 66 remanded prisoners in a central prison of Portugal in two moments, during the first week of imprisonment and after six months, and, in this same period of time; (2) explore the degree of emotional distress and type of psychological distress in two groups, prisoners with suicidal ideation (CIS) and without suicidal ideation (SIS). Suicide ideation was measured with the Suicidal Ideation Questionnaire and psychological distress with the Brief Symptom Inventory. Our results show that the incidence of suicidal ideation is mainly the same through the first six months of imprisonment, while the incidence of psychological distress significantly decreases in the same period of time. Dividing our sample in two groups, we can see that compared with the SIS group, the CIS group has a highly significantly level of psychological distress, particularly depressive, anxious, psychotic and hostile distress and, while the CIS group mainly maintain the same levels of psychological distress through the first six months of imprisonment, the SIS group shows a highly reduction in the levels of psychological distress. In conclusion, suicidal ideation is highly associated with psychological distress, namely depressive, anxious, psychotic and hostile distress. In prisoners with suicidal ideation, psychological distress presents itself like a dispositional character, keeping generally constant during imprisonment, while in prisoners without suicidal ideation presents itself like reactive character, diminishing after six months of imprisonment. <![CDATA[<b>Incidentes críticos na Polícia Judiciária</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo foca os incidentes críticos no contexto de trabalho da investigação criminal na Polícia Judiciária. O objectivo do estudo é caracterizar os incidentes críticos, os sintomas vivenciados pelos profissionais e delinear uma intervenção concertada. Foram efectuadas 255 entrevistas, utilizando o Questionário de Incidentes Críticos para a Polícia de Investigação Criminal (Manuel & Soeiro, 2009). A maioria dos participantes descreve como incidentes críticos situações que envolveram diligências operacionais, armas de fogo, indivíduos difíceis, situações em que a percepção do sofrimento humano se evidencia e acidentes de viação. Salientam-se os sintomas a nível cognitivo, emocional e físico. A alteração das políticas organizacionais, a intervenção da psicologia e a fomentação do apoio social foram apresentadas como sugestões para minimizar os efeitos dos incidentes críticos.<hr/>The aim of this research is to identify and characterise the main critical incidents experienced by the Portuguese criminal investigation police officers and the related stress reactions, to organise a critical incidents intervention program to support those police officers. The data was collected using the Critical Incidents Questionnaire for Criminal Investigation Police (Manuel & Soeiro, 2009) through 255 individual interviews. The participants described two critical incidents involving operational work, firearms, difficult/violent individuals, evident human suffering and car accidents. Participants identify as symptoms, cognitive, emotional and physical reactions. Changes in the organisational policy, psychological intervention and increase social support were suggested to avoid critical incidents impact. <![CDATA[<b>Stresse ocupacional em forças de segurança</b>: <b>Um estudo comparativo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho compara a experiência de stresse ocupacional em dois grupos de segurança portugueses, um a exercer em contexto público (n=95) e outro em contexto prisional (n=237). Para tal, utilizámos um protocolo de avaliação com medidas do stresse global, “burnout”, comprometimento organizacional, satisfação com a vida, satisfação profissional e desejo de abandonar a profissão. Os indicadores de fidelidade e validade dos instrumentos foram muito aceitáveis. Os resultados de “burnout” por dimensão apontaram níveis apreciáveis de exaustão emocional (valores a oscilar entre os 12% e os 26%), seguidos do cinismo (valores entre 8% e 21%) e do baixo sentimento de eficácia profissional (valores entre 3% e 8%) (apenas um participante registou valores de “burnout” nas três dimensões, em simultâneo). A análise comparativa entre os grupos demonstrou que os profissionais de segurança prisional evidenciaram experiências profissionais mais negativas (e.g., maiores níveis de “burnout” e desejo de abandonar a profissão e menores níveis de comprometimento organizacional, satisfação com a vida e satisfação profissional). No final, os autores discutem os factores que podem ajudar a perceber estas diferenças e possíveis implicações para a investigação futura.<hr/>This work analyzes occupational stress in two groups of security officers, one working in a public context (n=95) and the other one working in a prison context (n=237). We applied an evaluation protocol with measures of global stress, burnout, organizational commitment, satisfaction with life, professional satisfaction and desire to leave the profession. The fidelity and validity of the instruments were very acceptable. The results of burnout pointed out a remarkable frequency of emotional exhaustion (values between 12% and 26%) followed by cynicism (values between 8% and 21%) and low professional effectiveness (values between 8% and 21%) (only one participant showed burnout values in the three dimensions simultaneously). Comparative analysis between groups showed that correctional officers had more negative working experiences (e.g., higher levels of burnout and desire to leave the profession and lower levels of organizational commitment, satisfaction with life, and professional satisfaction). The possible factors that contribute to these results are discussed as well as the implications to future research. <![CDATA[<b>Avaliação de risco de violência conjugal</b>: <b>Versão para polícias (SARA: PV)</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objectivo da presente investigação é adaptar a checklist Avaliação de Risco de Violência Conjugal: Versão para Polícias (SARA: PV, Kropp, Hart, & Belfrage, 2005) para a população portuguesa. Este instrumento avalia o risco de violência conjugal, identificando os factores que estão associados ao risco reincidência da violência. Os instrumentos utilizados foram o SARA: PV e o Conflict Tactics Scale (CTS, Straus, 1979), na versão portuguesa. A amostra foi recolhida pela GNR e pela PSP. Participaram 87 vítimas de violência conjugal. Os resultados mostram que os factores de risco associados à história de violência conjugal estão mais presentes do que os associados ao ajustamento psicossocial. Os agressores com história de violência conjugal apresentam resultados mais elevados nos resultados do SARA: PV. Os resultados mostram, ainda, correlações significativas e positivas entre ambos os instrumentos, indicando boas qualidades psicométricas na sua adaptação à população portuguesa.<hr/>The purpose of this research is to adapt The Brief version of Spousal Assault Risk Assessment (Kropp, Hart, & Belfrage, 2005) known by B-SAFER or SARA: PV to Portuguese population. The main goal is to introduce a systematic, standardized and practically useful framework for gathering and analyzing information to help the making decisions process about spousal assault risk assessment. The domestic violence teams from GNR and PSP used the SARA: PV and the Conflict Tactics Scale (CTS, Straus, 1979) into 87 cases of domestic violence in Lisbon. The results show us that the risk factors related with spousal assault history are more present than psychosocial adjustment. The offenders with a spousal assault history have higher results in the outcome of SARA: PV. We can identify positive and significant correlations between the two tools. It was concluded that reliability and validity levels were good for Portuguese population. <![CDATA[<b>Sugestionabilidade interrogativa em crianças de 8 e 9 anos de idade</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Para estudar a influência das variáveis idade, inteligência, memória, ansiedade geral e desejabilidade social na sugestionabilidade avaliaram-se crianças de 8 e 9 anos de idade com o Bonn Test of Statement Suggestibility (BTSS). Em 145 crianças averiguou-se o efeito das variáveis memória e inteligência não verbal e, numa subamostra de 74 crianças, para além das variáveis referidas, considerou-se também a inteligência verbal, ansiedade geral e desejabilidade social. As crianças de 8 anos são mais sugestionáveis do que as crianças mais velhas. No grupo dos 8 anos, aquelas com melhores desempenhos ao nível da inteligência não verbal (medida pelas Matrizes Progressivas Coloridas de Raven - MPCR), e na evocação da história do BTSS são menos sugestionáveis comparativamente às crianças com piores desempenhos nestas provas. De modo análogo, as crianças com 9 anos são tanto mais sugestionáveis quanto piores os desempenhos nas MPCR, evocação da história do BTSS e subtestes informação, vocabulário e aritmética da WISC-III. As crianças deste grupo etário que apresentam desejabilidade social elevada (avaliada pela RCMAS) são também mais sugestionáveis. Estes resultados são discutidos considerando a sua relevância para o âmbito forense.<hr/>To study the influence of the variables age, intelligence, memory, general anxiety and social desirability in suggestibility, 8 and 9-year-old children were assessed using the Bonn Test of Statement Suggestibility (BTSS). The effect of the variables memory and non-verbal intelligence was studied in 145 children while, in a subsample of 74 children, the variables verbal intelligence, general anxiety and social desirability were also taken into account besides the ones previously referred to. Eight-year-old children are more suggestible than older children. In the eight-year-old group, those with better performances in non-verbal intelligence (measured by Raven’s Coloured Progressive Matrices - RCPM), and in the BTSS story recall are less suggestible compared to the children with worse performances in these tests. Similarly, the worse the performance achieved by nine-year-old children in RCPM, in the BTSS story recall and in the subtests of information, vocabulary and arithmetic of WISC-III are, the more suggestible they are. The children belonging to this age group who show high social desirability (evaluated by RCMAS) are also more suggestible. These results are discussed according to its relevance in the scope of the forensic field. <![CDATA[<b>Avaliação da simulação ou esforço insuficiente com o Rey 15-Item Memory Test (15-IMT)</b>: <b>Estudos de validação em grupos de adultos idosos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A crescente evidência da possibilidade de desempenhos enganosos ou fraudulentos em contexto de exame neuropsicológico forense, incluindo casos envolvendo adultos idosos (por exemplo, determinação de incapacidade ou pedidos de reforma antecipada), torna imperativa a inclusão de medidas específicas de simulação e esforço insuficiente nos protocolos de avaliação. O Rey 15-Item Memory Test (15-IMT) é um dos testes mais utilizados neste âmbito. Contudo, apesar de se reconhecer que o efeito de tecto subjacente ao desenvolvimento dos testes de esforço insuficiente pode não resultar do mesmo modo em pessoas com doença mental ou demência, grupos de adultos idosos com determinadas condições clínicas, como as perturbações neurodegenerativas, são habitualmente excluídos dos estudos de validação. Pretendemos analisar o desempenho de diferentes grupos de adultos idosos (Saudáveis, com Problemas Cognitivos e com Depressão), contrapondo a um grupo de jovens adultos (Controlo), com o objectivo de examinar a validade dos resultados e necessidade de distintos pontos de corte nesta prova. Os resultados obtidos apontam para uma excelente especificidade do ponto de corte de <9 no Ensaio de Evocação Imediata e <20 no Resultado Combinado do Reconhecimento no grupo de jovens adultos. Contudo, estes mesmos pontos de corte não são aplicáveis em amostras de adultos idosos, sugerindo a sua inadequação para analisar os desempenhos de pessoas com défices verdadeiros ou mesmo de idosos sem problemas cognitivos.<hr/>The growing evidence of the possibility of fake or manipulated performance in forensic neuropsychological assessment context, including cases involving older adults (e.g., disability determinations or early retirement requests), requires assessing specifically insufficient effort or malingering. The Rey 15-Item Memory Test (15-IMT) is one of the most commonly used instruments in this context. It must be acknowledging that the ceiling effect behind the development of insufficient effort or malingering tests may not result in the same way in people with mental illness or dementia, groups of older adults with certain medical conditions, such as neurodegenerative disorders, who are also usually excluded from validation studies. Therefore, we will analyze the performance of different groups of older adults in this test (Healthy, with Cognitive Problems and with Depression), in comparison with a group of young adults (Control), with the aim of examine its validity and the value of different cut off points. The results indicate excellent specificity of the cut off <9 in Immediate Recall and <20 in the Combined Result of the Recognition in the group of young adults. However, the same cut off points are not applicable in samples of older adults, suggesting that they are not adequate for analyzing the performance of people with real deficits or even elderly people without cognitive problems. <![CDATA[<b>O <i>estado de arte </i>do conceito de psicopatia</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo tem como objectivo efectuar uma análise do conceito de psicopatia, tendo presente a sua evolução e as principais questões que se colocam na sua relação com o estudo do comportamento criminal. São analisados os principais indicadores que caracterizam as perspectivas clínica, categorial, tipológica e dimensional do conceito de psicopatia, assim como os principais aspectos que as diferenciam. No final do artigo é discutido o impacto, quer em termos teóricos quer empíricos, dos aspectos que são defendidos como centrais, na definição de psicopatia, para cada uma das abordagens apresentadas.<hr/>The aim of this article is to make an analysis of the concept of psychopathy, bearing in mind the implication of the concept in the study of criminal behaviour. We analyze the most important factors that characterize the several perspectives related with the conceptualization of psychopathy: the clinical, categorical, typological and dimensional perspectives of the concept. Is also discussed the impact, both theoretical and empirical, of the aspects that are defined as essential in the definition of psychopathy, for each of the approaches presented.