Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120080002&lang=pt vol. 26 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Factores de risco relacionados com as várias fases da “carreira” de fumador</b>: <b>Implicações para a prevenção</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O maior risco que os jovens correm quando começam a fumar é o de ficar dependentes do tabaco, muitas vezes para a vida inteira, expondo-se a um risco imediato e futuro de contrair doenças graves. Tem-se verificado, nos últimos anos, um aumento da prevalência do consumo de tabaco nos jovens dos dois sexos, particularmente nas raparigas. Determinar os factores de risco relacionados com o consumo experimental, ocasional e regular de cigarros. Aplicou-se um questionário a uma amostra de 330 alunos, dos quais 173 (52%) eram rapazes e 157 (48%) raparigas. A média de idades é de treze anos. A maioria dos alunos da amostra começou a fumar por volta dos onze anos de idade, sendo a escola o principal local de iniciação. Factores individuais (curiosidade, baixa assertividade, etc.), micro sociais (consumo de tabaco dos pais e dos amigos) e ambientais (facilidade em adquirir cigarros), entre outros, estão relacionados com as várias fases da “carreira de fumador”. Tratando-se de um comportamento multifactorial, é necessário desenvolver e implementar estratégias abrangentes, destinadas a contrariar o conjunto de factores de risco relacionados com o tabagismo, de forma contínua, para evitar que os/as jovens comecem uma prejudicial carreira de fumadores/as.<hr/>The biggest risk that young people face when they start to smoke is to become addicted to tobacco, often for their whole life, exposing themselves to an immediate and future risk of contracting serious diseases. There has been, in recent years, an increasing prevalence of tobacco use in young people of both sexes, particularly in girls. To determine the risk factors associated with the experimental, occasional and regular consumption of cigarettes. A questionnaire was applied to a sample of 330 students, of whom 173 (52%) were boys and 157 (48%) girls. The average age is 13 years. The majority of the sample students began smoking at around 11 years of age, being the school the main place of initiation. Individual factors (curiosity, low assertiveness, etc.), micro social (the smoking of parents and friends) and environmental (ease in buying cigarettes), among others, are related to the various stages of the “career of smoking”. Being a multifactorial behaviour, it is necessary to develop and implement comprehensive strategies, to counteract the set of risk factors related to smoking in a continuous way, in order to prevent young people from starting a damaging career of smokers. <![CDATA[<b>Hábitos tabágicos dos pais de alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico</b>: <b>Implicações para a intervenção</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A evidência de que a exposição ao Fumo Ambiental do Tabaco (FAT) é prejudicial para a saúde, em todas as fases da vida do ser humano, particularmente na infância, é consistente, robusta e consensual. Os principais responsáveis pela exposição das crianças ao fumo ambiental do tabaco no domicílio são os pais. Os objectivos deste artigo são: 1) Caracterizar os hábitos tabágicos dos pais/mães dos alunos; 2) Determinar a prevalência de pais/mães, que fumam no domicílio; 3) Identificar alguns factores sócio-demográficos relacionados com o consumo de tabaco no domicílio; 4) Relacionar as opiniões dos pais/mães da amostra, relativamente ao tabagismo activo e passivo, com os hábitos tabágicos. O estudo realizou-se no final do ano lectivo de 2006/2007, consistindo na aplicação de um questionário anónimo de auto preenchimento a uma amostra constituída por um total de 515 pais (272 mães e 243 pais), de alunos com idades entre sete e dez anos. São elevadas as percentagens de pais fumadores que fumam em casa, pondo em risco a sua saúde e dos conviventes, especialmente a dos seus filhos. Este estudo mostra a necessidade de todos os que lidam com pais fumadores ajam, no sentido de proteger as crianças desta agressão.<hr/>The evidence that exposure to Environmental Tobacco Smoke (ETS) is health damaging, in all stages of human life, particularly during childhood, is consistent, strong and has consensus. The main responsible for child exposure to environmental tobacco smoke at home are the parents. The goals of this paper are: 1) To determine the prevalence of the sample students’ fathers/mothers who smoke at home; 2) To identify some social-demographical factors related to tobacco consumption by the students’ fathers/ mothers, at home; 3) To relate fathers/mothers’ opinion regarding active and passive smoking with their tobacco consumption. The study took place in the end of the 2006/ 2007 school year, consisting on the application of a self-filling anonymous questionnaire to a sample of 515 parents (272 mothers and 243 fathers), parents of students aged between seven and ten years old. The main conclusion that can be drawn from this study is that there is a high percentage of smoking parents who smoke at home, putting their health and the health of the ones who live with them at risk, especially their children. This study shows the need for everyone who deals with smoking parents (paediatricians, family doctors, teachers, etc.) to act accordingly to protect children from this aggression. Implications for action are discussed. <![CDATA[<b>O consumo de tabaco numa instituição universitária</b>: <b>Prevalência e características do fumador</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O tabagismo tem-se revelado como um grande inimigo da saúde pública e concomitantemente como um dos comportamentos mais difíceis de mudar. Muitos fumadores adquirem uma dependência fisiológica da nicotina associada ao “hábito” o que pode provocar uma síndrome de abstinência difícil de ultrapassar. Os processos neurobiológicos da nicotina têm vindo a ser amplamente estudados e tornando-se parcialmente responsáveis pelas reduzidas taxas de cessação a longo prazo nos estudos publicados. Considerando o passado recente da restrição ao tabagismo em Portugal (2008) e dado que a FPCE-UP foi considerada livre de fumo dois anos antes, foram propostos os seguintes objectivos para este artigo: analisar a prevalência na referida instituição; caracterizar o fumador quanto ao número de cigarros fumados e anos de fumador através da UMA; comparar fumadores que já tiveram períodos de abstinência com outros fumadores que nunca tentaram deixar de fumar quanto ao número de cigarros e anos de fumador; e comparar ex-fumadores com fumadores que já estiveram abstinentes quanto ao tempo de abstinência conseguida e número de tentativas. Partindo da análise de conteúdo de questões abertas foram ainda delineados os seguintes objectivos de natureza qualitativa: identificar as razões que mantêm os ex-fumadores abstinentes; identificar sintomas de abstinência nos fumadores que já estiveram sem fumar; identificar os motivos que levaram os fumadores a tentar deixar de fumar em algum período das suas vidas e, por último, identificar os motivos da recaída. Os questionários foram enviados via Internet à população da instituição (alunos, docentes e funcionários), tendo-se obtido uma amostra total de 289 sujeitos respondentes. Foram encontradas taxas de prevalência de fumador mais elevadas que as referenciadas noutros estudos em Portugal (29,4%), sobretudo no que se reporta, ao género (Masculino: 44,4%; Feminino: 27,3%) e situação (docente: 30%; aluno: 28,6%). A caracterização do fumador revelou o índice da UMA de 6,9. Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os fumadores que já deixaram de fumar e os sempre fumadores quanto ao padrão de fumo. Observámos diferenças estatisticamente significativas entre ex-fumadores e fumadores que já deixaram de fumar quanto ao tempo de abstinência conseguida, mas não quanto ao número de tentativas. Constatámos que 88,5% dos ex-fumadores referenciaram sentir-se melhor por ter deixado de fumar, apontando benefícios imediatos na saúde. Um outro dado interessante referido por 50% de respondentes do mesmo grupo foi a sensação de liberdade/auto-controlo sentida por terem deixado de fumar. Entre os fumadores que já tentaram deixar de fumar 74% relataram síndrome de abstinência em mais que uma categoria, sendo as perturbações de humor (81,2%) a principal queixa, seguida de sintomas psicossomáticos (37,5%). As razões apontadas pelos fumadores para terem tentado deixar de fumar foram informação sobre os malefícios do tabaco (60%), seguindo-se os motivos de doença (28%). Entre aos motivos apontados na base da recaída salientam-se os sintomas incómodos que não passaram com o tempo (52%) e, em menor escala, o prazer (24%) e a pressão social (24%). Os resultados foram discutidos à luz das teorias actuais de intervenção na dependência tabágica.<hr/>Cigarette smoking has been considered one of the great enemies to public health, as well as one of the hardest to change human behaviors. For many smokers, the association between the physiological nicotine dependence and the habit of smoking makes it harder to overcome the abstinence symptoms. It has been widely investigated the partial contribution of neurobiological processes of nicotine dependence to the reduced rates of long term smoking cessation found in longitudinal studies. Considering the smoking restriction policy that has been adopted for the last two years in the Faculty of Psychology and Sciences of Education of the University of Oporto, in Portugal (FPCE-UP) and which was implemented nationwide only recently (in 2008), the present study aimed at: analyzing the prevalence of smoking in this institution; characterizing the smokers’ sample as to the number of cigarettes smoked and duration of smoking habits through cigarette pack-years (CPY); comparing former smokers to current smokers who were abstinent for some period in the past, as to the maximum abstinence time and number of cessation attempts. The content analysis of open questions lead to the formulation of more qualitative objectives: to identify the reasons why former smokers have maintained abstinent; to identify the abstinence symptoms felt by current smokers who stopped smoking sometime in the past; to identify the smokers’ motives for smoking cessation attempts at some period in their lives; and, finally, to identify the motives for relapse. The questionnaires were administered via the Internet to the universe of students, teachers and staff of FPCE-UP. A total sample of 289 subjects was obtained. Higher prevalence of cigarette smoking (29,4%) was found, comparatively with other Portuguese studies, mainly in what concerns distribution by gender (Men: 44%; Women: 27.3%) and institutional situation (teacher: 30%; student: 28.6%). The smokers’ characterization revealed a CPY of 6.9. No significant statistical differences were found between current smokers who were abstinent for some time and smokers who were never abstinent as to the smoking patterns. Significant statistical differences were found between former smokers and current smokers who were abstinent for some time, as to the maximum abstinence time achieved, but not as to the number of cessation attempts. 88.5% of former smokers mentioned feeling better after having quit smoking, pointing out immediate health benefits. An interesting result was that 50% of the same group mentioned a sense of freedom and/or self-control after having quit smoking. Among the current smokers who have already tried quitting, 74% describe abstinence symptoms in more than one category, being mood disturbances (81.2%) and psychosomatic symptoms (37.5%) the more frequent complaints. The main motives pointed out by smokers for having tried to quit smoking were: information regarding the prejudicial effects of tobacco (60%) and illness (28%). As far of the motives for relapse are concerned, 52% pointed out the persistence of unpleasant symptoms, 24% the pleasure of smoking and 24% social pressure. Results were discussed according to current theoretical models of intervention in nicotine dependence. <![CDATA[<b>Psicologia Pediátrica e seus desafios actuais na formação, pesquisa e intervenção</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo visa apresentar os desafios actuais da psicologia pediátrica no âmbito da formação, pesquisa e intervenção. Após breve resgate histórico das diferentes áreas que se conjugam na psicologia pediátrica, enquanto campo teórico-científico, analisa-se a formação nessa área, observando-se o constante processo de “desconstrução de saberes tradicionais”, não os renegando enquanto conhecimentos já instituídos cientificamente, mas integrando-os na intervenção e ou pesquisa, a partir das demandas que se impõem ao profissional no contexto infantil. Nessa perspectiva, aponta-se a necessidade do mesmo desenvolver, durante sua formação, as habilidades e competências necessárias para actuar de forma contextualizada com crianças, suas famílias e equipe de saúde. Assim as acções do profissional de psicologia pediátrica devem ser necessariamente orientadas pelos pressupostos da humanização, integralidade e promoção da saúde, visto que não se concebe mais a dissociação das acções da esfera físico-mental-social, no atendimento à saúde infantil.<hr/>The present article aims to present the current challenges of pediatric psychology in the scope of the training, research and intervention. After a brief historical description of the different areas that are gathered in pediatric psychology as a theoretical-scientific field, we analyze the training of professionals in this area, observing the constant process of de-constructing traditional knowledge though not denying it as instituted scientific knowledge, and integrating it in the intervention and or research to respond to the challenges that are faced by the professional in the pediatric context. From this perspective, we point out the necessity to develop the abilities and competencies needed to the intervention with children, their families and the health team. The actions of the pediatric psychologist must necessarily be endorsed by the goals of humanization, integrity and the promotion of the health, since, in pediatric health intervention the dissociation of interventions directed toward the physical, mental and social sphere is not any long accepted. <![CDATA[<b>A consulta no setting odontopediátrico</b>: <b>A percepção subjectiva do medo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As investigações recentes sugerem que a percepção subjectiva da crianças da sua visita ao dentista pode ter um impacto mais determinante em termos do medo/angústia face à consulta odontopediátrica, do que o tipo de tratamento recebido ou a patologia dentária subjacente. As técnicas projectivas revelam-se úteis para uma melhor compreensão do medo e angústias da criança face ao tratamento dentário, uma vez que permitem o acesso a informação dificilmente disponibilizada de outra forma de avaliação. O estudo aqui apresentado tem como objectivos avaliar: o medo dentário da criança e o comportamento manifestado durante a consulta. Assim, 166 crianças em idade escolar (5-12 anos) foram avaliadas após a consulta no dentista. Utilizou-se o teste Children’s Dental Fear Picture (CDFP, Klingberg & Hwang, 1994). Foram identificados três perfis de crianças, designados por “com medo”, “sem medo” ou “ambíguo”. Analisou-se também a relação com a idade e o número de consultas anteriores no dentista. Constata-se que medo dentário e comportamento durante a consulta necessitam ser abordados como entidades diferentes. O estudo realizado aponta para a necessidade da criação de instrumentos lúdico-pedagógicos no setting de consulta com a criança.<hr/>Recent investigations suggest that the child’s subjective perception regarding the act of visiting the dentist has a more determining impact on dental care fear and anguish than the type of dental care procedure s/he may experience during the appointment or the pathology s/he may be suffering from. Projective techniques are of special interest for purposes of better understanding child dental fear, particularly child’s anguishes and fears. The present study assesses: (i) child dental fear and child’s behavior during the visit to the dentist. One hundred and sixty six school children (aged between 5-12 y.o.) were tested after visiting the dentist. Dental fear was assessed using the Children’s Dental Fear Picture test (CDFP), each child falling under one of three categories: “fearful”, “not fearful” or “uncertain”. Furthermore, an analysis was conducted on relation to age and the number of previous visits to the dentist. Dental fear and behaviour during the visit to the dentist should be considered as different entities. This study points toward the need of developing ludic-pedagogical instruments for use in medical settings involving children. <![CDATA[<b>A saúde do adolescente</b>: <b>O que se sabe e quais são os novos desafios</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Nos últimos trinta anos, a comunidade académica escreveu muito sobre os adolescentes, os seus problemas e a sua relação com os actores e contextos relevantes das suas vidas. A partir dos finais dos anos 1990, uma revolução social associada ao “boom” das novas tecnologias de informação e comunicação trouxe um novo desafio aos pais e aos profissionais de saúde e da educação, a quem no início os anos 1970 se pedia abertura, diálogo, interacção participada.<hr/>During the past thirty years the academic community has been writing a lot about adolescents, their problems and their relationship with relevant actors and contexts of their lives. Since the end of the nineties, the social revolution associated with the “boom” of new technologies of information and communication brought a new challenge to parents and to health and education professionals, from whom openness, dialogue and a participative interaction was demanded during the seventies. <![CDATA[<b>Promoção do bem-estar na adolescência</b>: <b>Impacto do estatuto socio-económico e do estatuto migrante</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente trabalho visa compreender e caracterizar os factores e estratégias promotoras do bem-estar subjectivo em adolescentes migrantes oriundos dos PALOP, através da perspectiva dos adolescentes e dos técnicos de intervenção. Foi utilizada uma abordagem qualitativa, grupos focais ou grupos de discussão centrados no tema, especificamente, o bem-estar subjectivo nos adolescentes migrantes e intervenção que é realizada neste âmbito. Foram realizados 8 grupos, 26 adolescentes divididos em 4 grupos e outros 4 grupos com um total de 22 técnicos. Foi efectuada uma análise de conteúdo dos discursos dos participantes, e para cada categoria e cada sub-categoria identificada foram apresentados exemplos ilustrativos do discurso dos adolescentes e dos técnicos. Os resultados realçam essencialmente, a necessidade de actividades alternativas de ocupação de tempos livres dentro e fora da escola, envolvimento mais activo e participação mais adequada e competente por parte dos pais, profissionais e adolescentes. Estas propostas remetem para a necessidade de uma intervenção conjunta e ecológica entre os vários actores e nos diversos contextos socio-económicos e culturais.<hr/>The present study aims to identify and to characterize the strategies used in order to promote subjective wellbeing in adolescents that come from abroad (PALOP), according to adolescents’ perspectives and professionals’ perspectives were also analysed and discussed. A qualitative method was used in order to collect data. A “focus group” or discussion groups based in specific issue was used to collect information and to contextualize, to highlight and to interpret the knowledge obtained through literature. Eight focus groups were carried out: four groups with adolescents; and four groups with professionals. Participants speeches were analysed by using a content analyse procedure. The results highlighted from one side the need of alternative activities to spend leisure time inside and outside school. On another hand results suggested the need for active involvement from parents, adolescents and professional and the need for a more skilled/competent participation from education professional. Those proposals indicate the need of a global intervention, framed by an ecological approach involving all actors and several socio economic and cultural contexts. <![CDATA[<b>Adaptação experimental da Escala de Queixas Subjectivas de Saúde para a população portuguesa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este estudo teve como objectivos a tradução e adaptação experimental da escala de queixas subjectivas de saúde (Eriksen, Ihlebaek, & Ursin, 1999), e a caracterização destas queixas na população portuguesa. A investigação desenvolveu-se em dois momentos: estudo piloto com 45 participantes e estudo definitivo com 1113 participantes. As correlações teste - re-teste são satisfatórias para a quase totalidade dos itens. Após a análise de componentes principais foi definida uma solução com 23 itens, distribuídos em cinco factores que explicam 50% da variância total. Os valores de consistência interna revelaram-se elevados nas sub-escalas e na escala total, quer no estudo piloto quer no definitivo. Estes resultados são congruentes com os encontrados pelos autores da escala original e sugerem que esta escala contribui para alargar o leque de variáveis que podem influenciar os comportamentos relacionados com a procura de cuidados de saúde da população portuguesa.<hr/>The aim of this study was to develop a Portuguese version of the subjective health complaints scale (Eriksen, Ihlebaek, & Ursin, 1999), in order to study what is the nature and structure of these complaints in a Portuguese sample. The study was developed in two stages: (1) a pilot study with 45 participants and (2) a study with 1113 participants, recruited from different working environments across the country. The test-retest correlations are good for the majority of the items. The principal component analysis produced a 23-item solution in five factors, explaining 50% of the total variance. The internal consistency was high in all the subscales and in total scale, both in the pilot study and in the larger study. These results are consistent with those found by the authors of the original scale, and suggest that this measure will enhance the scope of variables that can influence health care behaviour of the Portuguese population. <![CDATA[<b>Questionário de Avaliação da Qualidade de Vida para adolescentes com Diabetes Tipo 1</b>: <b>Estudo de validação do DQOL</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A Diabetes Tipo 1 é uma doença crónica complexa e de difícil controlo. Esta dificuldade é mais notória na adolescência, período em que a problemática que envolve a transição da dependência parental para uma vida mais autónoma. A adolescência caracteriza-se também por alterações nas características psicossociais que se podem repercutir na adesão ao tratamento, no controlo metabólico da Diabetes e na qualidade de vida. O objectivo da presente investigação é adaptar um questionário de avaliação da qualidade de vida para adolescentes. A amostra que constituiu o presente estudo foi composta por 256 adolescentes, com idades compreendidas entre os dez e os dezoito anos. O diagnóstico foi efectuado pelo menos um ano antes da colheita de dados. A versão portuguesa do DQOL apresenta-se com um número total de itens mais reduzido que a versão original os quais se agrupam em três factores que avaliam o IMPACTO da diabetes na vida actual do adolescente, a SATISFAÇÃO com o tratamento e a vida e a PREOCUPAÇÃO quanto ao futuro. Revela uma consistência interna excelente. A intercorrelação entre as sub-escalas que a compõem é também boa. Duas das subescalas revelam um poder discriminante heterogéneo quanto ao género e nas diversas faixas etárias da adolescência. Por fim apresenta uma elevada validade convergente, correlacionando-se de forma significativa com um questionário de ansiedade face à Diabetes.<hr/>Diabetes Type 1 is a complex chronic disease that is difficult to control specially during adolescence. This is due in part to the developmental transition of adolescence from dependency on parents to a more autonomous lifestyle. Adolescence is also marked by a change in psychosocial characteristics that have an impact on adherence to treatment, metabolic control and quality of life in diabetics. The purpose of this study is to adapt a questionnaire of quality of life for adolescents with diabetes Type 1. The research included 256 adolescents, aged 10 to 18 years from the Pediatric Department of Hospital S. João - Porto. Diabetes was diagnosed at least a year prior to data collection. The Portuguese version of DQOL has a smaller number of items than the original version gathered in 3 factors that assess IMPACT of Diabetes in the adolescent day to day life (13 itens), SATISFACTION with treatment and life (17 itens) and WORRY towards the future (6 itens). The scale shows an excellente internal consistency. The intercorrelation between the subscales is also good. The scale is able to descriminate between gender and age according to three phases of adolescence in two of the subscales. It also shows an excellent convergent validity being highly correlated with a questionnaire of anxiety towards diabetes. <![CDATA[<b>Significações de doença, confronto sintomático e adaptação em pacientes de Reumatologia e Ortopedia</b>: <b>Uma abordagem desenvolvimentista e dialéctica</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O estudo das significações, representações ou crenças dos doentes sobre as suas doenças tem constituído um domínio prevalecente na Psicologia da Saúde e da Doença. Numa perspectiva desenvolvimentista, estas significações podem ser categorizadas em termos de níveis de progressiva abstracção e complexidade, e as acções a que estão ligadas em termos de operações dialécticas de descentração e compensação. Para ilustrar um enquadramento metodológico desta concepção, os autores apresentam os primeiros resultados de uma investigação com doentes de Ortopedia e Reumatologia, sobre a ligação desses níveis e operações a uma metodologia de auto-monitorização do sintoma principal, geralmente a dor física, e do controlo percebido sobre o mesmo.<hr/>The study of the patients’ significations, representations or beliefs about their illnesses has been a prevailing domain in Health and Illness Psychology. From a developmental perspective, these significations may be characterized in terms of levels of progressive abstratraction and complexity, and the actions to which they are associated in terms of dialectic operations of decentration and compensation. In order to illustrate a methodological orientation of this conception, the authors introduce the first results of an investigation addressed to patients of Orthopaedics and Rheumatology, about the connection of those levels and operations to a methodology of self-monitoring of the main symptom, in most cases the physical pain, and of the perceived control of that symptom. <![CDATA[<b>Escrita terapêutica em contexto de saúde</b>: <b>Uma breve revisão</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo apresenta uma breve revisão sobre o paradigma da escrita terapêutica e a sua aplicação em contextos relacionados com a saúde. Refere ainda a importância dos aspectos cognitovos e emocionais para dar sentido às experiências vividas através da expressão escrita, salientando benefícios ou eventuais dificuldades sobre a utilização deste recurso. Esta revisão incide ainda sobre a forma como usamos as palavras na expressão escrita e como estas podem traduzir informação importante sobre o indivíduo, ou marcar a diferença entre temas considerados banais e temas significativos. Inclui também uma referência sobre a forma como a partilha social das emoções pode contribuir para a construção de uma memória sobre as experiências significativas, assim como a transformação dessas emoções em linguagem escrita pode promover o processamento mental com o objectivo de encontrar um significativo para o evento. A utilização da expressão escrita como uma ferramenta terapêutica pode ter grande potencial de utilização em contextos de saúde pode ser uma forma de auto-ajuda, quando usada só ou em conjunto com outras técnicas terapêuticas.<hr/>This article includes a brief revision of the expressive writing paradigm and its application in health settings. It also refers the relevance of the cognitive and emotional factors for making sense of life experiences through the use of expressive writing, highlighting the benefits or difficulties concerning its use. The way in which we use the words in expressive writing gives important information concerning the individual and it is also an important aspect to differentiate between significant and usual themes. The social sharing of emotions can also contribute to build memories concerning significant events. Moreover, the expressive writing of these emotions can promote cognitive processing in order to make sense of the event. Using the expressive writing as a therapeutic tool in health contexts, either as self-help, or in combination with other techniques can have an important contribution for health outcomes. <![CDATA[<b>Psicologia da Saúde Crítica</b>: <b>Breve revisão e perspectiva existencialista</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A finalidade deste artigo é dupla: em primeiro lugar, fazer uma breve revisão da perspectiva crítica no campo da psicologia da saúde; em segundo lugar, discutir o seu potencial para a promoção da saúde e prevenção das doenças. Adicionalmente, apresenta-se o esboço de uma perspectiva existencialista em psicologia da saúde.<hr/>The purpose of this article is twofold: first to provide an overview of critical perspective within the field of health psychology; and second to discuss his potential to health promotion and illness prevention. Finally, the author proposes an existential approach on health psychology. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Interrupção Voluntária da Gravidez</b>: <b>Intervenção psicológica nas consultas prévia e de controlo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Em Portugal a interrupção voluntária da gravidez é realizada desde 2007, após publicação da lei da Assembleia da Republica número 16/2007 de 17 de Abril. Não existem investigações portuguesas quanto à possível conduta psicopatológica da IVG, contudo, esta foi analisada em outros países. Apesar dos resultados serem pouco claros e não concordantes, é sabido que este é um momento delicado da vida de uma mulher podendo gerar nesta um variado leque de sentimentos. Na legislação em vigor, o processo de uma IVG inclui a possibilidade de apoio psicológico à mulher, tanto na consulta prévia, como na consulta de controlo. Neste processo de apoio é essencial que haja empatia, ausência de preconceito e flexibilidade por parte do psicólogo. Tendo em conta a especificidade deste momento, é necessário que o psicólogo dê a conhecer à mulher todo o processo, assim como as possíveis consequências envolvidas. É importante que o psicólogo acompanhe a mulher na sua tomada de decisão assim como em eventuais sentimentos que esta pode desenvolver ao longo de todo o processo como o medo, a dúvida, a ansiedade, a culpa, o luto. É também imprescindível que a temática de contracepção e de planeamento familiar seja discutida com a paciente. Esta consulta poderá ajudar a mulher a lidar com todo o processo de IVG, e com os seus sentimentos, assim como evitar consequências mais graves a nível psicológico.<hr/>Legal Abortion in Portugal is possible since 2007, after the 16/2007 law approval on April 17 by the Portuguese assembly. There are no Portuguese investigations concerning to psychological consequences of an abortion, yet they where developed in other countries. Despite the uncleared and inconsistence conclusions it’s known that this is a delicate moment in a woman’s life and it can generate a varied type of feelings. In the present legislation, the abortion process includes the possibility of psychological support, both in the prior appointment as in the control appointment. In these sessions, the psychologist has to be flexible, free of preconception and has to develop empathy. Duo to the specificity of this moment it is necessary that the psychologist informs the patient about the process and the possible consequences of it. It is important that the psychologist supports the woman in her decision making and in eventual feelings she may develop during this process like fear, doubt, anxiety, guilt, and mourning. It’s also vital that issues like contraception and family planning are discussed with the patient. These sessions can help women to cope and deal with the procedure and her feelings and prevent psychological consequences. <![CDATA[<b>Comportamento parental face à Trissomia 21</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objectivo deste estudo consistiu na construção de uma teoria sobre o comportamento parental em mães de crianças com Trissomia 21. Os participantes foram dezoito mães de crianças com Trissomia 21, cujos filhos tinham idades compreendidas entre os dois e os nove anos. Foram utilizadas entrevistas semi-estruturadas, analisadas de acordo com o método Grounded Theory. Encontram-se nestas mães três preocupações fundamentais: o desenvolvimento, o futuro e a discriminação que os seus filhos sofrem ou podem vir a sofrer da parte da sociedade. Para lidar com estas preocupações os pais desenvolvem estratégias, nomeadamente: estimular, fazer comparações favoráveis, minimizar a situação, aprender a viver, viver o dia-a-dia, preparar os restantes irmãos, construir o futuro, promover a autonomia e a auto-estima da criança, normalizar, igualizar a educação, valorizar a situação e valorizar a criança e as suas características positivas<hr/>The objective of this study consisted in building a theory about parental behaviour in mothers of Down’s Syndrome childs. The subjects were eighteen mothers with Down’s Syndrome childs aged between two and nine years old. This interviews were semi-structured and analysed according Grounded Theory Method. In those mothers it can’t be found three majors concerns: development, future and discrimination felted or to be felt by their sons as a part of the society period. Dealing with these concerns requires parents to develop strategies like: learn to live, seize the day, positive discrimination, minimize the situation, preparing the rest of the brothers, building self confidence and self-esteem of the child, value the child and his positive characteristics. <![CDATA[<b>Participação comunitária e satisfação com os cuidados de saúde primários</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312008000200017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo são apresentados, brevemente, os resultados de um estudo exploratório realizado com cinquenta utentes da Extensão da Brandoa do Centro de Saúde da Venda Nova (Amadora) com a finalidade de investigar a relação entre participação comunitária no desenvolvimento dos cuidados de saúde primários e a satisfação dos utentes em relação à qualidade dos cuidados. Os resultados evidenciam a importância de fomentar uma mudança organizacional nos Centros de Saúde que centre o processo da qualidade nos utentes, para que estes sejam envolvidos e participem activamente no desenvolvimento dos cuidados de saúde primários.<hr/>The objective of this exploratory study with fifteen subjects at Extensão da Brandoa/Centro de Saúde da Venda Nova is about community participation relationship with patient’s satisfaction with quality care. The results shows the necessity of a organizational change in Centros de Saúde for an active patient’s collaboration in health primary care.