Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120060002&lang=en vol. 24 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<B>Memória de trabalho e inferência silogística</B>: <B>Estudo exploratório de novas medidas</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Na presente investigação procurou-se estudar as relações entre a memória de trabalho e o raciocínio dedutivo a partir da perspectiva das diferenças individuais (i.e. saber se o desempenho em tarefas raciocínio pode ser previsto a partir da capacidade de memória de trabalho). Nesse sentido, são usados problemas de raciocínio silogístico que diferem em termos do nível de exigência cognitiva previsto pela teoria dos modelos mentais (e.g. Johnson-Laird & Byrne, 1991). A memória de trabalho é avaliada, não apenas a partir do clássico teste de amplitude de leitura (Daneman & Carpenter, 1980), ao qual recentemente se tem dirigido críticas, mas também a partir de duas medidas desenvolvidas por García-Madruga e colaboradores (v. García-Madruga et al., 2003) baseadas em problemas anafóricos e analógicos. Nestes dois tipos de tarefas (i.e. memória de trabalho e raciocínio silogístico) participaram 60 estudantes universitários. Os resultados obtidos permitem corroborar as previsões que efectuámos sustentadas na teoria dos modelos mentais, i.e., os indivíduos revelaram maiores dificuldades nos problemas que requerem a construção de um maior número de modelos mentais e os participantes com maior capacidade de memória de trabalho apresentaram também um desempenho superior na tarefa de raciocínio.<hr/>The present study envisages the relationship between working memory and syllogistic reasoning from an individual differences perspective (i.e. whether or not the performance on the reasoning task can be predicted from the working memory capacity). A group of syllogistic inference problems were used. These problems differed in terms of cognitive demands (i.e. one vs. two mental models) according to the mental model theory (e.g. Johnson-Laird & Byrne, 1991). The working memory capacity was measured not only by the classic reading span test but also, as several critics have been recently addressed to functionality of this measure in these kinds of studies, two new measures based on analogical and anaphorical problems were used (cf. Gar-cía-Madruga et al., 2003). In these two sorts of tasks (i.e. working memory and syllogistic reasoning tasks) participated 60 students. The main suppositions of the mental model theory were confirmed in terms of accuracy, i.e., multiple mental models problems showed more difficulties to participants than single-model ones and participants with higher resources in terms of working memory capacity showed also better performance on the syllogistic reasoning task. <![CDATA[<B>Preocupações parentais dos pais de crianças nascidas por fertilização <I>in vitro</B></I>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objectivo deste trabalho foi avaliar as preocupações parentais de pais de crianças nascidas por fertilização in vitro, através de uma Escala de Preocupações Parentais (Algarvio & Leal, 2002; Algarvio & Leal, 2004). Os participantes, seleccionados na consulta de infertilidade da Maternidade Dr. Alfredo da Costa, constituíram uma amostra de conveniência de 19 pais de crianças nascidas por fertilização in vitro, com idades compreendidas entre 1 ano e 11 anos, em que 12 eram do sexo feminino e 7 do sexo masculino. Os resultados obtidos parecem indicar que as maiores preocupações deste grupo de pais se centram na sub-escala I. Problemas Familiares e Preocupações Escolares. Foram encontradas diferenças significativas para quem respondeu ao questionário, nível socio-económico, número de tentativas de gravidez, causa de infertilidade e tempo de espera da FIV.<hr/>In order to study parental concerns in a group of parents with children conceived by in vitro fertilization we used a Parental Concerns Scale (Algarvio & Leal, 2002; Algarvio & Leal, 2004). The participants, selected from Infertility Consultation in Maternidade Dr. Alfredo da Costa, in Lisbon, were 19 parents with IVF children, with a range of age between 1 and 11 years old, 12 female and 7 male. The results pointed to a major concern in sub-scale I. Family and School Problems. We found significant statistical differences for: the person answering the questionnaire, social-economic level, pregnancy attempts, infertility cause and expecting time of IVF. <![CDATA[<B>A eficácia organizacional das Câmaras Municipais tal como percepcionada pelos respectivos presidentes e dirigentes dos serviços</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo insere-se num trabalho mais vasto que examina as variáveis que influenciam a eficácia organizacional na Administração local em Portugal. A câmara municipal foi usada como unidade de análise. Através de modelos de equações estruturais são analisadas as relações entre o estilo do presidente da câmara, os comportamentos dos dirigentes dos Serviços dele dependentes directamente, o clima de cooperação e o clima de confiança entre si e com a eficácia organizacional. Os resultados mostram vários efeitos de mediação entre as variáveis causais e a eficácia, mas apenas o clima de confiança provou ter uma relação directa significativa com a eficácia percepcionada. Oito estilos de presidente são propostos e, embora, não se tenham encontrado diferenças de eficácia entre esses estilos, existem indícios de que aqueles em que o factor estratégico está presente são os mais eficazes.<hr/>This research required to examine variables that influence the organizational effectiveness in local government services. The mayoralty was used as the unit of analysis and 92 mayors and 236 directors in 109 municipalities in Portugal participated in this study. The latent variables mayor’s extensive leadership (G), strategic oriented leadership (S) and risk predisposed leadership (R), director’s satisfaction and commitment, trust and cooperation climate were operationalized using factor analysis. Through structural equations modeling the research revealed significant positive mediate relationship between: G and satisfaction, G and cooperation, S and commitment, S and trust, R and satisfaction, satisfaction and commitment and commitment and trust. Significant negative mediate relationship was found between G and commitment; and, on one hand, between R and, on the other, trust and cooperation. Behavioral styles of mayor are proposed and analyzed their effectiveness. <![CDATA[<B>Festinger revisitado</B>: <B>Sacrifício e argumentação como fontes de conflito na tomada de decisão</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en É consensual na literatura que o nível de conflito sentido numa tomada de decisão influencia o modo como nós escolhemos e que este grau de conflito depende do tamanho de troca entre os atributos das opções do conjunto de escolha. Modelos tradicionais defendem que o conflito aumenta com o tamanho de troca, uma vez que são maiores as vantagens que temos de abdicar ao escolher uma opção em detrimento de outra (sacrifícios). No entanto, uma outra perspectiva é que o conflito depende dos argumentos à nossa disposição para escolher uma das opções: quanto menor for o tamanho de troca, mais fracos os argumentos e consequentemente maior o nível de conflito sentido na tomada da decisão. O presente artigo demonstra como um modelo unificado de formação do conflito na tomada de decisão, o modelo de dupla mediação, concilia as diferentes perspectivas de forma integradora. A relação entre tamanho de troca e conflito é mediada pelos sacrifícios e pelos argumentos (em direcções opostas) e moderada por diversos factores, entre os quais a importância relativa dos atributos e a necessidade de justificar a escolha a outros.<hr/>There is consensus in the literature that the level of conflict experienced in making a decision influences the way in which we choose and that this degree of conflict depends on the size of the tradeoff between the attributes of the options in the choice set. Traditional models argue that conflict increases with tradeoff size, because of the greater advantages that we have to forego in choosing one option instead of the other (sacrifices). However, another perspective is that the conflict depends on the arguments at our disposal to choose one of the options: The smaller the tradeoff, the weaker the arguments and consequently the higher the level of conflict in making the decision. This article shows how a unified model of conflict formation in decision making, the double-mediation model, reconciles both perspectives. The relation between tradeoff size and conflict is mediated by sacrifices and arguments (in opposite directions) and moderated by several factors, among which the relative importance of the attributes and the need to justify the decision to others. <![CDATA[<B>As duas caras do Janus</B>: <B>O conflito como fonte de (im)previsibilidade na tomada de decisão</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Perante uma situação de escolha entre opções que implicam uma troca entre dois ou mais atributos, a escolha de uma delas significa abdicar das vantagens da outra opção, o que leva a conflito. Modelos formais de tomada de decisão consideram o conflito apenas como uma fonte de imprevisibilidade na escolha (o decisor sente-se incerto quanto à decisão a tomar). No entanto, um modelo recente, o modelo da Escolha Mediada pelo Conflito (EMC), considera o conflito também um factor explicativo na tomada de decisão (ao sentir conflito, o decisor recorre a pistas na situação da escolha para fornecerem argumentos a favor de uma decisão). Neste artigo, apresentamos uma revisão do modelo EMC e dos modelos que o antecederam, comparando as previsões dos diversos modelos.<hr/>Given a situation where one has to choose between options that imply a tradeoff between two or more attributes, choosing one option means that one has to forego the advantages of the other option, which leads to conflict. Formal models of decision making consider conflict only as a source of unpredictability in choice (the decision maker feels uncertainty about which decision to make). However, a recent model, the Conflict-Mediated Choice (CMC) model, considers conflict also as an causal factor in decision making (when feeling conflict, the decision maker resorts to cues in the choice situation to provide arguments in favor of a decision). In this article, we present a review of the CMC model and the models that preceded it, comparing the predictions of the several models. <![CDATA[<B>Estratégias de <I>coping</I> em estudantes do Ensino Superior</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O coping é o conjunto de estratégias cognitivas e comportamentais desenvolvidas pelo sujeito para lidar com as exigências internas e externas que são avaliadas como excessivas ou as reacções emocionais a essas exigências. O presente estudo exploratório teve como objectivo determinar quais estratégias de coping eram mais utilizadas pelos estudantes do ensino superior de Viseu, comparando as suas diferenças em função do sexo, opção do curso, estatuto de mobilidade e área de estudos. A Escala Toulousiana de Coping - ETC (Esparbès, Sordes-Ader & Tap, 1993) foi aplicada a uma amostra de 401 estudantes universitários das três instituições superiores da cidade - Instituto Piaget (n=175; 43.6%), Instituto Politécnico (n=193; 48.1%) e Universidade Católica (n=33; 8.2%), sendo 109 (27.2%) do sexo masculino e 292 (72.8%) do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 18 e os 37 anos, com média de 21.3 anos (dp=2.29). Os resultados demonstraram que as estratégias de coping mais utilizadas são o Controlo e o Suporte Social, com prevalência desta última no sexo feminino, mas os valores obtidos na estratégia de Retraimento apresentaram diferenças significativas quando se comparou a opção do curso e o estatuto de mobilidade.<hr/>Coping is the combination of cognitive and behavioural strategies developed by the subject to deal with the internal and external demands of the relation person-environment that is evaluated as extreme, and the emotional reactions caused by these demands. The present exploratory study had the main aim to determine the coping strategies used for college students of Viseu, taking into consideration the implications of some variables that characterized the sample, such as the sex, the choice of the course, the facilities of mobility and the type of studies. Toulouse Scale of Coping - ETC (Esparbès, Sordes-Ader, & Tap, 1993) was applied to a sample of 401 university students of the three higher institutes of the city of Viseu: Piaget Institute (n=175; 43.6%), Polytechnic Institute (n=193; 48.1%) and Catholic University (n=33; 8.2%), 109 (27.2%) of masculine sex and 292 (72.8%) of feminine sex, with ages understood between the 18 and 37 years, with average of 21.3 years (dp=2.29). The results showed that the strategies of coping used more often by the students were the Control and the Social Support, having this last one being used more times by the students of the sex feminine. But the data obtained in the strategy of Retraining did show significant differences when it was compared the option of the course with the facilities of mobility. <![CDATA[<B>A importância da afectividade na aprendizagem da matemática em contexto escolar</B>: <B>Um estudo de caso com alunos do 8.º ano</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo foi escrito tendo como base uma investigação realizada na sala de aula, numa escola de Lisboa, a uma turma de 8.º ano, na disciplina de Matemática. A metodologia foi qualitativa de tipo naturalista com abordagem descritiva e interpretativa. Os métodos de recolha de dados foram: observação presencial e gravação vídeo de algumas aulas; análise das respostas dos alunos a três questionários e entrevistas semi-estruturadas. Estabeleceram-se as seguintes questões de investigação: (a) Qual a relação entre dimensão afectiva e Matemática?; (b) Que elementos sustentam essa relação?; (c) Que relação existe entre a atitude dos alunos nas aulas e as suas aprendizagens em Matemática? e (d) Como envolver os alunos, emocionalmente, na aprendizagem da Matemática? Os principais resultados obtidos foram os seguintes: a actividade matemática dos alunos é influenciada pelas experiências anteriores com os professores, os colegas, os pais e a Matemática. Os alunos valorizam os professores que procuram responder às suas necessidades, brincam com eles, são simpáticos, calmos e não têm o hábito de gritar nas aulas. A relação de confiança que os alunos estabelecem, com os professores de Matemática, reflecte-se na aprendizagem dos conhecimentos matemáticos.<hr/>This paper is based on a classroom investigation that place in a Lisbon school with an 8th grade Mathematics class. We chose a qualitative methodology of the naturalistic type, with a descriptive and interpretative approach. Data were collected through direct observation and videotaping of certain classes, analysis of the pupils’ answers to three questionnaires and semi-structured intervieews. The following research questions were determined: (a) What is the relationship between the affective dimension and Mathematics?; (b) Which elements sustain this relationship?; (c) What is the relationship between pupils’ attitudes in class and their learning in Mathematics? and (d) How can pupils become emotionally involved in learning Mathematics? The main findings were as follows: pupils’ mathematical activity is influenced by prior experiences with their teachers, colleagues, parents and Mathematics. Pupils value teachers who seek to respond to their needs, play with them, are affable, calm and do not customarily shout in class. The relationship of trust that pupils establish with Mathematics teachers is reflected in their learning of mathematical knowledge. <![CDATA[<B>Educadores de infância promotores de saúde e resiliência</B>: <B>Um estudo exploratório com crianças em situação de risco</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Estima-se que em Portugal 11% das crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 6 anos apresentam Necessidades Educativas Especiais (NEE) e 37% das crianças vítimas de maus-tratos e abandono, sujeitas a processo tutelar em 1996, tinham idade inferior a 6 anos. A presença de crianças consideradas em situação de risco e vulnerabilidade no que respeita à sua saúde psicosocial e à sua qualidade de vida implica, quer uma interrogação permanente sobre a natureza dos problemas que contribuem para definir essas situações, quer um notável desafio para aqueles que, nas escolas e jardins de infância, lidam com essas crianças e têm de desenvolver uma prática educativa que vá ao encontro das necessidades diagnosticadas. A Promoção da Saúde e Resiliência junto de crianças em risco tem demonstrado resultados positivos no que respeita à prevenção de comportamentos de risco na adolescência e idade adulta. No presente artigo assume-se a multidimensionalidade do conceito de promoção de saúde e resiliência e apresenta-se uma investigação empírica desenvolvida com o objectivo de identificar e especificar a importância dessas dimensões no desenvolvimento das práticas educativas dos educadores de infância. Trata-se de um estudo transversal e exploratório que abrangeu 274 sujeitos, 164 da região do Alentejo e 110 da região do Algarve. Através da análise de correspondências múltiplas seguida de uma classificação hierárquica identificaram-se duas classes de educadores - "mais" e "menos" promotores de saúde e resiliência. Os resultados sugerem que a integração de crianças em situação de risco não é condição imprescindível para que os educadores sejam considerados mais promotores de saúde e resiliência. Do mesmo modo, parece também não existir associação entre a disciplina de Educação para a Saúde (EpS) ou similar, presente na formação inicial, e uma prática mais promotora de saúde e resiliência. Contudo, exercerem funções na rede pública, trabalharem em Jardins de Infância pertencentes à Rede Nacional de Escolas Promotoras de Saúde (RNEPS), a EpS integrada no Projecto Educativo (PE) de escola e o apoio de equipa de saúde escolar são elementos impulsionadores para uma intervenção nesta área.<hr/>It is estimated that 11% of Portuguese children under 6 years old exhibit Special Educational Needs and 37% of abused and/or abandoned children, under the tutelar proceeding in 1996, were also under six years old. The existence of children considered at risk and vulnerable, when it comes to their psychosocial health and quality of life, implies a continued questioning of the factors that lead to those situations, as well as a challenge to those who work with these children, and must find ways to match educational practices to the children’s needs. Intervention, with children at risk, in the area of Resilience and Health Promotion has been one of the most effective programs in preventing risk behavior in adolescence. This article assumes the multidimensionality of the resilience and health promotion concepts, and presents an empirical investigation aiming to the identification and specification of the importance of those dimensions in the development of educational practices among preschool teachers. We will refer to a transversal and exploratory study using a questionnaire, involving 274 subjects, 164 working in Alentejo and 110 in Algarve. Through multiple correspondence analyses, followed by a hierarchical classification technique, it was possible to identify two types/classes of resilience and health promoting educators: more and less promoting. The results suggest that, in order to consider a teacher as belonging to the more promoting type, it is not obligatory that there are children at risk integrated in his/her class. Also, there seems to be no relation between the subject of Health Promoting during the teachers education and a more resilience and health promotion oriented practice. However, the following variables are considered important to an educational practice aiming to the health and resilience promotion: working in the public schools; working in a network of Health-Promoting Schools (NHPS); having Health Education integrated in the curriculum; and the support of the Health Services. <![CDATA[<B>Abordagem multidisciplinar no acompanhamento de uma criança com Traumatismo Crânio-Encefálico</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Quer pela mortalidade, quer pelo número de indivíduos que resulta de alguma forma incapacitado, o Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE) constitui um dos maiores problemas de saúde pública nos EUA, Europa e outros países desenvolvidos. As alterações cognitivas, comportamentais e emocionais são, entre as consequências das lesões focais ou difusas do TCE, as que causam maior incapacidade na criança, maior destabilização nas suas famílias e maior dificuldade no seu meio social e escolar. Mais persistentes no tempo que os défices físicos, estas alterações interferem no desenvolvimento global, podendo condicionar a capacidade da criança na realização das suas aprendizagens escolares, limitar a prossecução de actividades prévias e constituir um obstáculo às relações interpessoais. Este quadro requer um longo processo de reabilitação e um acompanhamento profissional tão diversificado quanto necessário. Apresenta-se o caso A.M. com 8 anos de idade, frequentando o 2.º ano de escolaridade que, em Abril de 2002, aos 6 anos, após queda de cerca de 6 metros de altura, sofreu um Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE) moderado. Em consequência, apresentou alterações motoras, da linguagem, cognitivas, comportamentais e emocionais, que obrigaram a uma intervenção terapêutica multidisciplinar. Durante um ano e meio foram efectuadas várias avaliações neuropsicológicas e de desenvolvimento que nos permitiram descrever a progressão do quadro clínico, incluindo as repercussões ao nível da reintegração familiar, escolar e socio-emocional.<hr/>Traumatic Brain Injury (TBI) leads to death, long-term disabilities and constitutes a major public health problem in Europe, United States and other countries. Cognitive, behaviour and emotional changes as possible consequences of TBI are responsible for main impairments in children’s lives, including family disfunctions, social disabilities and school unachievement. These later problems are more persistent than physical incapacities and influence children’s development by conditioning their ability to learn, to perform behaviours previous to TBI and to develop socially adequate relationships. Thus, these TBI sequels require a long rehabilitation process, which has to include all the professional help needed. A.M. is an 8 years-old child attendind a 2nd grade class who in April 2002, aged 6 years old, suffered a moderate TBI following a 6 meters height fall. Consequently, A.M. presented motor, linguistic, cognitive, behavioural and emotional disabilities, which required a multi professional intervention. During one year and a half, numerous neuropsychological and developmental evaluations were performed allowing the description of the child’s clinical progression, including the effects in family functioning, school performance, social behaviour and emotional adaptation. <![CDATA[<B>Satisfação profissional e auto-estima em professores dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico</B>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A relevância e o interesse acerca da satisfação profissional dos professores surge pelo facto de a ela aparecerem associadas variáveis tão importantes como a auto-estima, o bem-estar físico e mental, a motivação, o empenho, o envolvimento, o stresse, absentismo/abandono, o sucesso, a realização profissional dos professores. De igual modo, sabemos também que sentimentos de insatisfação e mal-estar afectam não só professores mas também os alunos, pois o desinvestimento e a falta de motivação dos professores contribui directamente para o desinteresse dos alunos na sala de aula e consequentemente, para a menor qualidade do processo de ensino-aprendizagem. O objectivo deste trabalho é tentar perceber quais os níveis de satisfação profissional evidenciado pelo professores portugueses, bem como os factores que estão por detrás da verdadeira satisfação profissional, analisando também os efeitos que poderão ter variáveis como o grupo disciplinar a que pertencem os professores e os anos de docência que possuem. Visamos ainda perceber se a satisfação/insatisfação na dimensão profissional do sujeito se repercute na sua auto-estima. Para tal foram utilizados dois instrumentos, a Rosenberg self-esteem scale e o Questionário de Satisfação no Trabalho para Professores. Participaram no presente estudo 79 professores de cinco escolas dos 2.º e 3.º ciclos da região de Vale do Tejo. A partir dos resultados encontrados concluiu-se que os professores apresentavam baixos níveis de satisfação profissional, sendo essa insatisfação justificada predominantemente por factores socio-políticos. Encontraram-se igualmente diferenças significativas associadas às variáveis em estudo, os Anos de docência e o Grupo disciplinar dos docentes, sendo respectivamente os professores a meio da carreira (7 a 15 anos) e os professores de Educação Artística e Físico-motora, quem revelou níveis superiores de satisfação profissional. No mesmo sentido, foram encontradas fortes correlações entre a satisfação profissional e a auto-estima dos docentes. Concluiu-se igualmente que grande parte da variação registada na auto-estima se associava à dimensão "Alunos".<hr/>The relevance and interest about teacher’s job satisfaction come from the fact that it appears associated with such important variables as physical and mental well-being, motivation, pawning and involvement, stress, absenteeism, professional performance and success of the teachers. In the same way, we also know that a poor job satisfaction in teachers, affect not only themselves but also the students; because the disinterest and low teaching performance can directly contribute for the reduction of student’s interest and investment in the classroom and, consequently for the decrease of the quality of the instructional process. The purpose of the present study is to analyse the levels of job satisfaction of portuguese teachers, as well as the factors behind the real job satisfaction. We also attempt to explore the effects caused by the "years on teaching" and the "subject teached" in the job satisfaction, and try to understand if satisfaction/dissatisfaction in the professional dimension of the self could influence the self-esteem, the global perception of their own value. For that we used two instruments, the Rosenberg self-esteem scale and a Job Satisfaction Questionnaire for teachers. Participants of the present study were 79 portuguese teachers from five 2nd and 3rd cycle schools in Vale do Tejo region. Results showed that teachers present reduced levels of job satisfaction, and that those levels were predominantly justified by social-political factors. There was also found significant differences associated to the "years on teaching" and "disciplinary group"; the highest levels of job satisfaction were, respectively, presented by teachers in the middle of the career (7 to 15 years) and teaching disciplines of the C Group "Musical Education, Physical Education, Technologic and Visual Education". In the same sense, a strong correlation was found between teacher’s job satisfaction and teacher’s self-esteem. It was also verified that a large part of the variability of self-esteem was associated with factor 1 (Students dimension). <![CDATA[Actas da V Conferência "Psicologia nos Cuidados de Saúde Primários" (2006)]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312006000200011&lng=en&nrm=iso&tlng=en A relevância e o interesse acerca da satisfação profissional dos professores surge pelo facto de a ela aparecerem associadas variáveis tão importantes como a auto-estima, o bem-estar físico e mental, a motivação, o empenho, o envolvimento, o stresse, absentismo/abandono, o sucesso, a realização profissional dos professores. De igual modo, sabemos também que sentimentos de insatisfação e mal-estar afectam não só professores mas também os alunos, pois o desinvestimento e a falta de motivação dos professores contribui directamente para o desinteresse dos alunos na sala de aula e consequentemente, para a menor qualidade do processo de ensino-aprendizagem. O objectivo deste trabalho é tentar perceber quais os níveis de satisfação profissional evidenciado pelo professores portugueses, bem como os factores que estão por detrás da verdadeira satisfação profissional, analisando também os efeitos que poderão ter variáveis como o grupo disciplinar a que pertencem os professores e os anos de docência que possuem. Visamos ainda perceber se a satisfação/insatisfação na dimensão profissional do sujeito se repercute na sua auto-estima. Para tal foram utilizados dois instrumentos, a Rosenberg self-esteem scale e o Questionário de Satisfação no Trabalho para Professores. Participaram no presente estudo 79 professores de cinco escolas dos 2.º e 3.º ciclos da região de Vale do Tejo. A partir dos resultados encontrados concluiu-se que os professores apresentavam baixos níveis de satisfação profissional, sendo essa insatisfação justificada predominantemente por factores socio-políticos. Encontraram-se igualmente diferenças significativas associadas às variáveis em estudo, os Anos de docência e o Grupo disciplinar dos docentes, sendo respectivamente os professores a meio da carreira (7 a 15 anos) e os professores de Educação Artística e Físico-motora, quem revelou níveis superiores de satisfação profissional. No mesmo sentido, foram encontradas fortes correlações entre a satisfação profissional e a auto-estima dos docentes. Concluiu-se igualmente que grande parte da variação registada na auto-estima se associava à dimensão "Alunos".<hr/>The relevance and interest about teacher’s job satisfaction come from the fact that it appears associated with such important variables as physical and mental well-being, motivation, pawning and involvement, stress, absenteeism, professional performance and success of the teachers. In the same way, we also know that a poor job satisfaction in teachers, affect not only themselves but also the students; because the disinterest and low teaching performance can directly contribute for the reduction of student’s interest and investment in the classroom and, consequently for the decrease of the quality of the instructional process. The purpose of the present study is to analyse the levels of job satisfaction of portuguese teachers, as well as the factors behind the real job satisfaction. We also attempt to explore the effects caused by the "years on teaching" and the "subject teached" in the job satisfaction, and try to understand if satisfaction/dissatisfaction in the professional dimension of the self could influence the self-esteem, the global perception of their own value. For that we used two instruments, the Rosenberg self-esteem scale and a Job Satisfaction Questionnaire for teachers. Participants of the present study were 79 portuguese teachers from five 2nd and 3rd cycle schools in Vale do Tejo region. Results showed that teachers present reduced levels of job satisfaction, and that those levels were predominantly justified by social-political factors. There was also found significant differences associated to the "years on teaching" and "disciplinary group"; the highest levels of job satisfaction were, respectively, presented by teachers in the middle of the career (7 to 15 years) and teaching disciplines of the C Group "Musical Education, Physical Education, Technologic and Visual Education". In the same sense, a strong correlation was found between teacher’s job satisfaction and teacher’s self-esteem. It was also verified that a large part of the variability of self-esteem was associated with factor 1 (Students dimension).