Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120030003&lang=en vol. 21 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>O legado de Harold H. Kelley</b>: <b>o estudo da interdependência e atribuição de causas </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo pretende ser uma homenagem ao psicólogo social Harold Kelley falecido no início do ano de 2003. Nele apresentamos os trabalhos do autor no campo de estudo da Interdependência e da Atribuição Causal, defendendo que o seu brilhantismo deve-se não tanto à defesa de noções complexas ou transcendentes mas antes, à clarividência com que definiu as suas ideias em torno de dois princípios básicos: o de que comportamento é controlado pelas suas consequências, e o de que estas consequências têm um caracter subjectivo que é influenciado pelo modo como interpretamos as consequências passadas ou antecipamos as futuras. <![CDATA[<b>A regulação da activação de diferentes modos de processamento da informação</b>: <b>o papel do «sentimento de familiaridade»</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Uma análise descritiva e crítica dos modelos dualistas, que correntemente têm sido desenvolvidos nos campos de estudo da psicologia cognitiva e cognição social, sugere que a maioria destes modelos ignora a questão de regulação da activação/desactivação dos diferentes modos de processamento da informação. Após a discussão da necessidade deste pressuposto relativamente ao postular de um processo de selecção natural, com base no grau de motivação e capacidade do sistema cognitivo, sugerimos que o sentimento de familiaridade pode funcionar como mecanismo de regulação do processamento (FARM).<hr/>This article presents a critical view of dualistic models developed within social and cognitive psychology arguing that the majority of these models neglect the issue of process activation/deactivation regulation. A discussion of the need of a mechanism of process regulation is developed considering the hypothesis of this regulation being a question of natural selection on the basis of the motivation and capacity characteristics of the system. Arguing for a need of postulating a regulation mechanism the authors suggesting the feeling of familiarity as a regulation mechanism (FARM). <![CDATA[<b>A dissociação dos efeitos das expectativas nas impressões e memória de pessoas e grupos</b>: <b>o Modelo TRAP </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo apresenta um novo modelo de memória de pessoas e grupos - o Modelo TRAP (Twofold Retrieval by Associative Pathways). O Modelo TRAP foi primordialmente desenvolvimento para resolver a aparente discrepância entre efeitos de congruência tipicamente obtidos em medidas de julgamento e de incongruência tipicamente obtidos em medidas de recordação livre. O Modelo distingue entre dois modos de recuperação - o modo heurístico e exaustivo. Essa distinção permite resolver a discrepância frequentemente obtida entre medidas de julgamento e de recordação. O desenvolvimento do Modelo TRAP permitiu quer encontrar novas variáveis capazes de dissociar os dois modos de recuperação quer construir novas hipóteses sobre o processo de formação de impressões. O presente artigo discute os pressupostos teóricos do modelo e apresenta os principais resultados empíricos até hoje obtidos.<hr/>The paper presents a model of person and group memory - o Model TRAP (Twofold Retrieval by Associative Pathways). The TRAP Model was primarily developed to account for the apparent discrepancy between congruency effects typically obtained in judgment measures and incongruency effects typically obtained in free recall measures. The Model distinguishes between two retrieval modes - the heuristic and the exhaustive mode. This distinction enabled us to solve the frequently obtained discrepancy between judgment and recall measures. The development of the TRAP Model allowed us to find both news variables that dissociate the two retrieval modes and to derive new hypotheses concerning the process of impression formation. The present work discusses the theoretical underpinnings of the model and presents the main empirical findings obtained so far. <![CDATA[<b>Dizer «não» aos estereótipos sociais</b>: <b>as ironias do controlo mental</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Inúmeras razões levam a que, frequentemente, o percipiente social tente activamente inibir os pensamentos estereotípicos antes que estes influenciem os seus julgamentos e comportamentos. A eficácia desta estratégia, no entanto, tem sido questionada pela área da psicologia interessada pelo controlo mental. De facto, a investigação recente tem mostrado que quando as pessoas tentam activamente suprimir pensamentos indesejados, estes subsequentemente reaparecem à consciência ainda com maior insistência do que caso não tivessem sido suprimidos inicialmente produzindo, deste modo, um efeito de ricochete (e.g., Macrae, Bodenhausen, Milne, & Jetten, 1994). O presente artigo tem como principal objectivo apresentar uma revisão teórica da supressão de pensamentos procurando identificar os potenciais mediadores do efeito de ricochete após um período de supressão do estereótipo. Apesar do efeito de ricochete do estereótipo ocorrer em algumas condições, defende-se que uma compreensão mais abrangente deste fenómeno requer a consideração de um vasto conjunto de possíveis factores mediadores.<hr/>For a variety of reasons, social perceivers may often attempt to actively inhibit stereotypic thoughts before their effects impinge on judgement and behaviour. However, research on the psychology of mental control raises doubts about the efficacy of this strategy. Indeed, this work suggests that when people attempt to suppress unwanted thoughts, these thoughts are likely to subsequently reappear with even greater insistence than if they had never been suppressed (i.e., a &laquo;rebound&raquo; effect). The present article comprises a review of the literature about this ironic effect concerning unwanted stereotypic thoughts about others. Although stereotype rebound occurs under some circumstances, it is suggested that a complete understanding of this phenomenon requires a consideration of the full array of possible moderating influences. <![CDATA[<b>Em busca da distinção perdida</b>: <b>acessibilidade <i>versus </i>disponibilidade mnésicas em cognição social</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A compreensão da forma como se representa, organiza e recupera informação de memória acerca de pessoas e acontecimentos sociais constitui actualmente uma das áreas fundamentais de desenvolvimento teórico e metodológico da Cognição Social. A literatura produzida neste âmbito permite distinguir quatro grandes abordagens, duas delas subjacentes à maior parte da investigação: as redes associativas e as representações esquemáticas; e duas mais recentes: os exemplares e as representações distribuídas. As duas primeiras abordagens, que têm prevalecido em Cognição Social, privilegiam os processos de codificação em detrimento dos processos de recuperação mnésica, levando a que a investigação nesta área continue a concentrar-se nos processos de codificação e organização de informação social em memória e a negligenciar os processos de recuperação que geralmente se assumem como invariantes. Procuraremos no presente artigo descrever e contrastar estas propostas, apresentando alguns argumentos teóricos e empíricos que reforçam a importância dos processos de recuperação, questionando ainda o pressuposto de invariância destes processos, explicita ou implicitamente presente na literatura.<hr/>Understanding the way we encode, organize and retrieve information from memory about people and social episodes is nowadays one of the most prominent fields of theoretical and methodological research in Social Cognition. From the literature in this field four main approaches stand out. Two of them underlay to most of the research: associative networks and schemas. Two other are more recent: exemplar-based and parallel distributed processes approach. The first to mentioned approaches, which have prevailed in Social Cognition research, emphasize encoding over retrieval processes and lead research to focus almost exclusively in coding and organization of information processes and to neglect retrieval processes that are usually assumed to be invariant. The present paper aims to describe and compare the above mentioned approaches to memory representation, and to present theoretical and empirical arguments for the importance of retrieval processes, and to question the assumption of retrieval invariance explicitly or implicitly present in most of the work subsumed under the person memory literature. <![CDATA[<b>Crença no mundo justo e vitimização secundária</b>: <b>o papel moderador da inocência da vítima e da persistência do sofrimento </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os estudos apresentados neste artigo têm como objectivo testar a predição básica da teoria da crença no mundo justo (CMJ) de que os observadores com maior CMJ vitimizarão mais uma vítima inocente cujo sofrimento persiste do que os observadores com menor CMJ. De facto, de acordo com esta teoria, a reacção de um observador a uma vítima é influenciada por três factores: o grau de CMJ do observador, a inocência da vítima, e a persistência do sofrimento da vítima. No entanto, até ao momento nenhum estudo tentou determinar o impacto destes três factores em conjunto. Os estudos que apresentamos neste artigo analisam o impacto conjunto dessas três variáveis na vitimização secundária. Os resultados mostraram que os participantes com maior necessidade de restabelecer a CMJ, quer porque é elevada (Estudo 1 e 2) quer porque foi ameaçada (Estudo 3), vitimizam mais a vítima: consideram-na mais merecedora da situação em que se encontra (Estudo 1), numa situação mais justa do que os observadores com menor CMJ (Estudo 2) e desvalorizam-na mais (Estudo 3).<hr/>The goal of the studies presented in this article is to test the basic prediction of the belief in a just world (BJW) theory according to which observers that are high believers in a JW victimize more an innocent victim whose suffering persists than observers that are low believers in a JW. In fact, this theory predicts that three factors determine the reaction of an observer towards a victim: the observers' BJW, the innocence of the victim and the persistence of the victim's suffering. However to date no study tried to determine the joint impact of these three factors. The studies presented in this article analyse the joint impact of these three factors on secondary victimization. The results show that participants who most need to re-establish their BJW, either because it is high (Study 1 and 2) or because it has been threatened (Study 3), victimize the victim more: they regard the victim as being more deserving of the situation in which he/she finds himself/herself (Study 1), in a fairer situation than observers with a lower level of BJW (Study 2), and they devalue the victim more (Study 3). <![CDATA[<b>O papel do reconhecimento do acaso no raciocínio indutivo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Segundo Tversky e Kahneman (1974), a actividade inferencial humana baseia-se em grande medida em heurísticas (regras simplificadas de tomada de decisão) que divergem dos princípios estatísticos apropriados ao julgamento na incerteza. No entanto, Nisbett, Krantz, Jepson e Kunda (1983), defenderam que paralelamente às heurísticas não-estatísticas, as pessoas também possuem heurísticas estatísticas (i.e. representações intuitivas e abstractas de certos princípios estatísticos). Fong e Nisbett (1991), sugerem que o uso das heurísticas estatísticas está dependente de regras de codificação (associadas a domínios de conteúdo específicos). Aqui considera-se que o essencial das regras de codificação é a facilitação do reconhecimento do componente de acaso subjacente aos problemas indutivos. Assim, condições experimentais que facilitem o reconhecimento deste componente aleatório deverão resultar numa melhoria do desempenho estatístico. Para testar esta hipótese, foram usadas duas manipulações de facilitação do reconhecimento do acaso. Os participantes responderam a um conjunto de problemas indutivos sobre diversos domínios (Desporto, Fidelidade conjugal, Escola, e Saúde), envolvendo vários princípios estatísticos (Lei dos Grandes Números, Regressão à Média, Base-Rates, e Diagnosticidade) antes e após as manipulações (imediatamente ou duas semanas depois). Os resultados revelam uma melhoria no desempenho estatístico para os domínios Fidelidade e Escola, e para os princípios regressão à média e diagnosticidade.<hr/>Human inference is, according to Tversky and Kahneman (1974), greatly based in heuristics (simplified rules of decision making) that diverge from the statistical principles appropriate to judgment under uncertainty. However, Nisbett, Krantz, Jepson and Kun-da (1983), contend that beyond these non-statistical heuristics, people also possess statistical heuristics (i.e., intuitive counterparts of statistical principles). Fong and Nisbett (1991), suggest that the use of statistical heuristics depends from codification rules associated to specific content domains. In the present work, we propose that codification rules facilitate the recognition of the chance component inherent to inductive problems. Thus, experimental conditions that facilitate the recognition of this chance component should result in the improvement of statistical performance. To test this hypothesis, we used two manipulations meant to facilitate chance recognition. Participants answered to a number of inductive problems concerning diverse content domains (Sports, Fidelity, School and Health), and regarding a number of statistical principles (Law of the great numbers, Regression to the mean, Base-Rates, and Diagnosticy) before and after the manipulations (immediately and two weeks after). The results showed that statistical performance improved in the domains of Fidelity and School, and for problems concerning Regression to the mean and Diagnosticity principles. <![CDATA[<b>Estados afectivos, percepção do risco e do suporte social</b>: <b>a familiaridade e a relevância como moderadores nas respostas de congruência com o estado de espírito</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Dois estudos testam os efeitos da familiaridade e da relevância na infusão de afecto (Forgas, 1995), em dois tipos de cognição: a percepção do risco e a percepção do suporte social. No estudo do suporte social participantes em diferentes estados de espírito avaliaram quantas pessoas consideravam disponíveis para os apoiar em situações com diferentes graus de familiaridade e relevância. Os resultados mostram um efeito de infusão de afecto apenas nas situações menos familiares. No estudo da percepção do risco, participantes em diferentes estados de espírito avaliaram a probabilidade de acontecimentos negativos familiares e menos familiares, para alvos relevantes e menos relevantes. Os resultados mostram um enviesamento optimista qualificado por um efeito de interacção: riscos familiares só originam invulnerabilidade única quando o estado de espírito é negativo.<hr/>Two studies examined the effects of familiarity and relevance in affect infusion (Forgas, 1995), with two types of cognition: risk perception and perceived social support. In the social support study, participants in different affective states assessed how many people they perceived as available to support them in situations with different degrees of familiarity and relevance. Results showed an &laquo;affect infusion&raquo; effect only on less familiar situations. In the risk perception study, participants in different affective states assessed the probability of familiar and unfamiliar negative events to relevant and irrelevant targets. Results showed an optimistic bias qualified by an interaction effect: the perceived unique invulnerability is stronger in the negative mood condition, the only condition capable of inducing unique invulnerability with familiar events. <![CDATA[<b>O pensamento contrafactual e a percepção de crimes</b>: <b>revisitando Macrae, Milne e Griffiths (1993)... </b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000300010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Macrae, Milne e Griffiths (1993) desenvolveram dois estudos no sentido de analisarem o efeito do pensamento contrafactual na percepção de crimes. Para tal, manipularam a proximidade da alternativa contra-factual (Estudo 1) e a normalidade dos antecedentes (Estudo 2) no cenário descritivo do crime. Dada a lacuna em que incorreram, lacuna por si próprios apontada, a qual se prende com o facto de não haverem medido os pensamentos dos participantes, tendo inferido, indirectamente, as suas conclusões a partir das avaliações que os mesmos fizeram dos crimes, propusemo-nos replicar o seu Estudo 2 suprimindo esta falha, ou seja, acedendo aos pensamentos dos participantes. Era esperado que na condição excepcional fosse registado um maior número de contrafactuais, uma percepção do crime como sendo mais grave, uma mais severa punição recomendada para o agente e uma maior empatia manifestada pela vítima, comparativamente à condição rotineira. Os dados infirmaram todas as nossas hipóteses, não corroborando, pois, as diferenças obtidas pelos autores revisitados. Assentando na explicação de que tais diferenças seriam devidas ao impacto da mensuração de pensamentos por nós introduzida, conduzimos um segundo estudo, réplica &laquo;integral&raquo; do original. Contudo, voltámos a não reproduzir os resultados de Macrae et al. (1993). A discussão geral é tecida em torno do modelo de geração de pensamentos contrafactuais (Roese & Olson, 1995), do papel da variável &laquo;sexo dos participantes&raquo; e das formas de mensuração de contrafactuais por listagem, levantando-se várias advertências metodológicas e novas questões de investigação no domínio.<hr/>Macrae, Milne and Griffiths (1993) developed two studies in order to analyse the effect of counterfactual thought on crimes' perception. They manipulated counterfactual alternative proximity (Study 1) and antecedent's normality (Study 2) in the scenario. However, they didn't measure participants' thoughts. They just inferred indirectly counterfactuals' effects from crimes' evaluations. We proposed to replicate Macrae et al.'s (1993) Study 2 measuring participants' thoughts. We expected in exceptional condition participants to generate a greater number of counterfactuals, to percept the crime as more serious, to recommend a more severe punishment to the perpetrator and do exhibit a more sympathy toward the victim. Results have infirmed all our hypotheses, not corroborating authors' findings. Anchoring on the explication that these divergences were done to our introduction of counterfactuals' measure, we've conducted a second study that was the &laquo;integral&raquo; replication of original work. Again, we didn't reproduce Macrae et al's (1993) results. General discussion is established around the model of counterfactual thought generation (Roese & Olson, 1995), the role of the participants' gender and the ways to measure counterfactuals by listing them. We also pose several methodological advertencies as well as new investigation questions in the domain.