Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120030001&lang=pt vol. 21 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Uma nova perspectiva em saúde mental do bebé</b>: <b>a experiência da Unidade da Primeira Infância</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo é descrita de forma sucinta a evolução dos conhecimentos na área da saúde mental do bebé nos últimos 20 anos e discutida de forma crítica, à luz dessa evolução, a prática e filosofia de intervenção da Unidade da Primeira Infância. Sendo a primeira prioridade da Unidade a prevenção em saúde mental, é primeiramente feita uma análise do risco, em termos de resiliência e vulnerabilidade. A partir de duas vinhetas clínicas pretende-se demonstrar que a avaliação da vulnerabilidade e do risco deve, no entanto, ter em consideração a dimensão intrapsíquica, nomeadamente a qualidade das experiências precoces do self.<hr/>The author briefly describes the evolution of concepts in infant mental health in the last twenty years. Practice and principles of intervention at UPI are discussed under the light of this evolution. Being mental health prevention the first priority of the Unit, risk evaluation in terms of resilience and vulnerability assessment are hallmarks of the clinical work. Through the presentation of two clinical vignettes the author stresses that vulnerability and risk evaluation must take into account the intra-psychic dimension, namely the quality of early experiences of the self. <![CDATA[<b>A classificação diagnóstica das perturbações da saúde mental da primeira infância</b>: <b>uma experiência clínica</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A utilização de sistemas de classificação diagnóstica em saúde mental da primeira infância é um assunto controverso. A partir da sua experiência clínica, os autores descrevem o processo que os levou à escolha da DC: 0-3. Descreve-se o contributo deste sistema de classificação para a prática clínica, assim como os resultados obtidos. Discute-se as vantagens e dificuldades na utilização dos diferentes eixos da DC: 0-3 com a ajuda de vinhetas clínicas.<hr/>The use of diagnostic classifications in infancy and early childhood clinical practice is a controversial issue. Based on their clinical experience, the authors describe the steps that led them towards selecting DC: 0-3 as a reference framework. The new inputs brought from this framework to clinical practice, as well as results from its application are presented. Some advantages and pitfalls of the practical usage of the different axes of DC: 0-3 are discussed, with reference to clinical vignettes. <![CDATA[<b>Aumentar a resiliência das crianças vítimas de violência</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A violência é um fenómeno social cada vez mais generalizado num número cada vez maior de crianças, cada vez mais jovens. O impacto directo do traumatismo, a sua influência sobre o desenvolvimento psicoafectivo da criança e as estratégias de adaptação utilizadas são áreas nas quais se fazem sentir as consequências dos traumatismos. A resiliência é descrita como sendo um factor muito importante que determina a forma como a criança e a família reagem ao traumatismo. A autora analisa de uma forma mais sistemática os maus-tratos que se exercem sobre as crianças pequenas, no seio da família. Baseada na experiência clínica da Unidade da Primeira Infância, descreve alguns aspectos clínicos que vão desde as dificuldades do diagnóstico destas situações, até à sua transmissão transgeracional e finalmente as intervenções terapêuticas que protegem a criança e a ajudam a desenvolver os seus mecanismos de resiliência, face à violência.<hr/>Violence is spread all over the world and the number of children, which are victims increase every day. The direct impact of the trauma, its influence on development and the coping mechanisms are different levels of the consequences of the violence upon children. Resilience is described as a very important factor that determines how children and families react to traumas. Based on her clinical experience in Unidade da Primeira Infância, the author analyses more systematically the maltreatment inside the family. She describes some of diagnostic difficulties, the transgerational character of the situation and the therapeutic interventions that protect children and help them to develop their mechanisms of resiliency. <![CDATA[<b>Programa clínico para o tratamento das perturbações da relação e da comunicação, baseado no Modelo D.I.R.</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As perturbações do espectro autista enquadram-se no grupo de perturbações mais severas com que os profissionais em saúde mental infantil lidam, dadas as suas repercussões no funcionamento da criança em áreas como as da socialização, comunicação e aprendizagem e a incerteza relativamente ao prognóstico. S. Greenspan e colaboradores desenvolveram um modelo explicativo para estas perturbações baseado numa abordagem desenvolvimental e estruturalista e na certeza de que em todas as crianças existe alguma capacidade para comunicar e que essa capacidade depende do seu grau de motivação e de envolvimento afectivo. O Modelo D.I.R. (Desenvolvimento, Diferenças Individuais e Relação) é um modelo de intervenção resultante destes pressupostos teóricos que engloba a abordagem Floor-time e diferentes especialidades terapêuticas (integração sensorial, comunicação aumentativa). Através da Associação de Apoio à Unidade da Primeira Infância, foi criado um programa intensivo de intervenção clínica baseado nestes princípios. O artigo apresenta a descrição do programa, das crianças e da sua evolução em termos de desenvolvimento e adaptação social e emocional.<hr/>Autistic spectrum disorders are some of the most severe disorders that mental health professionals have to deal with, given its impact on core areas of children's functioning, like communication and social abilities, academic learning and also because of the uncertainty of prognosis. The developmental, structural model created by S. Greenspan and collaborators proposes an innovative explanatory approach for these disorders, assuming that in every child there is an ability to communicate which is dependent on the level of motivation and of affective involvement. D.I.R. (based on Development, Individual Differences and Relationship) Model is an intervention model stemming from those theoretical assumptions. It encompasses Floor-time approach and other types of interventions (sensory integration, augmentative communication). Through Associação de Apoio à Unidade da Primeira Infância an intensive clinical intervention program, based on this model, was created. The paper present a description of the program, of the children and their evolution in terms of developement and social and emotional adaptation. <![CDATA[<b>Depressão no bebé</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores apresentam uma revisão critica do conceito de depressão na primeira infância com referência a sintomatologia, etiopatogenia e prognóstico. O estudo baseia-se na análise de 20 casos com o diagnóstico de depressão, que tiveram seguimento terapêutico na UPI nos anos de 1994 e 1995. Em todos os acaso foram estudados os seguintes parâmetros: Motivo da consulta, Idade da criança, Início do sintoma, Perturbação do meio/parentalidade, Origem do pedido da consulta. Identificaram-se dois subgrupos que diferiam entre si pelo carácter agudo ou crónico da perturbação do meio, pelo tipo de associação de sintomas e pela idade da criança na altura do pedido de consulta. A diferente evolução terapêutica nestes dois subgrupos é ilustrada com a apresentação de dois casos clínicos.<hr/>The authors present a review of the concept of infancy depression, with reference to symptoms, ethiology and prognosis. The paper is based on the analysis of 20 cases with the diagnosis of infant depression who received therapeutic intervention in UPI. In all cases the following items were collected: Motive of consultation, Age, Symptom onset, Environment/parenting problems, Source of referral. Two sub-groups were identified that differed by the presence or absence of chronicity in environment perturbation, symptom constelation and age of child at first consultation. Different therapeutic evolution in these two subgroups is illustrated with presentation of two clinical vignettes. <![CDATA[<b>Preparar o nascimento</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A promoção da saúde mental da mulher grávida traz benefícios directos para a saúde mental do futuro bebé. A depressão pós-parto é um dos alvos da preocupação dos técnicos de saúde mental. Assim, neste artigo, descreve-se uma experiência de intervenção em grupos de preparação para o parto, onde a partilha de preocupações e ansiedades pode ser o veículo de detecção precoce de perturbações na futura díade mãe-bebé.<hr/>Mental health promotion in pregnancy has direct positive benefits for the mental health of the baby-to-be. Post-partum depression is a concern of mental health professionals. This paper presents an intervention program with groups of pregnant women in which the facilitation work of sharing worries and anxieties is a vehicle for early detection of mother-infant perturbations. <![CDATA[<b>Abordagens familiares face ao autismo</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho resulta de uma perspectiva psicodinâmica na abordagem das atitudes maternas face à criança com perturbação do spectrum autista. No caso clínico apresentado, uma mãe recebeu suporte psico-social e integração num grupo terapêutico na Unidade da Primeira Infância. A abordagem familiar foi complementada com um trabalho social em rede, através do qual os pais participaram como parceiros no processo terapêutico.<hr/>This paper stems from a comprehensive dynamic approach of maternal attitudes towards a child with an autistic spectrum disorder. In the case presented, the mother received psychosocial support and joined a therapeutic group, in the context of a diadic therapy program in UPI. Family approach was complemented with a - social network approach - through which parents participate as partners in the therapeutic process. <![CDATA[<b>Promoção do desenvolvimento psicossocial das crianças através dos Serviços de Cuidados de Saúde Primários</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente trabalho resulta de um longo processo de investigação e elaboração no sentido de tentar organizar nos serviços existentes de cuidados de saúde primários um programa destinado a dar formação aos médicos de família, introduzindo a dimensão «saúde mental» nas consultas de rotina da gravidez e até ao fim do segundo ano de vida das crianças, com um mínimo de «perturbação» possível e uma eficácia demonstrável. Avalia-se a importância da formação para a modificação da práticas e atitudes dos médicos de família; em seguida avalia-se o impacto que esta formação em conjunto com a utilização na consulta de um instrumento (entrevistas semi-estruturadas), facilitador da abordagem dos aspectos afectivos e relacionais, tem nas mães e crianças pequenas; e finalmente avalia-se o impacto que a simples aplicação do instrumento teria. Os resultados apontam, de uma forma global, para a existência de efeitos relevantes da formação sobre as práticas dos médicos, mas sugerem igualmente que estes efeitos não se traduzem em grandes diferenças nas crianças e nas mães.<hr/>This paper stems from an extensive research and elaboration process aimed at trying to organize a training program for family doctors through which mental health issues could be included in routine consultations for pregnancy and the first two years of life, with a minimum «disturbing» effect and a measurable efficacy. We analyze the importance of training in changing attitudes and beliefs of family doctors; second, we evaluate the impact of this training, associated with the application of an instrument (semi-structured interviews) on mothers and young children; and finally we evaluate the impact that the application of the instrument per se has. Results globally demonstrate relevant effects of training on doctors' practices, but those effects do not translate into significantly positive differences in children and mothers. <![CDATA[<b>«Não quero brincar»</b>: <b>a avaliação psicológica e diagnóstica em saúde mental infantil</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A Avaliação Psicológica pode desempenhar um papel de crucial importância na compreensão do funcionamento mental infantil. Através da utilização de instrumentos psicométricos pré-definidos e estandardizados é possível aceder a uma melhor compreensão dinâmica dos potenciais cognitivos e organização estrutural de personalidade, permitindo ainda uma análise de comportamentos, atitudes e reacções no setting da avaliação psicológica. Através da apresentação de um caso clínico de um rapaz de 4 anos, os autores pretendem mostrar a contribuição da Avaliação Psicológica para uma melhor definição da psicopatologia infantil, no quadro de uma equipa multidisciplinar. O Manuel foi enviado à Unidade da Primeira Infância do Departamento de Pedopsiquiatria do Hospital de Dona Estefânia pela educadora do seu Colégio, para realização de uma avaliação de desenvolvimento, por esta o considerar «sobredotado» mas com dificuldades relacionais e de integração grupal. A observação psicológica incluiu a Avaliação do desenvolvimento e projectiva da personalidade (Escala de Griffiths, C.A.T., e desenho temático). Será dado particular enfoque à avaliação projectiva. Os autores procuraram confirmar ou infirmar as hipóteses levantadas após a primeira avaliação diagnóstica, contribuindo para uma melhor clarificação do quadro clínico em questão, e orientação terapêutica, bem como demonstrar a especificidade do trabalho do Psicólogo numa Equipa de Saúde Mental Infantil.<hr/>The psychological evaluation might play an important role in the comprehension of the childhood working mental. By using psychometrics pre-defined and standardized instruments, it is possible achieve a better understanding of the cognitive potential and self organization, allowing the analyse of the behave, attitudes and reactions in the psychological evaluation setting. Through the presentation of one clinical case about four years old boy, the authors pretend to show the contribution of the psychological evaluation for a better definition of the childhood psychopathology, in a multidisciplinary team. <![CDATA[<b>Depressão materna e representações mentais</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A depressão materna merece um lugar especial entre as situações em que a qualidade do investimento materno se encontra comprometida, não só pela sua frequência, mas também pelo papel que ultimamente lhe tem sido atribuído enquanto factor de risco psicopatológico para o desenvolvimento de perturbações emocionais na criança. Neste trabalho são analisadas de forma mais detalhada as representações mentais de mães com sintomatologia depressiva e o seu impacto nas interacções mãe-criança, a partir de um estudo realizado na Unidade da Primeira Infância com o objectivo de avaliar a depressão materna (em correlação com outros factores de risco significativos) e o funcionamento psico-emocional dos filhos de mães deprimidas. É efectuada uma reflexão sobre os resultados desta investigação, sendo de destacar as diferenças significativas encontradas entre mães deprimidas e não deprimidas relativamente às percepções de si próprias, da criança e a aspectos da identificação mãe-criança.<hr/>Maternal depression deserves a special place amongst those situations in which the quality of maternal investment is compromised; not only because of its high prevalence but also due to the role it has been lately given as a risk factor in the development of emotional disturbances in children. In this paper, maternal mental representations of depressed mothers and their impact on mother-child interactions are more thoroughly analyzed, from the results of a study that took place at the Infancy Unit which aim was to evaluate maternal depression (in correlation with other significant risk factors) and psychological functioning of children of depressed mothers. The author analyses the results of this research, especially the significant differences found between depressed and non depressed mothers concerning mother's perceptions of herself, of the child and mother-child identification. <![CDATA[<b>O outro lado das birras</b>: <b>alterações de comportamento na 1.ª infância</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As alterações de comportamento são um sintoma, que pela disrupção que provocam na dinâmica familiar constituem um dos principais motivos de consulta pedopsiquiátrica na 1.&ordf; infância (cerca de 1/3 do total dos casos). Trata-se contudo de um sintoma que é comum a diversos quadros clínicos e que corresponde a diferentes situações do ponto de vista psicopatológico, cuja compreensão é fundamental para uma adequada intervenção terapêutica e prognóstico. Na 1.&ordf; infância, a delimitação clara dos quadros clínicos coloca algumas dificuldades devido às modificações rápidas do desenvolvimento, à falta de especificidade dos factores causais e ao contributo das perturbações relacionais para a patologia da criança. Mais importante do que as manifestações clínicas, é o nível de funcionamento das estruturas psíquicas, nomeadamente da organização do Self e do desenvolvimento do Eu, que é importante avaliar nestas situações. Neste trabalho, os autores fazem uma revisão da casuística da UPI relativamente às crianças referenciadas por alterações de comportamento durante um período de três anos (1996-1999), sendo apresentados os seus diagnósticos segundo a classificação DC: 0-3 (Diagnostic Classification of Mental health and development disorders of Infancy and Early Childhood), nos eixos I - diagnóstico primário - e II - perturbação da relação. Os autores apresentam também vinhetas clínicas ilustrativas da psicopatologia que pode estar subjacente a este sintoma.<hr/>One of the principle causes of toddler psychiatry consultation are the behaviour disorder, which are a symptom that brings up a huge disturbance in the familiar dynamics. It's about a symptom that is common to a several clinical boards, whose comprehension is fundamental for a proper therapeutic intervention and diagnosis. At the toddler, the straight delimitation of the clinical boards becomes difficult by the quick changes in the development, by the lack of specificity of the causal factors and by the contribution of the relationship disorders, for the child pathology. More important than the symptoms is the level of the internal structures functioning, namely the self organization which is important to evaluate at this circumstances. In this work, the authors made a revision of the UPI cases, relatively to the behaviour disorders, during a three year period, and being presented their diagnosis by a DC: 0-3 (Diagnostic Classification of Mental Health and Developmental Disorders of Infancy and Early Childhood), axis I - primary diagnosis and II - relationship disorders. The authors also present clinical figures cases from the psychopathology that could underlying this symptom. <![CDATA[<b>Representações mentais maternas</b>: <b>um caso de trigémeos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312003000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt É bem conhecido o facto de a representação metal materna influenciar as interacções mãe-criança e desta forma o desenvolvimento psicoafectivo do bebé. Com os trabalhos de D. Winnicott e de W. Bion torna-se mais evidente a importância do mundo fantasmático da mãe na construção do sentido da identidade da criança. Em 1980, com o artigo Ghosts in the Nursery, Selma Fraiberg enfatiza a importância das fantasias mentais maternas na génese da patologia da relação mãe-criança ou na formação de sintomas nesta. A propósito de um caso clínico de trigémeos, os autores propõem-se realizar uma reflexão teórica sobre as representações mentais maternas num contexto de gemeralidade. O caso clínico apresentado foi observado na nossa unidade a pedido dos pais, por necessidade de inserção das crianças num Infantário. À data da primeira consulta, os bebés tinham quatro meses, sendo dois do sexo masculino e um do sexo feminino. Pela observação, tornaram-se evidentes as diferenças da interacção mãe-criança em relação aos três bebés. Assim, uma questão nos surgiu: existirá uma única representação materna para todas as crianças, sendo a representação individual subsidiária desta, ou existirão à partida representações maternas diferentes? Para uma abordagem mais objectiva desta questão e do caso cliníco, utilizámos os seguintes instrumentos: entrevista R - método de avaliação das representações maternas de Daniel Ster, Cristianne Robert-Tissot et al. - e a Escala de Temparmento de Bates-ICQ.<hr/>It's well known the fact of the influences of the maternal representation in the infant-mother interaction and by this way, the psycho-affective development of the baby. With the work of D. Winnicott and W. Bion, becomes clearly the importance of the phantasmagoric world of the mother at the construction in the way of the child identity. In 1980, with the article Ghosts in the nursery, Selma Fraiberg values the amount of maternal fantasies in the relationship infant-mother pathology genesis or the arrangement of symptoms there. By the way, at multiple birth clinical case, the authors propose realizing a theoretical reflection about the maternal representation in a multiple birth context. The clinical case presented were observed in our unit for the need of children insertion at the nursery-school, by parents request. At first assessment, the babies were four months, two boys and one girl. During observations, became clearly the differences of the infant-mother interaction among the three babies. And then a question came up: will it exist only one maternal representation and for each child a subsidiary representation or will it exist different maternal representations? For a clear approach of this question we use the Interview R (D. Stern, Robert-Tissot, et al.) and the ICQ.