Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120200002&lang=es vol. 38 num. 2 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>When does brand matter more than our senses?</b>: <b>The influence of touching or smelling experience on product evaluation</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200001&lng=es&nrm=iso&tlng=es In this work we examine the interaction between brand and direct experience on product evaluation. Specifically, we selected two products (perfume and paper) whose intrinsic quality can be inferred directly through sensory experience (i.e., scent and writing experience, respectively). Results from one field and one laboratorial experiment showed that brand impacts the perception of a product, overriding the information offered by direct sensory experience with the product. Importantly, this was more likely to occur in processing conditions that induce low elaboration (e.g., low motivation). We further discuss how these results contribute to understand the effect as supported by having brand as a heuristic or promoting a belief that is able to bias our perceptions.<hr/>Neste artigo examinamos de que forma a marca e a experiência direta influenciam a avaliação de produtos. Especificamente, selecionámos dois produtos (perfume e papel) cuja qualidade intrínseca pode ser inferida diretamente através da experiência sensorial (fragrância e experiência de escrita, respectivamente). Os resultados de um estudo de campo e de um experimento laboratorial demonstram que a marca influencia a percepção dos produtos, enviesando a informação diretamente acessível através dos sentidos. Os dados mostram ainda que este efeito ocorre principalmente em condições de processamento de baixa elaboração (e.g., baixa motivação). No artigo discutimos como estes resultados contribuem para entender o processo subjacente ao efeito da marca na avaliação de produtos, podendo a marca atuar por via heurística ou através da promoção de uma crença capaz de enviesar as nossas perceções. <![CDATA[<b>Cognitive deficits, social support, depression and quality of life of post-stroke patients</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200002&lng=es&nrm=iso&tlng=es A stroke is a life-threatening event which has physical, emotional and cognitive consequences. This study aimed to identify differences between participants who suffered a stroke and healthy controls, concerning cognitive performance, depressive symptoms, social support and quality of life; to examine the associations between these variables among participants who suffered a stroke; and to identify the variables that best classify patients and controls. The sample included 30 patients who suffered a stroke and 30 healthy participants. Both groups presented similar sociodemographic characteristics. All participants were assessed with The Institute of Cognitive Neurology Frontal Screening, the Montreal Cognitive Assessment, the Hospital Anxiety and Depression Scale, the Instrumental-Expressive Social-Support Scale, and the Short Form Health Survey-36. Post-stroke patients had lower cognitive performance, lower social support, lower quality of life and higher depressive symptoms than the control group. Social support was positively related to quality of life and negatively related to depressive symptoms in the clinical group. Cognitive deficits and depressive symptoms correctly classified belonging to the clinical group in 85% of cases, and significantly predicted the stroke. This study underlines the importance of implementing psychological interventions addressing depressive symptoms and cognitive rehabilitation for post-stroke patients.<hr/>Um acidente vascular cerebral (AVC) é um evento ameaçador à vida que provoca consequências físicas, emocionais e cognitivas. Este estudo apresenta como objectivos: identificar diferenças entre participantes que sofreram um AVC (grupo clínico) e participantes saudáveis (grupo de controlo) no que concerne ao desempenho cognitivo, sintomatologia depressiva, suporte social e qualidade de vida; examinar as associações entre as variáveis em estudo em participantes que sofreram AVC; e identificar as variáveis que melhor classificam os dois grupos de participantes. A amostra incluiu 30 pacientes que sofreram um AVC e 30 participantes saudáveis, com características sociodemográficas semelhantes. A todos os participantes foram aplicados os seguintes instrumentos: The Institute of Cognitive Neurology Frontal Screening, the Montreal Cognitive Assessment, the Hospital Anxiety and Depression Scale, the Instrumental-Expressive Social-Support Scale, e the Short Form Health Survey-36. Pacientes que sofreram um AVC apresentaram défices cognitivos mais significativos, menor suporte social, menor qualidade de vida e sintomatologia depressiva mais elevada comparativamente ao grupo de controlo. O suporte social encontra-se, no grupo clínico, positivamente correlacionado à qualidade de vida e negativamente correlacionado à sintomatologia depressiva. A sintomatologia depressiva e os défices cognitivos classificaram corretamente 85% dos casos do grupo clínico. Este estudo realça a importância de se implementar intervenções psicológicas que incidam na sintomatologia depressiva e na reabilitação cognitiva de pacientes que sofreram um AVC. <![CDATA[<b>Predictors of outcomes following a brief Portuguese parental nutrition intervention</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200003&lng=es&nrm=iso&tlng=es Early childhood is largely recognized as a critical period for shaping the child’s eating patterns. Although interventions studies that focus on first years of life are increasing, with positive impact, the moderators of treatment gains and the relative importance of each determinant of the change process have been rarely explored. This study aimed to identify potential predictors of outcomes concerning children’s healthy and unhealthy eating behaviors after a parental school-based intervention. An intervention longitudinal study with repeated measures at baseline and after participation in the Red Apple program was performed. Parents and children were recruited in public and state-funded kindergartens near Lisbon, Portugal. A total of 44 parents of 3-to 6-year-old children agreed to participate in the study and 39 met the inclusion criteria. The Red Apple program included four parental group sessions about young children’s growth, nutritional guidelines, and positive parental feeding strategies, and adult-child activities and newsletters delivered to caregivers. Data regarding children’s dietary intake, food preferences, neophobia/neophilia, parental concerns about the child’s weight, and self-efficacy in promoting healthy dietary patterns in children were collected before (T1) and after (T2) the intervention. Higher parental concerns about weight and self-efficacy at T1 significantly predicted children’s healthy dietary intake at T2. The only significant contribution for children’s unhealthy dietary intake at T2 was the previous consumption of those foods at T1. Interventions that focus on parental cognitive variables might effectively contribute to positive changes in children’s dietary intake. Findings also suggest that specific targets of children’s diet may pose unlike challenges that respond differently to the mechanisms of influence of the intervention.<hr/>Os primeiros anos de vida têm sido reconhecidos com um período crítico para moldar os padrões alimentares da criança. Embora os estudos de intervenções direcionados a crianças pequenas tenham aumentado, com resultados positivos, os moderadores dos ganhos da intervenção e a importância relativa de cada determinante do processo de mudança têm sido raramente explorados. Este estudo teve como objetivo identificar possíveis preditores dos resultados obtidos após uma intervenção parental em contexto escolar, relativamente aos comportamentos alimentares saudáveis e não saudáveis de crianças pré-escolares. Foi realizado um estudo quasi-experimental e longitudinal, com medidas repetidas avaliadas antes e após a participação no programa Maçã Vermelha. Os pais e as crianças foram recrutados em jardins de infância do ensino público e de Instituições Particulares de Segurança Social da região de Lisboa. Um total de 44 pais de crianças entre os 3 e os 6 anos aceitaram participar no estudo, e 39 cumpriram os critérios de inclusão. O programa Maçã Vermelha incluiu quatro sessões grupais sobre o crescimento e a saúde das crianças pré-escolares, as orientações nutricionais para esta fase de desenvolvimento, e as práticas parentais alimentares mais eficazes. Entre sessões, foram entregues newsletters e atividades para realizar com as crianças. Foi solicitado aos pais que preenchessem instrumentos sobre a criança (consumo de alimentos saudáveis e não saudáveis, preferências alimentares, comportamentos neofóbicos/neofílicos) e sobre si (preocupação com o peso da criança, autoeficácia na promoção de uma alimentação saudável) antes (T1) e depois (T2) da intervenção. Índices mais elevados de preocupação com o peso e de autoeficácia em T1 previram significativamente o consumo de alimentos saudáveis em T2. A única contribuição significativa para o consumo de alimentos não saudáveis em T2 foi o consumo anterior desses alimentos em T1. As intervenções focadas nas variáveis cognitivas dos pais podem contribuir para mudanças positivas no consumo alimentar das crianças pequenas. Os resultados também sugerem que alvos específicos da dieta da criança podem apresentar desafios diferentes, que respondem diferentemente aos mecanismos de influência da intervenção. <![CDATA[<b>The relationship between abusive supervision and organizational trust</b>: <b>The role of subordinates’ self-esteem</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200004&lng=es&nrm=iso&tlng=es Interest in abusive supervision (Tepper, 2000) has increased due to its serious personal and organizational costs. As such, there is a need for additional studies that identify the individuals’ factors that can minimize the adverse effects of abusive supervision. Specifically, we predict employee self-esteem as a buffer of the relationship between abusive supervision, organizational trust and in-role behaviors. Additionally, we suggest organizational trust as a possible mechanism linking abusive supervision to in-role behaviors. Our model was explored among a sample of 201 supervisor-subordinate dyads from different organizational settings. The results of the moderated mediation analysis supported our hypotheses. That is, abusive supervision was significantly related to in-role behaviors via organizational trust when employees’ self-esteem was low, but not when it was high. These findings suggest that self-esteem buffers the impact of abusive supervision perceptions on organizational trust, with consequences for performance.<hr/>O interesse no estudo da supervisão abusiva (Tepper, 2000) aumentou devido às suas consequências nefastas a nível pessoal e custos organizacionais que acarreta. Como tal, são necessários estudos adicionais que identifiquem os fatores individuais passíveis de minimizar os efeitos adversos da supervisão abusiva. Especificamente, propomos que a autoestima dos colaboradores constitui um moderador na relação entre supervisão, confiança organizacional e comportamentos intra papel. Além disso, sugerimos que confiança organizacional é possível mecanismo que vincula a supervisão abusiva a comportamentos intra papel. O modelo proposto foi testado numa amostra constituída por 201 díades supervisor-subordinado de diferentes organizações. Os resultados da análise de mediação moderada suportaram as nossas hipóteses. Ou seja, a supervisão abusiva tem uma relação significativa com comportamentos intra papel através da confiança organizacional quando a autoestima dos colaboradores é baixa, mas não quando a autoestima é alta. Os resultados obtidos sugerem que a autoestima modera o impacto de percepções de supervisão abusiva na confiança organizacional, com consequências para o desempenho. <![CDATA[<b>Analysis of reading errors in Portuguese</b>: <b>Digraphs and complex syllabic structures</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200005&lng=es&nrm=iso&tlng=es The Portuguese language poses several challenges for children in the initial phase of learning how to read, particularly in the case of letters that may correspond to more than one phoneme, two letters that correspond to a single phoneme and in the case of words containing complex syllabic structures. The objective of this study was to perform a psycholinguistic analysis of the reading errors of children, attending the 1st (n=175) and 2nd year (n=137) of schooling, specifically in the case of words containing digraphs or complex syllabic structures and to analyse the differences between children’s reading errors in these two years. An oral reading test was used for data collection. A quantitative and qualitative analysis of the type of reading errors was conducted using words with consonant digraphs (ch, nh, lh, gu, rr, ss), and words with complex syllables <CVC and CCV&gt;. This analysis showed that children presented greater difficulties in some specific digraphs and tended to simplify complex syllables, either by adding or deleting phonemes. The quantity and quality of the reading errors of children attending both grades were discussed in light of reading acquisition theories and children’s phonological development.<hr/>A língua portuguesa apresenta vários desafios para as crianças na fase inicial de aprendizagem da leitura, dado que nem sempre as correspondências entre letras e sons são consistentes, havendo letras que podem corresponder a mais do que um som e duas letras que podem corresponder a um único som (dígrafos) e dado que há palavras que contêm sílabas complexas. O objetivo deste estudo foi realizar uma análise psicolinguística dos erros de leitura de crianças no 1º ano (n=175) e no 2º ano (n=137) de escolaridade e analisar as diferenças entre os erros de leitura nesses dois anos. Para a recolha dos dados foi usado um teste de leitura oral de palavras. Foi realizada uma análise quantitativa e qualitativa do tipo de erros de leitura em palavras contendo dígrafos (ch, nh, lh, gu, rr, ss) e palavras com sílabas complexas (CVC e CCV). Essa análise mostrou que as crianças apresentavam maiores dificuldades em alguns dígrafos específicos e tendiam a simplificar sílabas complexas, adicionando ou excluindo fonemas. A quantidade e qualidade dos erros de leitura de crianças que frequentam os dois anos foram discutidos à luz das teorias de aquisição de leitura e desenvolvimento fonológico das crianças. <![CDATA[<b>Career profiles</b>: <b>Career entrenchment or adaptation to change?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200006&lng=es&nrm=iso&tlng=es The rapid development of societies and the transformation of labour markets and organizations requires more dynamic careers nowadays. Thus, based on the career profiles described by Carson, Carson, Phillips and Roe (1996) and the association of career entrenchment and career satisfaction, we identified in this study, which career profiles currently exist. The cross-reference of data, with organizational commitment, career commitment and turnover intention, allowed to characterize each profile and the factors that weigh on the decision to stay or change career, keeping or not a positive attitude. We perform a cluster analysis using the K-means method, in a sample of 386 subjects. The results came across a new career profile, called transactional career, which might reflect that careers are currently more active and less stable. In the end, the results and the theoretical and practical implications are being discussed.<hr/>O rápido desenvolvimento das sociedades, a transformação dos mercados de trabalho e das organizações, exige hoje carreiras mais dinâmicas. Assim, e tendo por base, os perfis de carreira identificados por Carson, Carson, Phillips e Roe (1996) e da associação do entrincheiramento na carreira e da satisfação com a carreira, identificamos no estudo, que perfis de carreira existem atualmente. A referência cruzada de dados, do comprometimento organizacional, comprometimento com a carreira e da intenção de saída, permitiu caraterizar cada perfil e os fatores pesam na decisão de ficar ou mudar de carreira, mantendo ou não uma atitude contributiva. A uma amostra de 386 sujeitos, foi efetuada uma análise de clusters, através do método K-means, os resultados identificaram um novo perfil de carreira, chamado de transacional, que indicia que efetivamente as carreiras são atualmente mais fluídas e menos estáveis. No final serão discutidos os resultados e as implicações teóricas e práticas. <![CDATA[<b>Revenge and forgiveness</b>: <b>Two sides of the same coin?</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200007&lng=es&nrm=iso&tlng=es O desejo de punir alguém que tenha causado sofrimento se caracteriza como vingança. Entretanto, é possível que alguém apresente mudanças pró-sociais em relação ao ofensor, o que configura o perdão. Estudos apontam que perdão e vingança podem ser compreendidos de maneira oposta e também compartilharem uma dimensão comum. Nesse sentido, este estudo objetivou comparar o ajuste de um modelo bifator para perdão e vingança com explicações alternativas de modelos de um fator e dois fatores. Contou-se com a participação de 195 pessoas, a maioria do sexo feminino (66.7%), heterossexual (83.2%), solteira (80.8%), com ensino superior incompleto (68.4 %) e com idades entre 18 e 82 anos (M=27.26; DP=11.50), que responderam à Escala de Disposição para Perdoar e à Escala de Atitudes Frente à Vingança. Os resultados apontaram que o modelo bifator se mostrou mais adequado [χ²(102)=175.639, p<0,001; χ²/gl=1.54, SRMR=0.06, CFI=0.94, RMSEA=0.061 (IC90%=0.04-0.07), TLI=0.93]. Os resultados encontrados sugerem que, além de compartilharem um fator comum, as variáveis parecem ter legitimidade como construtos distintos, dando suporte empírico para a promoção de estratégias voltadas para se intervir tanto em elementos gerais como específicos relacionados aos construtos.<hr/>The desire to punish someone who has caused suffering is characterized by revenge. However, it is possible for someone to present pro-social changes in relation to the offender, which constitutes forgiveness. Studies point out that forgiveness and revenge can be understood in the opposite way and also share a common dimension. In this sense, this study aimed to compare the adjustment of a two-factor model for forgiveness and revenge with alternative explanations of one-factor and two-factor models. 195 people participated, the majority female (66.7%), heterosexual (83.2%), single (80.8%), with incomplete higher education (68.4%) and with ages between 18 and 82 years (M=27.26; SD=11.50), who to the Willingness to Forgive Scale and the Vengeance Scale. The results showed that the two-factor model was more appropriate [χ²(102)=175.639, p<0.001; χ²/gl=1.54, SRMR=0.06, CFI=0.94, RMSEA=0.061 (CI90%=0.04-0.07), TLI=0.93]. The results found suggest that, in addition to sharing a common factor, the variables seem to have legitimacy as distinct constructs, providing empirical support for the promotion of strategies aimed at intervening in both general and specific elements related to the constructs. <![CDATA[<b>Rushing to the end</b>: <b>Participants’ perceptions of demotivating aspects of online surveys</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200008&lng=es&nrm=iso&tlng=es More and more social science studies are now acquiring data through the internet, reaching participants online. Some participants start out engaged and motivated to participate, but progressively slide into «rushing behaviors». We inquired experts in survey responding about when, in online studies, they would feel a desire for rushing (defined as speeding with no concerns about the quality of responses). This qualitative approach uncovered Repetition, Survey length and No interest in topic as the three main features that would motivate these participants to rush in surveys. Subsequent inquiry of the same participants indicated that repetition concerns the type of questions made (more than stimuli or task), the execution of the same task more than 5-6 times, or for more than 6 minutes. Survey length concerns a preference for shorter surveys, as well as the subjective experience in which length exceeds previously set expectations (i.e., longer than announced), contributing to rushing by effectively lowering the hourly pay rate as the survey increases in length. Interest in topic was reported to be consistently low, despite not being the main reason to quit the survey. However, a change in expected level of interest in the middle of the survey is reported as a factor that will promote rushing behaviors. We discuss these data as informative regarding how pre-tests of surveys can benefit from these participants’ expertise.<hr/>Cada vez mais, estudos na área das ciências sociais são dados adquiridos na internet, chegando a participantes online. Alguns participantes iniciam a sua participação de forma empenhada e motivada, mas desenvolvem, progressivamente, «comportamentos apressados». Inquirimos participantes experientes em participar em estudos online sobre as razões que os levariam a sentir motivação para apressar (definido como acelerar a participação sem preocupação pela sua qualidade). Esta abordagem revelou Repetição, Duração do estudo e Desinteresse no tópico como os três aspectos centrais que levariam os participantes a apressar estudos. Subsequentemente, os mesmos participantes indicaram que a repetição diz respeito ao tipo de questão (mais do que o tipo de estímulo ou tarefa), e à execução da mesma tarefa mais de 5-6 vezes, ou com uma duração superior a 6 minutos. A duração do estudo diz respeito à preferência por estudos mais curtos, bem como a experiência subjectiva da duração exceder expectativas prévias (i.e., duração superior à anunciada), levando a apressar, dada a redução do pagamento por hora à medida que o estudo vai aumentando em duração. Desinteresse no tópico foi reportado como sendo consistentemente elevado, embora não seja uma razão principal para abandonar o estudo - no entanto, havendo uma alteração no esperado nível de interesse a meio do estudo, foi reportado como um factor promotor de apressar a participação. Discutimos estes dados incidindo na sua relevância, e enquanto indicadores de como pré-testes com participantes peritos poderão beneficiar estudos online. <![CDATA[<b>Animacy norms for 224 European Portuguese concrete words</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200009&lng=es&nrm=iso&tlng=es Words are frequently used, for example, as stimuli in cognitive and linguistic research. Considering that there are various psycholinguistic variables known to influence word processing (e.g., frequency, concreteness), it is important to control for those variables. Recently, it has been reported that animacy (the characteristic of being a living/animate or a non-living/inanimate entity) also affects various cognitive and linguistic processes. In fact, animacy has been found to be one of the best predictors of free recall. However, animacy is still an uncontrolled variable in most studies and information about this variable is still, for the most part, absent. In this study, we provide animacy norms for a set of 224 European Portuguese concrete words. Such data should provide Portuguese researchers a helpful tool to start considering this dimension in a systematic way in their research.<hr/>Palavras são estímulos frequentemente usados em investigação, como por exemplo, nas áreas da cognição e da linguagem. Considerando que existem numerosas variáveis psicolinguísticas conhecidas por influenciar o processamento de palavras (e.g., frequência, concreteza), o controlo de tais variáveis em procedimentos experimentais é crucial. A variável animacidade (i.e., a característica que distingue seres animados, ou vivos, de entidades inanimadas, ou não-vivas), foi recentemente identificada como influenciadora de vários processos cognitivos e linguísticos. Inclusivamente, a animacidade foi considerada um dos melhores preditores da recordação livre. No entanto, a animacidade é ainda uma variável não controlada na maioria dos estudos, sendo que a informação sobre a mesma é ainda praticamente inexistente. Neste estudo, apresentamos normas de animacidade para um conjunto de 224 palavras concretas do Português Europeu. Estes dados constituem um recurso útil que permitirá aos investigadores portugueses considerar esta variável de forma sistemática nos seus estudos. <![CDATA[<b>The closed-ended questions formats</b>: <b>The nature, validity and reliability of their responses</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312020000200010&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este artigo tem por objectivo apoiar os investigadores nas decisões sobre o uso de questões de resposta fechada nos seus questionários fazendo uma revisão crítica da literatura relativamente às implicações dessas decisões para a natureza, validade e fiabilidade da medida e das conclusões que ela suporte. Esta revisão da literatura apoia a investigador no processo de decisão sobre a melhor forma de operacionalizar as suas variáveis através de uma resposta fechada. São apresentados argumentos que sustentam a tomada de decisão na construção da lista de opções de resposta a fornecer ao inquirido, e o tipo de escala a utilizar: gráficas ou não gráficas; categorias ou de avaliação contínua; com 3 ou mais pontos; com ou sem rótulos e neste caso, com que tipo de rótulos, etc. Ilustramos adicionalmente outros tópicos a ter em conta na construção de uma medida que usa como formato de resposta fechado uma escala de avaliação contínua analisando o caso específico em que se mede “frequências percebidas”.<hr/>This paper aims to support researchers in the decisions about the use of closed answer questions in their questionnaires by critically reviewing the literature regarding the implications of such decisions for the nature, validity and reliability of the measure. This literature’s review provides arguments for the researcher to decide on how best to operationalize their variables through a closed response. Arguments presented support decision-making in the construction of response options to be provided to the respondent, and the type of scale to be used: graphical or non-graphical; categories or continuous assessment; with 3 or more points; with or without labels and in this case, with what kind of labels, etc. Other topics are illustrated to be considered for construction of a response scale analyzing the specific case in which “perceived frequencies” are measured.