Scielo RSS <![CDATA[Análise Psicológica]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-823120190001&lang=en vol. 37 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Sleep, aggressiveness and risk behaviors in individuals dependent on drugs and alcohol</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os problemas relacionados com o consumo de substâncias psicoativas, afetam não apenas contexto socioeconómico do indivíduo, mas também têm impacto ao nível do sono, da agressividade e dos comportamentos de risco. O presente estudo analisou, por um lado, as diferenças entre indivíduos dependentes de drogas e de álcool ao nível da qualidade do sono, da agressividade e de comportamentos de risco. E, por outro lado, identificou o contributo independente das variáveis sociodemográficas para o consumo de álcool e drogas. A amostra foi constituída por 115 indivíduos dependentes de drogas e de álcool pertencentes a várias instituições da região Norte de Portugal. Os resultados revelaram que os indivíduos toxicodependentes possuem um menor nível de qualidade de sono, uma maior prevalência de ISTS e realizaram mais o teste ao VIH, sendo o seu resultado positivo com maior frequência, em comparação com os dependentes de álcool. A análise dos resultados revelou ainda que, nesta amostra, pertencer ao sexo feminino e possuir habilitações literárias mais baixas constituíam preditores significativos do consumo de álcool, sendo o consumo de drogas predito pela idade mais jovem e pelas habilitações literárias superiores. Os resultados revelaram a necessidade de implementar e avaliar programas de intervenção ao nível das dependências.<hr/>Problems related to the consumption of psychoactive substances affect not only the individual's socioeconomic context, but it also has an impact on sleep, aggressiveness and risk behaviors. The present study analyzed, on the one hand, the differences between individuals who are dependent on drugs and alcohol on the quality of sleep, aggressiveness and risk behaviors. And, on the other hand, it identified the independent contribution of sociodemographic variables to alcohol and drug consumption. The sample consisted of 115 drug and alcohol dependent individuals belonging to several institutions in the Northern region of Portugal. The results showed that drug addicts had a lower level of sleep quality, a higher prevalence of STIs and have done HIV tests, and their positive results were more frequent compared to those who depended on alcohol. The analysis of the results also showed that, in this sample, being female and having lower literacy levels were significant predictors of alcohol consumption, with drug use predicted by younger age and higher literacy. The results revealed the need to implement and evaluate intervention programs at the dependency level. <![CDATA[<b>Social representations of HIV/AIDS for adolescents</b>: <b>A structural approach</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A presente investigação teve como propósito apreender e analisar as representações sociais de adolescentes no que diz respeito ao VIH e à SIDA no Brasil. A amostra foi formada por 576 adolescentes, com idade média de 15,67 anos (DP=1.66). Utilizou-se a técnica de associação livre de palavras, com as palavras indutoras “HIV” e “AIDS”, a qual foi investigada por meio da análise prototípica, com o apoio do software Iramuteq. Tal análise possibilita definir a estrutura de uma representação social a partir de evocações de palavras, o que permite observar o núcleo central e o sistema periférico da representação social. Entre os achados, salienta-se a definição da palavra “doença” como núcleo central e em seu contorno a definidora “morte” como primeira periferia, o que reforça a crença que o VIH/SIDA é uma doença fatal. Nas demais zonas do sistema periférico ressaltam-se aspectos ligados à afetividade, bem como conhecimentos sobre a disseminação e práticas preventivas. Desse modo, percebe-se que os respondentes possuem conhecimento a respeito das causas, tratamento e prevenção do VIH/SIDA, contudo há a necessidade de implementação de políticas públicas que levem em consideração esses conhecimentos, bem como os estimulem dentre os adolescentes.<hr/>The objective of the present research was to understand and analyze the social representations of adolescents about the HIV and AIDS in the Brazil. The sample consisted of 576 adolescents, with a mean age of 15.67 years (SD=1.66). Was used the technique of free association of words, with the inductive words “HIV” and “AIDS”, which was investigated by prototypical analysis, with the support of software Iramuteq. This analysis makes it possible to define the structure of a social representation from evocations of words, which allows us to observe the central kernel and the peripheral system of social representation. Among the findings, it is noted definition of the word “disease” as the center and its contour defining the “death” as the first periphery, which reinforces the belief that HIV/AIDS is a fatal disease. In the other areas of the peripheral system there are aspects related to affectivity, as well as knowledge about dissemination and preventive practices. In this way, the respondents are aware of the causes, treatment and prevention of HIV/AIDS, but there is a need to implement public policies that take these knowledge into account and stimulate them. <![CDATA[<b>The other side of self-monitoring</b>: <b>Inhibition control in and out a social context</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Although the Stroop effect depends on cognitive monitoring efficiency, it is not yet clear if the Self-Monitoring personality trait is related with such efficiency. Here we contrast two likely hypotheses. If we assume executive control functions to be more activated by individuals’ personality tendency to monitor their behavior, we should expect High Self-Monitors to reduce Stroop interference. However, if we assume that Self-Monitoring personality features are only monitoring social context features, it may be that High Self-monitors lack executive resources to perform a Stroop task depending on the nature of their social context. In two studies, we test these hypotheses creating a feeling of being in a social context through priming (Study 1) or by manipulating other’s presence (Study 2). In both studies we assessed High and Low Self-Monitor’s performance in a Stroop task. Results of both experiments show that while Low Self-Monitors perform better in social than in nonsocial contexts, High Self-Monitors perform worse in the social context. This pattern of results suggests monitoring activity of High Self-Monitors in the presence of others interferes with their cognitive performance in controlling Stroop interference.<hr/>Sendo claro que o efeito Stroop ocorre devido a falhas nos processos de monitorização cognitivo, até ao momento desconhece-se se o traço de personalidade Automonitorização interfere com o desempenho dessa monitorização. Neste estudo opomos duas hipóteses prováveis. Se assumirmos que as funções do controlo executivo são mais ativadas pelos indivíduos com tendências de personalidade para monitorizar o seu próprio comportamento, é expectável então que indivíduos com alto nível de automonitorização tenham um desempenho onde os níveis de interferência Stroop sejam reduzidos. No entanto se assumirmos a Automonitorização como traço de personalidade que apenas monitora características socias do contexto, então pode ser que indivíduos com altos níveis de automonitorização demonstrem uma falta de recursos executivos para desempenharem a tarefa Stroop em contextos sociais que requeriam essa monitorização. Em dois estudos testamos estas hipóteses. O contexto social é manipulado quer através de uma tarefa de primação (estudo 1) quer através da manipulação da presença física de indivíduos (estudo 2). Em ambos os estudos participantes com altos e baixos níveis de automonitorização desempenharam uma tarefa de Stroop. Resultados de ambos os estudos demonstram que os indivíduos com baixos níveis de automonitorização desempenham melhor em contextos sociais do que não-sociais, enquanto os indivíduos com altos níveis de automonitorização desempenham pior em contextos sociais. Este padrão de resultados sugere que a atividade de monitorização dos indivíduos com altos níveis de automonitorização na presença de outros, interfere com a sua capacidade de controlar a interferência Stroop. <![CDATA[<b>How transactive memory systems and reflexivity relate with innovation in healthcare teams</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Transactive memory systems promote the effective exchange of diverse information, and may therefore contribute to healthcare teams innovation. Prior research on performance outcomes, however, suggests that transactive memory systems might be most useful for repetitive, rather than novel tasks. We reconcile these conflicting predictions by arguing that the information processing efficiencies of a transactive memory system will benefit innovation because transactive memory systems will help team members also reflecting on their processes and goals. We tested our hypotheses in a sample of 256 healthcare nurses (Nteams=54). Our findings support prior research showing that reflexivity is positively related to team innovation in teams. Furthermore, we found that reflexivity fully mediates the relationship between transactive memory systems and team innovation. This study contributes to the literature by addressing how team cognitive structures and processes combine to affect innovation. This study makes practical contributions by offering ideas for organizing in healthcare settings.<hr/>Os sistemas de memória transitiva promovem a troca eficiente de informação, contribuindo para a inovação das equipas hospitalares. Estudos anteriores sugerem que os sistemas de memória transitiva podem ser mais úteis para tarefas repetitivas. Neste estudo, conciliamos estes resultados contraditórios argumentando que as eficiências de processamento dos sistemas de memória transitiva beneficiarão a inovação, porque os sistemas de memória transitiva ajudarão os membros da equipa a refletirem sobre os seus processos e metas. A amostra deste estudo incluiu 256 enfermeiros hospitalares (N=54 equipas). Os resultados sugerem que a reflexividade medeia positivamente a relação entre os sistemas de memória transitiva e a inovação das equipas. Este estudo contribui para a literatura ao clarificar de que forma é que as estruturas e processos cognitivos das equipas se combinam para influenciar a inovação das equipas hospitalares; e para a prática ao oferecer ideias para a gestão de equipas em ambiente hospitalar. <![CDATA[<b>Self-concept in persons with Intellectual and Developmental Disability in Portugal</b>: <b>A systematic review</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en A mudança de paradigma da pessoa com Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental (DID) como agente ativo e autodeterminado vem evidenciar a forma como o próprio se vê, ou seja, o seu autoconceito, sendo este um tema que a nível nacional ainda carece de mais investigação. Esta revisão sistemática objetiva identificar e caracterizar os aspetos que influenciam o autoconceito destes indivíduos. A pesquisa foi realizada em várias bases de dados e revistas eletrónicas. Os estudos foram considerados elegíveis se relatassem aspetos ligados ao autoconceito e à DID, apresentassem parte empírica, incluíssem amostras nacionais e se tivessem acesso livre. Posteriormente, os estudos foram submetidos a vários processos de seleção, até ao processo de avaliação metodológica. Foram considerados oito estudos, onde dois analisaram a influência da atividade física, e os restantes outras variáveis (e.g., desinstitucionalização) no autoconceito da pessoa com DID. Os oito estudos compreenderam 1 a 50 participantes (N=179), entre os 8 e os 65 anos com DID ligeira a moderada. Seis dos estudos foram classificados como “fortes” e os restantes como “moderados”. Existem vários aspetos que influenciam positivamente o autoconceito nesta população, destacando-se uma boa rede de suporte social e a educação parental. Quanto à autoestima, salienta-se a prática da atividade física e a desinstitucionalização. A aposta na investigação na área desde a validação de instrumentos específicos para a avaliação do autoconceito deste subgrupo populacional e da análise das suas propriedades psicométricas, passando pela identificação dos fatores preditores do autoconceito neste subgrupo, na relevância da monitorização dos processos de desinstitucionalização e identificação das estratégias e implementação de programas centrados na pessoa para uma maior participação, para a mudança de atitudes, são algumas das recomendações para a prática.<hr/>The new paradigm emphasizing the subjective perspective of the person with Intellectual and Developmental Disability as an active agent in their own life, has impact and is impacted by self-concept. National research about self-concept of this subgroup is still scarce. This systematic review aims to identify and characterize factors that influence the self-concept of these individuals. Research was made based in numerous databases. Studies were considered eligible if related to self-concept, had an empirical part, included national samples and with open access. Studies were submitted to various selection processes till the final methodological evaluation process. Eight studies were considered eligible, two of them analyzed physical activity (PA) influence, and the others studied the influence of other aspects (e.g., deinstitutionalisation) on self-concept of people with IDD. All studies samples comprised 1 to 50 persons between 8 and 65 years, with mild to moderate IDD. Regarding the quality of studies, six were classified as “strong” and two as “moderate”. There are numerous aspects that influence positively the self-concept of persons with IDD, specially a good network of social support, and good parenting education. On a self-esteem’s level, it’s important to emphasize the positive influence of PA engagement as well as deinstitutionalization. More research in self-concept measures validation for people with IDD and its psychometric analysis, the identification of self-concept’ determinants, the monitoring of deinstitutionalization process and the identification of strategies and person-centred plans are some of the recommendations for attitudes change towards persons with ID. <![CDATA[<b>Links between use of the secure base script and preschool children’s knowledge about emotions</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en The links between attachment security and multiple aspects of emotional development have been studied for several decades. Although these studies are valuable insofar some answers related to representations of attachment and emotion knowledge are still open. Preschool aged children (N=40) participated in this study. We used the Attachment Story Completion Task as their attachment measure, with representations measured as access to and use of the Secure Base Script (SBS) to organize children’s attachment relevant narratives. Emotional knowledge was assessed using the Affect Knowledge Test. Our main goal was to demonstrate that the SBS behaves like a typical measure of attachment representations with respect to its relations with children’s emotion understanding. Results suggested that children with secure attachment histories tend to have a larger fund of emotion knowledge. The SBS measure behaved similarly to other measures of attachment security suggesting its validity as a measure of attachment representations during early childhood.<hr/>As associações entre a segurança da vinculação e múltiplos aspetos do desenvolvimento emocional têm sido estudadas durante várias décadas. Embora estes estudos sejam válidos, algumas respostas relacionadas com as representações de vinculação e o conhecimento emocional continuam em aberto. Participaram neste estudo crianças de idade pré-escolar (N=40). Utilizámos o Attachment Story Completion Task como medida de vinculação das crianças, com as representações a serem avaliadas enquanto acesso e uso do script de base segura (SBS) para organizar as narrativas de vinculação das crianças. O conhecimento emocional foi avaliado com recurso ao Teste do Conhecimento das Emoções. O nosso principal objetivo era demonstrar que o SBS se comporta como uma típica medida das representações de vinculação, no que diz respeito à sua associação com a compreensão das emoções por parte das crianças. Os resultados sugerem que as crianças com histórias de vinculação segura tendem a ter uma maior base de conhecimento emocional. A medida de SBS comportou-se de forma semelhante a outras medidas de segurança de vinculação, sugerindo a sua validade enquanto medida de representações de vinculação durante a infância. <![CDATA[<b>Public knowledge and perceptions on family foster care</b>: <b>Contributes to it’s development</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O acolhimento familiar é uma medida de promoção e proteção de crianças e jovens que tem ganho crescente expressividade na Europa nas últimas décadas. Paralelamente, a investigação tem evidenciado um maior ajustamento desta resposta face às necessidades desenvolvimentais das crianças em perigo. Não obstante, em Portugal, esta é ainda uma medida com muito pouca representação. A capacidade de promover o Acolhimento Familiar, para além de muitos e complexos fatores de ordem política, legislativa e financeira, estará também dependente dos conhecimentos e perceções que a população em geral possa ter sobre a problemática. Assim, este estudo analisa os conhecimentos e perceções de uma amostra da população portuguesa (n=270) acerca do acolhimento familiar. Os resultados demonstram poucos conhecimentos acerca da realidade do acolhimento, mas uma atitude favorável face ao acolhimento familiar e uma elevada disponibilidade dos inquiridos para se tornarem família de acolhimento. A discussão dos resultados é feita tendo em conta as suas implicações para a promoção de uma cultura de acolhimento familiar e para a criação de condições que viabilizem a adesão à medida em Portugal.<hr/>Family foster care is a child protection measure that gained representation throughout Europe in the last decades. Parallel, research underlines the better fit of family foster care to the developmental needs of at risk children and youth. However, in Portugal, this is still an underrepresented measure in the Child Protection System. Beyond many complex political, legal and financial aspects, the ability to promote family foster care, may be also dependent on the knowledge and perceptions that general public might have on the subject. This study analyses public (n=270) knowledge and perceptions about family foster care. Results show little knowledge about the out of home care system, but a favourable attitude towards family foster care and a high availability to become foster carer. Results are discussed taking into account its implications towards the promotion of a culture of family foster care and towards the strengthening of conditions that foster the development of the measure. <![CDATA[<b>The Portuguese version of the Cyber Dating Abuse Questionnaire (CDAQ)</b>: <b>Adapting and psychometric properties</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Algumas manifestações de violência no namoro ocorrem através do uso das novas tecnologias, pelo que importa investigar esta tipologia de abuso apelidada internacionalmente de cyber dating abuse. O presente estudo procurou traduzir e adaptar, para a população portuguesa, o Cyber Dating Abuse Questionaire (CDAQ; Borrajo, Gámez-Guadix, Pereda, & Calvete, 2015), estudando as suas propriedades psicométricas. A versão portuguesa foi administrada a uma amostra de 272 estudantes, a grande maioria (87%) de sexo feminino e com uma média de idades de 28.41 (DP=7.02). A análise fatorial confirmatória revelou bons índices de ajustamento, permitindo confirmar o modelo fatorial do instrumento original constituído por quatro fatores correlacionados, dois relativos à vitimação por agressão direta e controlo e dois à perpetração dessas mesmas tipologias de violência. Adicionalmente, todos os fatores revelaram boa consistência interna. Ainda que os indicadores de prevalência de vitimação e perpetração por controlo (58.8% vs. 63.2%, respetivamente) se tenham revelado mais preponderantes comparativamente aos de vitimação e perpetração por agressão direta (18% vs. 14.7%), foi possível confirmar que estes dois tipos de ciberabuso íntimo constituem comportamentos entre os jovens portugueses estudantes universitários envolvidos/as em relações íntimas. As implicações práticas e empíricas futuras deste estudo são objeto de discussão neste trabalho.<hr/>Some forms of dating violence can occur through the use of new technologies; hence examining this type of abuse, referred as cyber dating abuse in the international literature, is important. The present study aimed to translate, adapt, and examine the psychometric properties of the Cyber Dating Abuse Questionnaire (CDAQ, Borrajo, Gámez-Guadix, Pereda, & Calvete, 2015) among the Portuguese population. A sample of 272 students, the vast majority (87%) female and with a mean age of 28.41 (DP=7.02), filled out the Portuguese version of the questionnaire. Confirmatory factorial analysis revealed good adjustment confirming the factor model of the original version, composed by four correlated factors: victimization through direct aggression or through control, and perpetration of these same typologies of violence. All factors revealed good internal consistency. In addition, we concluded that these two types of intimate cyber abuse are prevalent among Portuguese youth in their intimate relationships, although the prevalence of victimization and perpetration through controlling behaviors (58.8% vs. 63.2%, respectively) was greater than that of victimization and perpetration through direct aggression (18% vs. 14.7%). Empirical and practical implications of the study are discussed. <![CDATA[<b>A pilot study of the Portuguese version of the Voices Acceptance and Action Scale</b>: <b>Psychometric properties in a clinical sample with psychosis-spectrum disorders</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312019000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Given the recent interest in acceptance-based interventions for psychosis, it has been recommended that coping with voices mechanisms, namely experiential acceptance, are routinely assessed in clinical and research settings. The Voices Acceptance and Action Scale (VAAS-12) is a self-report measure developed to specifically assess acceptance-based or action-based beliefs in relation to verbal auditory hallucinations. This study aimed to translate, adapt and study the psychometric properties of the Portuguese version of the VAAS-12 in a clinical sample within the psychosis-spectrum disorders. The VAAS-12 was translated and adapted to Portuguese. Its psychometric properties were then studied in a sample of fifty-four male participants, mostly single, unemployed, and with a last week voice hearing experience. Confirmatory analysis was performed for the one-factor and two-factor structure suggested for the VAAS in previous studies. Both had unacceptable fit indicators. Exploratory analysis then yield an alternative two-factor structure (“Non-interference and action” and “Acceptance and Life functioning” subscales) with adequate fit. Adequate internal consistency and construct validity were found, with the VAAS being negatively associated with perception of voices as hostile-dominant and resistance regarding voices. The VAAS-12 seems adequate to use in clinical and research studies, although further study is needed particularly regarding subscale “Acceptance and Life functioning”.<hr/>Tendo em conta o interesse recente nas intervenções baseadas na aceitação para a psicose, tem sido recomendado que os mecanismos de coping com as vozes, nomeadamente a aceitação experiencial, sejam avaliados no contexto clínico e de investigação. A Escala de Aceitação e Ação em relação às Vozes (VAAS-12) é um instrumento de autorresposta especificamente desenvolvido para avaliar as crenças baseadas na aceitação ou na ação em relação às alucinações auditivo-verbais. O presente estudo tem como objetivo a tradução, adaptação e estudo das propriedades psicométricas da versão portuguesa da VAAS-12 numa amostra clínica dentro do espectro das perturbações psicóticas. A VAAS-12 foi traduzida e adaptada para Português. As suas propriedades psicométricas foram posteriormente estudadas numa amostra de cinquenta e quatro participantes do sexo masculino, maioritariamente solteiros, desempregados e com uma experiência de ouvir vozes na última semana. Foram realizadas análises fatoriais confirmatórias para as estruturas de um e dois fatores sugeridas em estudos prévios, sendo que ambas apresentaram índices de ajustamento inaceitáveis. A análise fatorial exploratória realizada posteriormente revelou uma estrutura alternativa de dois fatores (“Não interferência e ação” e “Aceitação e Funcionamento”) que obteve ajustamento adequado. Foi encontrada adequada consistência interna e validade de constructo, tendo sido encontradas associações negativas com a perceção das vozes como hostis-dominantes e resistência em relação às vozes. A VAAS-12 parece ser adequada para uso em contexto clínico e de investigação, embora mais estudos sejam necessários particularmente no que diz respeito à subescala “Aceitação e Funcionamento”.