Scielo RSS <![CDATA[Corrosão e Protecção de Materiais]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-116420140003&lang=pt vol. 33 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Corrosão atmosférica em contexto museológico</b>: <b>O caso da sala do tesouro do museu nacional de arqueologia, Lisboa</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642014000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The gold jewellery collection exhibited in the Treasure Room of the National Archaeology Museum in Lisbon, Portugal, developed a severe surface corrosion. In order to approach the corrosion mechanisms, the state of conservation of the objects and the exhibition conditions were characterised. The temperature, the relative air humidity and the light were measured. The pollutants and the exhibition materials of the showcases were identified. The relation between the exhibition conditions and the corrosion development was search.<hr/>A colecção de ourivesaria arcaica exposta na Sala do Tesouro do Museu Nacional de Arqueologia em Lisboa, Portugal, apresenta um desenvolvimento acentuado de corrosão. Para o estudo dos mecanismos de corrosão foram caracterizados o estado de conservação dos objectos e as condições de exposição. A temperatura, a humidade relativa, a luz, os poluentes e os materiais das vitrinas foram identificados. Foi investigada a relação entre as condições de exposição e o desenvolvimento de corrosão. <![CDATA[<b>Desenvolvimento de procedimento prático de campo para a identificação de tintas de acabamento, visando auxiliar na especificação de esquemas de pintura de manutenção</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642014000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Na especificação de esquemas de pintura de manutenção, principalmente quando estiver prevista a aplicação de uma nova tinta sobre uma pintura antiga, é de suma importância conhecer o tipo de tinta sobre a qual ela será aplicada, a fim de evitar a ocorrência de falhas prematuras no revestimento. Em muitas situações não se tem conhecimento sobre o tipo de tinta de acabamento do esquema de pintura existente no substrato. A identificação de películas de tintas de acabamento pode ser feita em laboratório por meio de técnicas de análise orgânica como, por exemplo, a de espectroscopia de absorção no infravermelho. Porém, estas técnicas dependem de equipamentos sofisticados e de mão de obra especializada para a realização da análise. Neste trabalho, apresenta-se um procedimento que pode ser utilizado em campo na identificação do tipo de tinta de acabamento presente num esquema de pintura pré-existente. O procedimento proposto não envolve a utilização de equipamentos sofisticados e é de fácil execução. A elaboração do mesmo foi baseada nos resultados de um amplo trabalho de pesquisa, realizado com diversos tipos de tinta de acabamento, bem como nas informações técnicas contidas na norma ASTM D 5043. Contudo, tal como refere a última versão desta norma (2009), tal procedimento não é adequado para situações mais exigentes, como é o caso da análise de falhas, ou para diferenciação de produtos entre diferentes fabricantes do mesmo tipo de tinta. Também pode não ser definitivo para identificar acabamentos de esquemas de pintura complexos, que incluem várias camadas de diferentes sistemas de pintura. Por essa razão e dada a subjetividade do procedimento recomendado neste trabalho, este só deverá ser realizado por técnicos experientes, de modo a minimizar possíveis erros de interpretação.<hr/>When specifying maintenance paint systems, especially for application over an aged coating, it is very important to consider the product type in both systems to avoid premature failures due to compatibility problems between paints. The identification of paint films can be conducted in the laboratory by means of organic analysis techniques such as infrared spectroscopy. These techniques depend on sophisticated equipment and skilled labour to be carried out. Furthermore, they require some time for execution and it is not always possible to wait for the results of these analyses. In this paper, a procedure to identify paint films in field will be shown. The proposed procedure does not involve the use of sophisticated equipment and is easy to perform. It was developed using the results from extensive research work with different finishing paints, as well as the technical information contained in ASTM D 5043 Standard. However, as referred in the last version of this Standard (2009), such procedure is not appropriate if more detailed analysis is required, for example, as a part of failure analysis or to identify between different manufacturers of the same type of coating. They also may not be definitive enough to identify complex systems that include multiple layers of different generic types of coatings. The evaluation of results is quite subjective. Practice and experience are required. <![CDATA[<b>Estudo da corrosão em planta de ultrafiltração de efluentes em indústria de celulose e papel</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642014000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo trata do estudo realizado sobre a influência dos produtos químicos utilizados na lavagem da membrana da planta de ultrafiltração do tratamento de efluentes de uma empresa de celulose e papel do interior do Paraná - Brasil. Foram determinados o potencial de corrosão, a resistência de polarização e as constantes de Tafel através de método eletroquímico segundo a norma ASTM G 59-97. Através desses dados foram determinadas as taxas de corrosão eletroquímica. Foram utilizados como eletrólitos o próprio efluente a ser tratado na planta, e as soluções de NaOH 500 mg/L, H2SO2 0,012 mol/L e 0,1mol/L e H2O2 5,0 g/L e 10 g/L a 25ºC. A taxa de corrosão do aço AISI 1020 em meio de ácido sulfúrico foi de 1,26 mm/ano, tornando-o um material não recomendável. O aço AISI 304L apresentou desempenho satisfatório em todos os meios estudados. O aço AISI 316L teve bom desempenho com taxa de corrosão de 0,0033 mm/ano no efluente. O material com melhor desempenho foi o aço duplex SAF 2205, com valores de 0,0029 mm/ano em ácido sulfúrico. A partir dos resultados deste trabalho foi possível propor uma sequência para a limpeza da planta.<hr/>This paper describes the study of the influence of chemicals employed in membrane cleaning, in the ultrafiltration plant in the effluent treatment station, in a pulp and paper company, located in Paraná State - Brazil. There have been determined the corrosion potential, the polarization resistance and the Tafel constants through electrochemical methods, according to the ASTM G 59-97 Standard. Through these data, it has been possible to determine the electrochemical corrosion rates. As electrolytes, there have been used the effluent to be treated, and solutions of NaOH 500 mg/L, H2SO2 0.012 mol/L and 0.1 mol/L and H2O2 5.0 g/L and 10.0 g/L, at 25ºC. It has been found that the corrosion rate of AISI 1020 steel in sulfuric acid was 1.26 mm/year, turning it into a non-recommended material. The AISI 316L steel has presented a good performance, with a corrosion rate of 0.0033 mm/year in the effluent. The best performing material has been the SAF 2205 duplex steel, with a corrosion rate of 0.0029 mm/year in sulphuric acid. From the results of the present study it has become possible to suggest a sequence for plant cleaning.