Scielo RSS <![CDATA[Corrosão e Protecção de Materiais]]> http://www.scielo.mec.pt/rss.php?pid=0870-116420120003&lang=pt vol. 31 num. 3-4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.mec.pt/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.mec.pt <![CDATA[<b>Comportamento corrosivo de ligas de al e al-li usadas como materiais aeronaúticos</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642012000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The aircraft industry is constantly looking for improved materials that offer benefits in terms of performance, weight and cost savings. The advantages of these alloys are lightweight, corrosion resistance, and very good thermal and electrical conductivity. In this paper, the corrosion resistance of two aluminum alloys was investigated by open circuit potential, potentiodynamic polarization and salt spray tests. The results suggest that the AA2198-T851 alloy tend to present a higher corrosion resistance when compared with the AA2524-T3 alloy. Consequently, in cases where corrosion is the main parameter to be considered, the AA2198-T851 may be a substitute for the AA2524-T3 alloy.<hr/>A indústria aeronáutica está constantemente à procura de materiais que oferecem benefícios em termos de desempenho, peso e custo. As vantagens destas ligas são a leveza, resistência à corrosão, boa condutividade térmica e eléctrica. Neste trabalho, foi investigada a resistência à corrosão de duas ligas de alumínio através de potencial de circuito aberto, polarização potenciodinâmica e ensaios de nevoeiro salino. Os resultados sugerem que a liga AA2198-T851 apresenta melhor resistência à corrosão quando comparada com a liga AA2524-T3. Consequentemente, em casos onde a corrosão é o principal parâmetro a ser considerado, a liga AA2198-T851 pode ser substituída pela liga AA2524-T3. <![CDATA[<b>Avaliação da resistência à corrosão da liga de alumínio 6101 após diferentes tratamentos térmicos de precipitação</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642012000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Atualmente, as ligas de alumínio da série 6xxx vêm ocupando um espaço importante na produção global das ligas de alumínio. A utilização em larga escala dessa classe de ligas é consequência da melhoria de suas propriedades mecânicas quando submetidas a tratamentos térmicos. No entanto, a realização de tratamentos térmicos de solubilização e a precipitação de fases metaestáveis durante o envelhecimento podem prejudicar consideravelmente a resistência à corrosão dessa classe de ligas. O presente trabalho, objetiva avaliar a suscetibilidade à corrosão da liga de alumínio 6101 submetida a tratamentos térmicos de solubilização. Investigou-se a corrosão através da realização de ensaios de potencial ao longo do tempo e curvas anódicas de polarização. Avaliou-se qualitativamente a formação de pites através de microscopia eletrônica de varredura (MEV). As soluções de 3,5 % de NaCl e 0,1 M de Na2SO4 foram utilizadas nos ensaios para simular condições de alta agressividade<hr/>Currently, 6xxx series aluminum alloys have been occupying an important place in the global production of aluminum alloy. The wide use of this class of alloys is a result of improvement on mechanical properties when subjected to heat treatments. However, the thermal treatments of solubilization and precipitation of metastable phases during aging may impair the corrosion resistance of this class of alloys. The present study aims to evaluate the corrosion behavior of aluminum alloy 6101 after heat treatment of solubilization by testing over time and anodic polarization curves. The formation of pits was evaluated by scanning electron microscopy (SEM). Solutions of 3.5 % NaCl and 0,1 M Na2SO4 were used in order to simulate conditions of high aggressiveness. <![CDATA[<b>Estudo da corrosão da tubagem à saída de um permutador de calor num sistema industrial de co-geração</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642012000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A co-geração de potência e calor tem sido empregue na indústria como uma das formas mais expeditas de melhorar a eficiência energética, permitindo, ao mesmo tempo, uma redução equivalente de emissões poluentes resultantes da queima de combustíveis fósseis. Um dos equipamentos mais utilizados neste tipo de aplicação para promover as necessárias transferências de calor entre fluidos são os permutadores de calor, em especial os de serpentina e de invólucro e tubos. Os materiais mais comumente empregues na fabricação deste tipo de equipamentos são os aços de diferentes composições que permitem garantir a longevidade, mais ou menos extensa, dos equipamentos. Porém a operação com fluidos aquosos quentes e em movimento causa um “stress” acrescido podendo conduzir à degradação desses materiais por corrosão, originando falhas pontuais e frequentes nas zonas mais susceptíveis, tais como “joelhos” e entradas (inlet) e saídas (outlet) de reservatórios e outros dispositivos. Neste trabalho apresentam-se os resultados de um estudo de uma falha por corrosão de um troço da linha de condensados, à saída de um permutador de calor integrado num sistema de co-geração de uma fábrica na região de Portalegre. Tudo indica que a falha, que se manifesta através do surgimento de estrias na parede interior do tubo e por perfuração da mesma em alguns pontos, fica-se a dever à acção combinada de interação química (corrosão) e mecânica (erosão) do material com o termofluido aquecido, que circula na tubagem, na sequência da degração de algum ou alguns dos seus constituintes, tornando-o mais agressivo em relação ao metal de que é feita a tubagem. Estas conclusões foram alcançadas através de ensaios electroquímicos potenciométricos e potenciodinâmicos, nomeadamente, por determinação da velocidade da corrosão de provetes do material de que é feita a tubagem, à temperatura ambiente e à temperatura de operação do permutador (cerca de 63 ºC).<hr/>Heat and power co-generation has been used in industry as a smart way to promote energy efficiency as well as to reduce the equivalent amount of pollutants emissions resulting from the burning of fossil fuels. Heat exchangers are one of the most used devices to perform the needed heat transference between the involved fluids, in particular serpentine and shell and tubes heat exchangers. Materials used in the fabrication of this type of equipments are steels of different compositions that warranty variable lifetimes depending on its corrosion behavior in the fluid used to perform the heat transference, the so called “thermofluid”. However, operation with moving hot aqueous fluids poses additional stress from the point of view of corrosion degradation of these materials, causing frequent spot failures in the most susceptible regions, such as tubing knees, tanks and other equipments inlet and outlet. This work presents the results of a corrosion failure analysis observed in a condensate line, downstream to a heat exchanger of a co-generation system in a factory in Portalegre region, Portugal. Results show that the failure, that presents in the form of grooves in the inner hall of the tube and perforation in some places, is most probably due to the combined chemical (corrosion) and mechanical (erosion) interaction of tubing material with the degraded thermofluid that circulate inside it. In fact, the degradation of some of the termofluid components renders it more aggressive towards the tubing material. These conclusions were withdrawn from potentiometric and potentiodynamic electrochemical tests through the determination of corrosion rates of probe of the tubing material at room temperature and at heat-exchanger operation temperature (around 63 ºC). <![CDATA[<b>Graves erros por insuficiente conhecimento das bases da química</b>]]> http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-11642012000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Referem-se erros em prescrições médicas com graves consequências, em comunicações em congressos na área da corrosão que também podem ter graves consequências, e em fontes de ensino da química, dos quais resulta má preparação de futuros profissionais. Estes factos decorrem de não ser tomada a devida atitude quanto à verdadeira essência desta ciência. Por exemplo, falar-se de “cloretos” ou “iões de cálcio” como se de substâncias se tratasse, pode dar origem a erros de consequências graves. Por isso recomendamos que, em toda a informação oral ou escrita, os autores usem, e.g., “…sais contendo cloretos (ou cloro) …” ou “…sais contendo iões de cálcio (ou somente cálcio) …”, pelo menos a primeira vez que o conceito seja referido.<hr/>Errors in medical prescriptions with serious consequences, in communications in corrosion meetings, also with serious consequences, and in literature for teaching chemistry resulting in deficient preparation of future professionals, are referred. These facts result from inadequate attitudes concerning the true nature of the chemical science. For example, using words like “chlorides” or “calcium ions” as if they were real substances may lead to serious consequences. We therefore recommend that, in all oral or written information, the authors use, e.g., “…salts containing chlorides (or chlorine)…” or “…salts containing calcium ions (or just calcium)…” at least at the first time the concept is referred.