ISSN 1646-5237
[versão online]

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

 

Escopo e política

A revista favorece o debate sobre as formas de investigar e de agir sobre o trabalho.

Assumindo a centralidade do trabalho na história individual e coletiva, serão privilegiadas pesquisas que favoreçam a sua compreensão e também perspetivem formas de intervenção na conceção, realização e transformação dos processos de trabalho. Considerando as questões de prevenção, proteção, bem-estar e desenvolvimento pessoal e profissional, os artigos publicados na Laboreal abarcam diversas problemáticas, de que se salientam: a gestão da segurança e da saúde no/pelo trabalho, a formação profissional e contínua, os processos de (re)conceção dos equipamentos e de (re)organização do trabalho humano, a promoção da saúde pública, o desenvolvimento local e regional.

Ao nível dos princípios orientadores, valorizam-se artigos que:

  • Equacionem o trabalho real a partir de critérios de contextualização e de exequibilidade em detrimento de critérios que derivem do universal e do ideal;
  • Contribuam para a ação/transformação das situações concretas;
  • Configurem temáticas inovadoras que concorram para o desenvolvimento dos conhecimentos científicos e de intervenção;
  • Apresentem (ou remetam para) dados que sustentam a argumentação desenvolvida.

Numa lógica de parceria e de cooperação não hierarquizada, a proposta de abertura pluridisciplinar que pretendemos para a Laboreal convoca a integração dos conhecimentos disponíveis sobre o trabalho humano, nomeadamente nos seguintes domínios: psicologia; ergonomia; sociologia; ciências do design e da computação; ciências da educação; ciências da saúde; economia e gestão.

Dadas as opções referidas, a revista dirige-se a públicos de investigadores, professores e estudantes, assim como todos os profissionais que se interessam pelas questões relacionadas com a atividade real de trabalho.

Todos os textos submetidos que se enquadram na política editorial de Laboreal são avaliados por dois peritos em função dos seguintes critérios:

  • Pertinência do artigo para os leitores;
  • Originalidade do artigo;
  • Qualidade do enquadramento teórico;
  • Adequação e rigor da metodologia;
    Clareza e justificação das conclusões;
  • Pertinência da bibliografia;
  • Coerência e equilíbrio da estrutura do texto;
  • Respeito das normas formais da revista.
No seguimento desta peritagem, algumas modificações poderão ser solicitadas aos autores, sendo posteriormente reanalisada a nova versão de modo a decidir sobre a sua publicação efetiva.

A Laboreal é uma revista de acesso aberto, o que significa que todo o conteúdo está disponível livremente, sem custos, quer para o utilizador, quer para a sua instituição. Os utilizadores poderão ler, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar , estabelecer ligações para os textos completos dos artigos, ou usá-los para qualquer outra finalidade lícita, sem pedir permissão prévia ao editor ou ao autor.

A submissão e publicação dos artigos são isentas de custos para os autores.

 

Forma e preparação de manuscritos

1. SUBMISSÃO DE UM DOCUMENTO

O documento submetido para publicação deve ser um texto original, alinhado com a política editorial da revista e enquadrado numa das suas rubricas (cf. lista de rubricas). Poderá ser apresentado nas línguas portuguesa ou espanhola, de acordo com a formatação definida (cf. ponto 3. “Apresentação dos Documentos”).

O documento deve ser enviado sob a forma electrónica para o seguinte endereço: laboreal@fpce.up.pt

2. PROCEDIMENTO DE ARBITRAGEM CIENTÍFICA

Após a submissão do documento pelo autor, inicia-se um processo de peritagem que envolve os seguintes passos:

- Os elementos da direção fazem uma leitura inicial do texto e analisam em que medida este se enquadra na política editorial da Revista;

- Caso a direção considere o texto adequado para peritagem científica, define dois peritos para realizar a sua avaliação;

- O texto é enviado para os peritos sem a indicação do nome do autor, num processo “Double-Blinded” - nem os peritos têm conhecimento do nome do autor, nem o autor terá depois conhecimento dos nomes dos peritos;

- Os peritos preenchem a ficha de peritagem e devolvem-na à direção da Revista, num prazo previamente acordado;

- Baseando-se nos dois pareceres, a direção elabora um documento único que envia aos autores. No caso de as peritagens serem favoráveis à publicação, este documento engloba o conjunto de modificações que devem ser introduzidas para a publicação do texto;

- O autor envia à direção, dentro do prazo definido, a versão final do seu texto e uma carta onde identifica as modificações introduzidas e justifica as opções efetuadas;

- A direção verifica se as sugestões dos peritos foram tidas em conta pelo autor, podendo ainda exigir algumas modificações. Após este processo, define se o texto pode ser considerado aceite para edição.

- Após o artigo ter sido aceite, o autor (se houver vários autores: cada um dos autores) assina uma Declaração em que certifica o carácter inédito do artigo assim como autoriza a sua publicação (Declaração disponível para download em PDF no site da Laboreal). Esta declaração é enviada por correio eletrónico (depois de devidamente preenchida e assinada) ou através de correio postal para a morada da Laboreal (cf. 1 - Submissão de um Documento) e arquivada nos dossiês da Revista.

3. APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS

3.1. Normas para a redacção de resumos

O resumo do artigo deve ser redigido em todas as seguintes línguas: português, espanhol, inglês e francês, sendo a tradução subjacente da responsabilidade dos autores. Para cada uma das línguas, é essencial que o autor garanta a qualidade do uso das regras gramaticais e de ortografia.

O resumo não pode ultrapassar o limite de 150 palavras. Deve ser claro e de leitura fácil, apresentando os detalhes que permitam ao leitor compreender o essencial do contributo. Deve apresentar, então, de forma precisa mas concisa, os seus elementos-chave – sem informações supérfluas, nem quadros, figuras ou referências bibliográficas.

3.2. Limites para a extensão dos textos

De acordo com a rubrica a que se submete, o documento não deverá ultrapassar determinados limites (incluindo gráficos, tabelas e figuras), de acordo com a formatação anteriormente definida. O número máximo de caracteres, incluindo espaços, para cada rubrica é:

Pesquisas empíricas
Discursos sobre o vivido no trabalho
Instrumentos de investigação
Arqueologia do conhecimento
Apresentação de obras
Revisões temáticas

75000 caracteres

Recensões críticas de livros
Resumos de teses ou comunicações
Artigos “de resposta a...”
O dicionário

15000 caracteres



3.3. Palavras-chave

O artigo deve conter :

  • entre 3 e 5 palavras-chave;
  • quatro versões destas palavras chave: em português, em espanhol, em francês e em inglês.

As palavras-chave não têm como finalidade indicar as particularidades do artigo mas a sua inscrição num campo ou domínio. As palavras-chave mais pertinentes indicam:

  • o domínio de estudo ou de aplicação;
  • as finalidades do artigo;
  • o/os principais conceitos.

Aconselhamos a consulta dos thesauri existentes (por exemplo: o da APA ou da Ergonomic Abstracts) para que a escolha destas palavras retome as bases de dados internacionais, o que facilita o acesso aos artigos.

3.4. Referências bibliográficas

A Revista Laboreal adopta as normas da APA que podem ser consultadas online em: http://www.apastyle.org

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo Editorial] [Assinaturas]


© 2015 [Laboreal]

Universidade do Porto - Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
Rua Alfredo Allen 4200-135 Porto
Portugal

Email: laboreal@fpce.up.pt

Website: http//laboreal.up.pt